sábado, 18 de abril de 2009

Persistente.

O que ainda insiste em doer não é ter perdido o seu pai. É ele ter perdido você. Dessa dor eu constantemente me esqueço. Mas não tenho a ilusão de que ela passe.

50 comentários:

Anônimo disse...

Cris, ele não perdeu...A gente só perde aquilo que nunca foi nosso. Ele vive a alegria de ter o Cisco, e não se assuste, vive isso através de você e dos seus.
beijos

Sam disse...

Cris, leio teu blog todos os dias. Mas esse é meu primeiro comentário.
Aposto como voce ouve isso que vou dizer sempre, mas nao tem como evitar.
Ouso dizer que Voce o Gui e o Cisco terão uma ligação mais forte do que qualquer outra familia. Voces tem o amor. Esse nao se vai jamais! Pois o amor está na alma, que é eterna! Não se preocupe, pois o Gui, vê e vive tudo com o Cisco. Mesmo que nao em corpo, mas espirito!


Bjos!
Deus abençoe vc e o Francisco!

Solange Maia disse...

Cristiana,

Não sei se serve como forma de amenizar essa dor que aperta o peito, e que realmente talvez nunca passe, mas... diz o poeta que :

"Não se parte nunca, nem dos afetos, nem das lembranças..."


Deixo meu carinho e minha admiração....

Um beijo especial,

Solange

http://eucaliptosnajanela.blogspot.com

Carol Soares disse...

Eu tenho certezaque onde quer que eles esteja ele acompanha cada passo seu e do Francisco. Ele não perdeu vocês, nem vocês perderam ele. Vocês ganharam um anjo da guarda e ele cuida de vocês como se cuidasse se estivesse aqui.

beijão.

Lu Dantas disse...

Hoje é meu primeiro dia aqui. Eu me solidarizo com sua dor e imagino o quanto deve ser difícil suportar tamanha perda. Espero que tudo isso possa ser amenizado aos poucos e com serenidade.

Meu beijo.

Lari. disse...

Ele não perdeu, Cris. Não penso assim. Ele teve a chance de ter Cisco e de alguma forma, ainda tem!

Ana C. disse...

Escreves com o coração na ponta dos dedos. Acredita que há muito tempo ninguém chegava a mim assim, tão depressa e tão intensamente.
Não vou deixar palavras de consolo, pois penso que te limitas a escrever o que sentes sem procurares respostas nos outros. Enquanto continuares a perguntar, ele continuará na vossa vida.

Tia Marcele disse...

Cris, mais uma vez, estou tentando criar um blog. Fiz uma postagem sobre o Cisco lá, da uma passadinha visitar no tiamarcele.blogspot.com

Beijos para você e para Francisco

Suh disse...

Vocês não se perderam...apenas foram separados pelo destino.
Este anjo que lá está, com certeza está sentindo muito orgulho dessa mulher mãe guerreira que você se tornou. E quanto ao Francisco, tenho certeza que esse pai anjo que lá está, irá protejê-lo e acompanhá-lo sempre...em todos os dias...pela vida inteira!
;)

Damares Duarte disse...

Me impressiona como você consegue ser tão profunda em tão poucas palavras. Seus textos são puro sentimento. Parabéns e felicidades.

Nana Pertence disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Phophina disse...

Fico aqui imaginando o seu filho já mais velho, lendo os seus textos... É um menino de sorte, mesmo que o azar tenha passado por perto quando ele ainda estava no seu ventre, pois vivo ele já estava, e provavelmente estava sentindo intensamente a relaçao dos pais e o carinho que o pai já tinha por ele. O que vale é a intensidade! Sei que nao é consolo nem para você nem para seu filho, mas provavelmente a lembrança deste amor ficará marcada na alma dele... Fico feliz de poder ler suas linhas sempre que possível.

Com carinho, Claudia

Juli disse...

Francisco é um cara de sorte por ter esta mãe e este pai. um beijo.

disse...

Além de ser bonito, tudo, é poesia. Muito belo, muito.

Melissa disse...

Cris, sempre choro quando visito esse blog...
Eu imagino sua dor. Sei o que deve ser isso, você olhar para o seu filho e não ter o pai por perto... Dói de verdade.
Cris, sabe que eu tive um pai, mas que nunca me deu um abraço em toda a minha vida, nunca me elogiou, sempre me tratou como se eu fosse um incômodo na vida dele, então às vezes, eu sinto essa falta, de saber o que é um pai, são tristezas que a gente carrega...

Suas palavras são lindas,
Desejo felicidades para voce e para o Francisco.

Nina disse...

