sexta-feira, 22 de agosto de 2008

A do meio.

Eu me lembro que meu pai carregava na carteira uma foto em preto e branco. Ela ainda bebê, rostinho colado no rosto da minha mãe. Em comum, a doçura das duas. Com o tempo vimos crescer com ela a doçura e muito mais da minha mãe.

Quando éramos pequenas, antes de dormir havia um ritual. Ela se deitava ao meu lado na cama e uma de nós fazia cócegas nas costas da outra. Um dia eu, outro dia ela. A medida era contar até cem. Guardo essa cena comigo e dela não me desfaço.

Dois irmãos mais velhos, duas irmãs mais novas: coube à sua tia o desafio de ser a filha do meio. Aquela que fazia do sorriso o caminho entre um lado e outro da família. Vivia tão perto da minha mãe e tinha um truque secreto que a fazia também próxima do pai. E eles não viviam exatamente no mesmo lugar.

Ao longo do caminho, vivemos histórias diferentes. Por conta do segundo casamento do meu pai, eles se perderam um do outro. Minha madrasta não teve habilidade para lidar com aquele laço. A foto na carteira virou lembrança.

Comigo o caminho foi contrário: o tempo me trouxe o pai de presente.

Ela nasceu em São Paulo, eu em Belo Horizonte. Ela a irmã do meio, eu a caçula. Ela se casou aos 22, eu aos 31 – e me separei aos 34, achei outra pessoa e fiquei viúva aos 36. Só depois disso tudo é que virei mãe. Ela tem três filhas e a mais velha já é mais encorpada que a tia. Ela teve poucos namorados. Eu não paro de ter os meus.

Eram muito mais que cinco anos a nos separar.

O tempo passou e nos fez perder muitas coisas pelo caminho. Diferenças também se foram. Éramos de gerações distintas. Não somos mais. A vida nos deu uma para a outra. E descobrimos tanto em comum.

Com seu olhar sereno, sua tia estava bem ao meu lado no dia em que você nasceu. Veio um pouco sua avó, um pouco seu pai. Trouxe muito de si mesma.

Essa semana ela me fez uma visita. Ligou, tinha saudade, veio à nossa casa antes do trabalho. Num vai-e-vem dentro do quarto, fizemos das novidades um resumo rápido entre um vestido e outro. Para nós, as coisas nunca foram tão fáceis. Acho que isso, sempre tivemos em comum.

Na despedida, um abraço comprido. Maior e mais longo que de costume. Intenso, forte, sem dizer nada. Não era mesmo preciso.

Viemos do mesmo lugar. Sabemos uma da outra. Das dores e dos sorrisos.

Com cada irmão, uma história de amor. A nossa é assim.

39 comentários:

Sicores disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sicores disse...

Antes de qualquer coisa, muitos risos...
Adorei " A do meio"!
Sou a filha do meio, e sempre disse que só um filho do meio para entender um outro filho na mesma "posição".
Vivia dizendo que para ser filho do meio, a pessoa tem que ter talento nato. Afinal, ela não foi tão desejada e esperada como o primeiro, nem tão pouco tão paparicada como o caçula (acho que isso só na minha cabecinha tonta), por isso ele tinha que se desdobrar pra chamar a "atenção" dos pais, dos irmãos...
Até que com o seu texto, lembrei que não passo despercebida não.
Minha irmã, a caçula, tem uma tatuagem no pulso escrito "irmã". Eu também, claro!
Tamanho nosso amor e cumplicidade.
Isso explica como é bom ser o do meio, ser melhor do sanduíche,ser o recheio. E confesso que adoro.
Bom final de semana, Cris.
Bjs da Si.

Lita disse...

Bom dia... adoro suas palavras, o jeito como você escreve. Perdi minha mãe quando era bem pequena... o que vc escreve para o Francisco é um pouco do que eu sempre quis saber de minha mãe, do amor que ela sentia por mim. Te agradeço por isso, por me fazer recordar de tanta coisa boa. De alguma forma, Guilherme, Francisco e você mudaram minha forma de ver certas coisas que não conseguia entender.

Giullianne Vicente disse...

