sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Documentos importantes.

Uma certidão de casamento com carimbo de averbação de separação, uma certidão de óbito e uma de nascimento sem o nome do pai. É assim que o cartório vê a minha vida.

13 comentários:

Euzinha disse...

Acho injusto eu ter deixado de ser uma certidão de nascimento quando virei uma certidão de casamento, pq hoje eu tb tenho um carimbo de averbação de separação, mas nunca deixei de ser meus pais...

Weder_e_Sâmia disse...

Cris, vc ainda não conseguiu colocar o nome do Gui na certidão de nascimento do Cisco? O que quê tá faltando pra eles aceitarem?
(desculpa pela curiosidade, mas é que a justiça nesse País, aiai, é cada uma!)

Um beijo,
Sâmia Leite

Nina disse...

Poxa Cris isso ainda não foi resolvido? caramba, esse país é foda! (desculpa o palavrão) pra certas coisas funciona que é uma beleza (quando é de interesse dos grandes, que são a "gingantesca" minoria!), pra outras, é uma lentidão de dá gosto.

manda aí o endereço e o nome dessa tabeliã ou juiz (sei lá que nome que se dá) que a gente vai já criar um abaixo assinado.

desculpa se fui indelicada, tá?

Sayô disse...

Francisco nasceu "vendo"
o pai!
A maneira como vc mostra Gui para Francisco, transforma a ausência
fisica numa presença inesquecivel,
ricas em lembranças...é assim
que Francisco vê a sua vida!
Recheada de amor!
Para mim, certas burocracias,
que as vezes, lógico, são
necessárias, são banais!
Paradoxo?
Pois é...

Bj Cris.. bom findi pra vcs

Giullianne Vicente disse...

Definição da palavra burocracia segundo o dicionário:
"Modo de administração em que os assuntos são resolvidos por um conjunto de funcionários sujeitos a uma hierarquia e regulamento rígidos, desempenhando tarefas administrativas e organizativas caracterizadas por extrema racionalização e impessoalidade, e também pela tendência rotineira e pela centralização do poder decisivo;
classe dos funcionários públicos, especialmente os funcionários do Estado."
Só a definição diz tudo, paciência rsrsrs

Joice disse...

Oi Cris!

Sou estudante de direito e fico muito triste ao saber que coisas desse tipo ainda são um problema no país. Mas ainda não deixei de acreditar no direito e na justiça e pode ter certeza de que trabalharei no que puder para mudar ao menos um pouquinho.

Beijos

Eu sou a Fab's! disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eu sou a Fab's! disse...

Ei Cris,
Como advogada sei bem como funciona a justiça nesse país.
Infelizmente, mtas vezes, nos deparamos com tamanha injustiça, como a que vc e seu Cisco estão vivendo. Mas nunca deixe de lutar, embora seja dolorido, só vcs sabem a importância desse sonho.
Boa sorte, sucesso, e mta luz sempre na vida dessa família "diferente", mas não menos linda e feliz!

pensamentos simples disse...

Conselhinho... adquira já uma averbação de divórcio na sua certidão de casamento.

Beijos,

Andrea

Renata Rocha disse...

ai, desculpa pela palavra mas vou dizer: foda-se o cartorio rs.... Vcs sao lindos, pronto. Falei

debora camargo disse...

Cris, trabalho no tribunal de justiça/sp, em vara de familia.

vc pode entrar com uma ação de investigação de paternidade, juntamente com os avós paternos do Francisco, pedindo a homologação do acordo de reconhecimento da paternidade. é muito mais rápido.

só pode não dar certo se o JUiz for legalista demais. aí vai querer exame de DNA entre a criança e os avós, mas mesmo assim é rápido. no maximo um ano.


que tal?


bj

Débora Camargo

Paola disse...

Todos os nomes - José Saramago

Foi isso que sua história me lembrou.
Sorte
Paola

Come_Chocolates disse...

Eu não acredito nisto que estou a ler!
Sou Advogada em Portugal, não faço a menor ideia de como funcionam as coisas no Brasil, mas isto é impossível!!
Não se pode admitir. Todas as Crianças têm pai. O seu filho, por maioria de razão, também!
Não entre com nenhuma acção de reconhecimento de Paternidade. Isso é ofensivo!
Para si e para o pai do seu filho. Tem de Existir outra forma. Já procurou ajuda legal? Já ameaçou fazer um escândalo nos jornais?
Estou sem palavras de tanta indignação.