Nao pensa, nao pensa assim... tá certo, é um fato, mas procura nao pensar dessa maneira. É um modo mt dificil e dolorido de ver as coisas. Nada é por acaso, nao se permita mais uma dor, vc e Cisco nao merecem.

e Gui fez e deu o seu melhor. Isso vc sabe.

Geisa disse...

ola.... acompanho vc diariamente no outro blog e qdo tenho um tempinho extra fuço esse aqui tbem...
Curto tua história, tua força, determinação... admiro mesmo!
Hoje ouvi uma musica que me fez lembrar de ti... é da Brandi Carlile, a música se chama "The Story"... se for o caso, procure a tradução, é uma música linda e fala das histórias que nos marcam... linda!
Continue assim.. persistente e emitindo todas as mensagens positivas que nos envia nos posts...
Vc é angelical e ao mesmo tempo uma Leoa protetora... bonito acompanhar isso :)
Deus te abençoe.
Beijo
Geisa

Bell disse...

Faz quase um ano que eu li uma reportagem sobre sua historia na revista Glooss. Lembro que a reportagem era sobre grandes perdas e a sua histaria foi a que mais me chamou a tenção...Hoje comecei a procurar seu blog, nunca pensei que sua historia era tão maguinifica.....Parabéns por esse amor inabalável, parabéns por ter vivido um amor tão intenso e principalmente por não ficar se lamentando por ele ter partido de uma forma tão bruta....Vou comecar a ler seu blog des do começo....Obrigado por dar essa prova de vida e principalmente de amor

Nana Pertence disse...

Cris, obrigada por seu comentário em meu blog! Foi um imenso carinho em meu coração!
Beijos e flores para você e o Cisco!

Fan disse...

CRIS
TE ACOMPANHO E TE ADMIRO PELA DELICADEZA QUE ESCREVE E FORÇA QUE VIVENCIA OS FATOS DA TUA VIDA. POSSO DIVULGAR TEU BLOG NO MEU, RECÉM CRIADO?
UM BEIJO GRANDE PARA VC E OUTRO MAIS QUE ESPECIAL PARA FRANCISCO

Clarissa Corrêa disse...

Cris, vim deixar meu beijo e carinho.

Vou te falar: a dor não vai passar, ela só vai se ajeitar entre as tuas almofadas internas. Tudo isso pra ficar confortável a cada dia, pra caber em ti. E não precisar de mais espaço.

Beijos

disse...

Cris, a convivência com uma criança é a coisa mais linda e significativa do mundo! tão significativa que pode sim ser sentida em outro plano!
http://praleticia.blogspot.com

dani carrara disse...

Lindo o seu amor pelo pai do Cisco.
Cabe nele o que há de mais lindo em um amor: (com)paixão... (do)ação...
bjs
dani
ps: que o amor persista pelos "cantos" da sua casa.

Anônimo disse...

flor vc assistiu ao filme "o curioso conto de benjamim buttom"...lembrei de vcs...nao sei pq...

Carol Brito disse...

Olá Cris,
Às vezes leio o seu blog e fico pensando que quando o Francisco crescer e tiver a noção da proporção que tudo isso tomou, vai ser muito bonito. Mas, por outro lado, penso que vc preferia ter o pai dele contigo e viverem no anonimato mesmo, não é?
Bjos e PAZ

Juliana Malacco disse...

Oi, Cris.
Hoje tirei o dia pra ler o blog inteirinho. Sempre ensaiei, mas nunca tinha feito e hoje resolvi. Fiquei o dia inteiro ligada nesse texto maravilhoso, bem escrito e carregado de emoção. Tanta emoção que em alguns instantes precisei respirar fundo porque tinha me faltado o ar. Seu texto é perfeito, lindo emocionante. Perdi meu pai, uma pessoa que amava demais. Tem horas que me pego pensando nele, vendo ele e chorando por ele, é instintivo, sem pensar!
Sou de Vitória-ES e publicitária, também. Muito obrigada por compartilhar comigo esse blog tão maravilhoso. Texto brilhante e um coração enorme. O Francisco tá cada vez mais lindo e provavelmente porque ele é fruto de um lindo amor! Um beijão. Juliana Malacco

Pequena disse...

Fan, fique à vontade para divulgar o meu blog. Um beijo e obrigada pela sua visita. Bem-vinda.

Beijo de carinho em cada um.

Pequena disse...

Carol, foi muito carinhoso da sua parte tentar se colocar no meu lugar. O tempo e os caminhos me ensinaram a acreditar na força das coisas como aconteceram. Sinto a falta do Gui e isso dói, mas a vida nos revela tantas coisas boas, que a gente aprende a entender que nada é por acaso.