Girei por alguns minutos na mesma freqüência das suas palavras,também perdi uma pessoa que amo muito, meu pai.
Sei que, embora não terei nunca mais um amor como esse,pois amor de pai é diferente de amor de mãe, como você também não passei a amar menos.
Como a internet é louca, quando leio seus textos me sinto tão próxima.Conheci primeiro o hojevouassim e me acostumei a esperar e me inspirar com cada produção.
Cada um merece ter a experiência que desejar na vida e venho buscando o fortalecimento do meu interior para de uma vez por todas não desejar que as pessoas mudem para que eu seja mais feliz.
Sinto a felicidade e hoje sei que é primeiro a mim que devo cumprir minhas promessas.
Venho buscando por meio de terapias alternativas o auto conhecimento e venho dia a dia conhecendo uma pessoa maravilhosa que não sabia que existia.
Tenho 1 irmão e 1 irmã, me sentia mais distante dela pela # de 5 anos que hoje não quer dizer nada.
É estranho + a morte do meu pai nos uniu, hoje vejo que ela se importa comigo e ela percebe que eu me importo com ela.
Lindo texto Cris, Obrigada!
Muitos beijos

michele disse...

Cris,

Nossa! como vc é querida!!! sempre consegue transformar histórias tristes num lindo conto de fadas.
Ah, e digo mais, desde pequena já era estilosa no jeito de se vestir. Que foto linda!!!

Beijo no coração,
Sou mesmo sua fã!
Joana Vianna - SP

Melina disse...

Muito legal, tenho 2 irmãos e meninos... e eu tb sou filha do meio e por ser única menina sou talvez a mais ligada ao meu pai... todos nós o amamos tb e muito.
Apesar de ninguém ter casado AINDA rs*, já somos bem diferentes um do outro.
Não temos mais aquela ligação, cada um tem uma identidade, uma mania, uma forma de dizer TE AMO.
Se um dia quiser me visitar no meu site fique à vontade, um beijo e tudo de bom pra você e pro seu "pequeno".
Família... é tudo e as recordações realmente são lindas.

Biana França disse...

Cris, me deu uma vontade meio boba de chorar lendo seu post. Eu sempre fui muito amiga do meu irmão mais velho, mas fiquei meio decepcionda com ele, sei lá, tô tentando deixar para lá, passar por cima, não deixar o orgulho estragar a amizade, não sei, mas magoada, eu pelo menos, sou pouco racional. Enfim, parabéns.
Bjus...

Biana França disse...

Ah, e vc hein?
Muito fofa!!!

Luciana Arruda disse...

Cris, você está lincada em meu blog, todos os dias eu passo por aqui...queria agradecer por compartilhar tudo isso com a gente...e parabenizar pela força imensa que você tem. Pequena, é só um apelido. Para mim, vocÊ é imensa, imensa....

Ana Paula disse...

Cris, ontem lendo uma revista criativa de algum tempo, me deparei novamente com a reportagem da sua historia. Mas acho que ontem lí com uma visão diferente.
Você é uma mulher guerreira e apesar dos acontecimentos tristes, recebeu um presente precioso, seu filhote...tão lindo..
Quero te parabenizar pela sua energia feliz e dizer que mesmo não te conhecendo você me ajudou e muito...obrigada..beijos.

Dri_ disse...

O que me incomoda em não ter outro filho, é saber que o meu bebê não terá irmãos...








Vocês duas estão com o vestidinho igual? Que fofas!

Eu sou a Fab's! disse...

Tenho um único irmão, pelo qual sou apaixonada... Somos amigos, cúmplices. Afinidade não vem só pq viemos do msm lugar, mas no meu caso, ele é o presente pelo qual agradeço a Deus todos os dias.
Obrigada por nos emocionar sempre com seus lindos textos.
Bom fds!

M. disse...

Ai Cris,
Que lindas as fotos e o seu depoimento sobre a sua irmã. Eu tenho 29, minha irmã tem 21, 8 anos de "diferença". Eu mudei pra cá em 2004 e desde lá só a vi algumas vezes, por conta do 10 mil kilômetros que nos separam, mas...a gente divide a mesma alma, tem muuuitas lembranças maravilhosas e ler o seu post hoje me fez um tiquinho mais feliz. Obrigada! :)

Um beijo enorme, fique com Deus!!
Marisa

Lia Drumond disse...

Linda homenagem! Bjs

odette castro disse...

A certeza de que a Laura seria mais mãe do que irmã da Beatriz sempre me doeu.Agora não dói mais.Ela ganhou uma irmã mais velha.

ana e o mundo disse...

Essa foi a história mais bonita que eu já li. Deu até vontade de ter irmã mais velha...

