segunda-feira, 20 de agosto de 2007

Amor de amigo é assim.

Olha como o seu pai era amado, filho. Isso aqui foi escrito por um grande amigo dele alguns dias depois que ele se foi:

"Perder um amigo é saber-se falta. O abraço não dado, o convite não aceito, o telefonema não feito. Uma vontade de gritar que a vida é bruta e que este sol que brilha lá fora pode muito bem ir à merda, porque seu amigo se foi e você não estava lá.
Falta humildade pra aceitar, falta espiritualidade pra confortar, falta mesmo a calma pra dizer que a vida é assim. O que sobra é a certeza de que o pão com linguiça, a cerveja, o provolone do boteco em frente à Lápis serão sempre amargos. Que o abraço de tchau que eu dei sexta passada (será que eu dei a porra do abraço?) junto com a promessa do squash em 2007 foi muito pouco. E quando chegar a hora, apagar o número do celular, o endereço do msn ou o email do Entourage vai ser só um jeito doloroso pra caralho de dizer que daqui o Gui não vai embora nunca. Te cuida, irmão. Que te cuidem bem." (Maurilo Andreas)

2 comentários:

Redatozim disse...

É, Francisco, seu pai foi muito amado mesmo. Por tanta gente que você nem consegue imaginar.

.duas doses de desdém - Gui disse...

Ai que lindo!

Um beijo, Pequena!
Um beijinho, Francisco!!!