Um beijo com todo o carinho.

Luiz Fernando disse...

Passei por aqui meses antes mas não havia me emocionado como hoje, quando volto na condição de pai. Maria Clara ainda está por nascer, e compartilho de alguns sentimentos que experimentaram quando na época da gestação do Cisco.

A dor nos faz ter pensamentos atemporais, li uma vez. Me chamou atenção quando disse: "(...)a dor, quando compartilhada, constrói coisas. Alivia outras dores." Maior fruto disso é o livro que o Francisco poderá em breve dia ler.

Saúde ao Cisco, e a felicidade das coisas simples a você.

Com afeto, Luiz Fernando.
http://velandovoce.blogspot.com/

Renata Feldman disse...

Cris querida,
Não sei se você lembra de mim. Fiz estágio com você no Grupo Z e até hoje, depois de já ter virado redatora, professora, psicóloga, esposa do André, mãe do Léo e da Bella, continuo APRENDENDO muito com você. Aprendo todos os dias com a sua poesia, com a sua força, persistência e sensibilidade. Se antes eu já era sua fã, agora vou montar um fã-clube.
Te admiro muito, parabéns pela bonita caminhada.
Com carinho, Renata Feldman.

Mary disse...

comprei o livro. devorei em 24hs... quer dizer... já havia devorado o blog... ñ me canso de ler... parabens!

Cinthia Freitas disse...

Isso tudo aqui é lindo!
Sua dor acalanta com poesia meu coração... Tomara que ela se transforme logo em apenas poesia.

Vitor Freire disse...

Quando eu tinha 10 anos vi um muro grafitado assim:

As pessoas não mudam. Adaptam-se.
As dores não passam. Mas vai melhorar.
Deus não existe. Mas acredite.
O amor é uma doença. Mas não se cure.

Eu parei, saquei meu caderno do fofão da mochila e anotei esse escrito.
Foi assim que eu me comecei.

Não sei se concordo com as coisas do grafite. Mas ao te ler, lembrei daquelas frases - avermelhadas, naquele muro que fedia xixi.

Elaine disse...

Olá!
Cris,embora nunca tenha comentado, leio sempre seu blog.
Estou passando para convidar você para uma promoção que está acontecendo em meu blog. Ficarei muito feliz se você puder participar.
Beijos e bom fim de semana.

Renata Louise disse...

Você não sabe, mas sempre que preciso de um pouco de humanidade, sempre que me vejo próxima da loucura material, acesso seu blog e tomo uma ducha de afeto. Acompanho seus posts com adoração, ler o que você escreve é um descanso para alma, é ter oportunidade de ver a vida bem vivida.
Mesmo seus momentos tristes me enchem de esperança. Você é algo como fé humanizada.

Renata Louise.

Anônimo disse...

Cris, o Guilherme ao menos passou por esta vida e construiu algo (o Cisco). Como é triste, Cris, passarmos por essa vida sem construir... O Gui foi um vitorioso! Já parou pra pensar que tantas pessoas passam por esse mundo e se vão, sem deixar marcas, sem deixar nada?? Não existe sensação pior do que esta, pode estar certa. bjs em vc e no Cisco..

Elaine disse...

Olá!
Cris, Para Francisco está classificado para a final da promoção em meu blog. Se você quiser divulgar e avisar seus leitores/seguidores/amigos, a enquete está aberta.
Parabéns. Boa sorte.

Tram 4 disse...

Estou tentando ler o seu blog mas as lágrimas me impedem..
Meu amor também se foi..assim cedo demais, jovem demais, rapido demais.
Me deixou seu sorriso no rosto de nossa filha.
Mas de quinze anos se passram ..
Olhando aqui teu Blog levei um susto.
Me vi tanto em você.
Naquele momento , única coisa que eu tinha na cabeça era seguir em frente...e aqui estou.."em frente".
Montando com e para minha Baby Yasmin o pouco e muito do que foi a vida do seu pai...suas cores, suas dores e seus amores.
claudia Vilhena

mEuS 3 disse...

oi Cris, sou a Cris...rsrs

de vez em quando passo por aqui, leio, choro, rio... aí saio e continuo minha vidinha como se isso não pudesse acontecer comigo... e pode não é?!
por isso comove...
amo esse blog, amo o hoje vou assim...
tenho 3 filhos (sim, plena era da tv digital eu ainda fazendo filho) e sua perseverança pela lembrança do papai do Cisco fez com que eu criasse vergonha na cara e começasse a escrever todas as sem vergonhices ditas pelos meus três tesouros... e aí um dia quando eles tiverem os meus netinhos vão entender o tamanho desse amor!! beijão. Cris

Fe disse...