Guacita disse...

Cris,

leio seu blog há muito tempo, te descobri na Criativa e nunca mais parei de vir aqui e mostrar sua história para quem gosto... e esse seu post sobre irmãos foi maravilhoso! Meu irmão é meu melhor amigo, meu grande companheiro, é uma ligação maravilhosa, temos nossos conflitos, mas a amizade sempre fica acima de tudo isso!!!

Beijos mil!

Ah, o Francisco está cada dia mais lindo!

Carol disse...

Oi Cris!
Tudo bem?
Até q enfim criei coragem para escrever pra vc e reribuir mesmo q em simples palavras o q vc nos faz sentir.
Estou sempre de olho nos seus blogs e me emocionando cada dia mais com as coisas q vc conta.
Foi um acaso ter cruzado com vc por esse caminho primeiro pelo hj vou assim, que por um pedacinho de L na parede me fez perceber q temos a mesma profissão, tb sou publicitária, na verdade uma quase publicitária, por enquanto faço estágio na Asa , e há um ano fui aluna da Adriana, sua colega de agência.
Fico esperando anciosa pelo seu post para o Cisco e me delicio com cada palavra escrita.
Hoje vc veio flar de sua irmã, tb tenho uma irmã e apesar de nossas brigas eu amo ela acima de qlqr coisa.
Muito obrigada por compartilhar conosco tantas emoções e desejo q vc e o Cisco sejam muitoo felizes.
Espero q um dia possamos nos cruzar nesse nosso mundo em comum q é a publicidade.
Parabéns pela força.
Bjos, Carol.

Dani disse...

Tão bonito aqui! E que bonita você!Muito bom encontrar esses cantinhos e suas gentes assim... :)

Cristiana disse...

Cris, obrigada!

Flaviana Novais disse...

Ensaiei por dias para te escrever porque gostaria de lhe presentear com palavras que pudessem te tocar, te acarinhar, pelo menos um pouquinho só, em comparação das emoções que vc tem trazido à minha vida através de sua história e sensibilidade... sinto que não consegui,não sou boa com as palavras, elas me fogem nesses momentos de fortes realidades... estranho foi a minha reação ao ler sua história: decidi, na hora que abriria um blog e falaria da minha própria vida... tornou-se necessidade, iniciei em 2 dias(ainda hoje ninguém sabe do blog:desejo de ser). Conheci o hoje vou assim, trabalho com moda (em BH, depois tem que me visitar, te receberei com muito carinho) e sempre passo por lá pra "colher" suas dicas... Agora o para Francisco, mudou minha vida!!! Acredito que ele foi o empurrão que precisava para enxergar a vida de uma forma diferente... Você consegue fazer da sua história, que é bem difícil e triste... um conto romântico, intenso, alegre e vivo. Você nos transmite a vontade de viver, de fazer valer os nossos dias, pois não temos a certeza do amanhã... Acredito que aí está a sua felicidade: você não precisou perder pra dar valor, você já sabia o que tinha, o que estava vivendo, vc soube aproveitar o momento e hoje pode rememorá-lo com saudade, mas de uma forma bonita, leve e deliciosa de ser ouvida... E ainda recebeu um presente muito especial, fruto desse romance lindo: Francisco. Parabéns pela mulher que é, Criativa, Inteligente, Decidida, Forte e muito, mas muito VIVA! Bjos Flaviana

taisalima disse...

Cris, havia um mês que não passava por aqui! Nessa madrugada, botei as histórias em dia. Foi tão bom: ri, chorei, imaginei... e recomecei. Obrigada, querida!Beijos... Taisa Lima.

Danielle disse...

É impressionante como não consigo passar por aqui sem me emocionar, vc é realmente uma artista, parabéns. Danielle

Nina disse...

Cris querida!!
tenho muitos irmãos, mais do que posso contar nos dedos das mãos (meu pai aprontou horrores em vida!!),mas das irmãs mais velhas, eu sou a do meio. Sempre me sentindo a menos importante, entre a lindona e a lindinha eu era a feinha.. mas o amor, meu Deus! como era (e é) grande, enorme.

Adoro qd vc mostra fotos como essa, onde vc tá com essa carinha hiper sapeca. Fofa mesmo.

Cris, deixa eu te contar, estive finalmente na cidade que vc gostaria de ter apresentado ao Gui. Amei tudo! e lembrei mt de vcs.