Pequena,
você é tão imensa!

Alex Alves Bastos disse...

Oi! Já li o teu livro... Já presentei alguns amigos tb e vou continuar divulgando-o, mas recentemente procurei em algumas livrarias do centro e não consegui encontrá-lo disponível. Vc me recomendaria alguma que com certeza tem?
Aguardo.
Grato,
Alex Alves Bastos
alexbastosbr@yahoo.com.br

Gi disse...

..."Saudade até que é bom. Melhor que caminhar vazio"...

Leandro Capilluppi disse...

Oro para que um dia eu abra o teu blog e chore pela emoção da alegria de ler teus textos cheios de entusiasmo pela vida, tanto a que passou, a que transcorre e pela que ainda virá.
Bj!

Dri Viaro disse...

Oi, passei pra conhecer seu blog, bjs boa semana

aguardo sua visita :)

Luiz Felipe Leal disse...

"viver é se encontrar e se perder,"

não venho mais sempre.
mas sei.



seco.

Virgínia disse...

Oi Cris!
Nunca tinha visitado seu blog e me encontro aqui encantada!
Quanta doçura, quanto afeto, quanto amor envolvem você, o Gui e o Francisco... Esses sentimentos puros ultrapassam as esferas físicas, tenha certeza.
Vejo o quanto na vida tantas vezes somos rudes e cruéis com aqueles que estão a nossa volta, mas o tempo nunca mais volta, não é assim?!
O que importa mesmo é o hoje, e hoje você proporciona ao seu filho querido a possibilidade dele conhecer o seu pai através da sua alma!
Parabéns e força sempre!
Abraços!

orminda disse...

Olá Cris, sou a mãe do João Lenjob.
Adorei seu blog!
Abraços!

Veu disse...

Nossa, estou lendo seu blog pela segunda vez e eu fiquei perplexa pela sua forca, coragem e sensibilidade. Senti muita vontade de chorar qdo li a primeira vez e imaginei todo o sofrimento pelo qual vc deve ter passado. Vc e uma pessoa iluminada. Uma poetisa. Imagino que muitas pessoas que passam pelo que vc passou encontram muita forca e esperanca nas suas palavras. Vc fez este blog para Francisco, mas serviu para muita gente. Obrigada Cris pela generosidade de dividir suas dores e alegrias com todos nos.

Juca Filho /jucafii disse...

É o seguinte, minha... sei lá, irmã, é a palavra que me vem. Eu sou um homem que tive a suprema alegria, depois de alguns reveses criados pelo acaso e pela minha covardia de juventude, ter um filho, lindo e querido, aos 52 anos de idade. Meu filho tem hoje 1 ano e oito meses e, às vezes, me pego chorando sozinho, lancinantemente, sem entender porque... No meu coração dói ou doía um medo estranho nessa hora, medo de estar tendo alguma premonição de perdê-lo. Até que eu entendi de onde vinha a minha dor... é a de que, certamente e, se os deuses quiserem, eu vou sim, perdê-lo porque, muito provavelmente ele me perderá antes... Tanto faz, na verdade, de qualquer maneira eu estarei perdendo-o. Hoje, depois de entendido isto, vivo intensamente nossa ligação, para que cada segundo possa ser uma vitória sobre a finitude que nos afastará, um dia.
Acho que consigo, assim, exercer um amor tão profundo e incondicional que qualquer névoa de sofrimento se dissipa. Nunca li seu blog, caí aqui por uma dica no Tweeter e, ao ler o cabeçalho, senti uma pontada. Mas lendo sua resposta à mensagem anonima, me senti ultrapassando esta dor projetada. Existem razões por trás das razões, sempre. Até os atos mais estúpidos acabam por fazer sentido. É assim. Esse pequeno Francisco, contemporâneo do meu pequeno José Gabriel será, como ele, um homem bom, tenho certeza. O amor de um pai, quando verdadeiro, não se vai com sua ausencia física, ao contrário, reverbera, ecoa e floresce em seus filhos. É isso o pouco que sei da vida. E aprendo cada dia mais com esta dádiva que me enche os dias de júbilo e desafio. Tudo de bom para vcs dois.

Juca Filho
http://www.flickr.com/photos/jucafii/3008672335/in/set-72157605328862342/

A Loba disse...

Ola estava vendo blogs e parei no seu e confesso que gostei, ainda vou ver os primeiros post pra pode comentar certo, enfim pelo que li logo de cara e a falta de alguem nao e ,,, enfim amiga qdo ler mais sobre isso ai postarei algo pra vc aqui abracos e espero vc em meu blog ...