Incluisive pensei mt em vc no seu aniversário dia 15, viu? só não quis usar internet, porque afinal, eram férias...

Te desejo então um pouquinho atrasado, muitas alegrias pra vc, que vc continue esse menina linda que é e sempre foi (olha a foto! que linda e alegre vc já era desde Pequena).

Um super grande, enorme, apertado e carinhoso abraço, pra ti, pro Cisco, pra sua irmã, pra BH.

danisiinha disse...

só faz aumentar minha frustração por ser filha única.... sabe aquele sonho que sabemos que nao tem mais como realizar? o meu é o de ter irmãos, eu até os tenho! irmãos que escolhi pelo caminho... mas , essa cumplicidade que vc relatou de ter vindo do mesmo lugar... de saber de todas as dores e dos sorrisos... nossa que invejinha! bjsssssssss

Nai disse...

Oi Cris. Obrigada por ter entrado em minha vida, masmo sem me conhecer e ter me ajudado a me tornar uma pessoa melhor, mais atenta aos pequenos gestos, valorizando todo o amor que tenho ao meu redor. O seu exemplo de ter passado por tudo e ainda ser tão suave e feliz me faz acreditar que somos mesmo responsáveis pelo que nos tornamos e o rumo que damos a nossa vida. Vou estar sempre por aqui a acompanhar o desenvolvimento do Francisco, por quem estou completamente apaixonada. Beijos e muita luz no seu caminho.

Andressa Xavier disse...

Nossa! Não conhecia esse blog, acabei chegando a ele atrav´s do hj vou assim... Virei tua fã de vez!

lucy disse...

oi adorei sua história, espero q vc busque dentro de sí mesma a capacidade de lutar e ser feliz... visita meu blogger.. é www.paraby.blogspot.com bjus lucy

Joelma disse...

Uma história linda.
beijo no Cisco, beijo em você, abraço apertado na mana.

¢em@ לאכימ דלא disse...

que lindinhas essas fotos :)

mari disse...

Tinha uma única irmã que amei e que me amava... perdí em 2005 aos 51 anos e nem um dia sequer desde então me esqueço dela.Tínhamos cumplicidade e passado e sinto tanto não termos um futuro juntas...mas é isso aí amem e cuidem bem da sua irmã e irmãos do jeito que são.beijos.

Nina disse...

Oi Cris,

sabe, meu computador não toca músicas (não sei por qual razão até hj). Então, sempre li o que vc escreve mas nunca pude ouvir nada, só ficava imaginando. Ontem usei um outro computador, e fui ouvindo tudo o que perdi. vc não tem idéia do tempo que passei ouvindo tudo, tudo. do qt chorei. é tudo tão bonito. tão delicado. tão bem escolhido.

mas preciso dizer que parei longamente no post onde vc e o Gui fazem uma campanha sobre o casal perfeito e tem um beijinho no fim (que vozes gostosas!!) e na musiquinha do Curupaco, "qd o papai vai viajar". Que coisa mais linda. Linda demais.
amei tudo. obrigada querida por fazer nossos ouvidos ouvirem tais coisinhas lindas e ternas.

bjs pra ti e Cisco

Nanai Xavier disse...

Ooioi Cris, se é q posso chama-lá assim, leio sempre 'para francisco' e me delicio com o 'hj vou assim', sou apaixonada por moda e amo tb ler seus posts, um dia desses lendo um post antigo seu, achei taum linda a forma na ql vc retrata seu amor pelo pai de seu filho, guardando essas memórias pra ele e nisso vi q tb tenho um amor do meu lado e as vzs nos tornamos negligentes e percebi q posso ser melhor como esposa, mulher, amante,amiga, como tenhu ctz q vc foi e por isso guarda lembranças tão boas, pretendo me policiar + e viver + esse amor inspirada no seu amor♥. Abraços

amandamadooh disse...

poxa, eu tinha perdido o link do seu blog quando formatei o computador. comentei algumas vezes, te adicionei no orkut, e sumi por quase um mes, eu acho.
voltei, li os posts antigos. continuo leitora fiel :D
e vc, continua a mesma arte de sempre.
que sua vida seja sempre poesia, cris. mas que seja sempre vida.
com o cisco também.

beijos ;**

anna disse...

oi, sou a anna que foi na agência ontem... descobri seu blog e achei muito lindo o jeito como você escreve. é só mais um comentário, mas pelo visto ninguém consegue deixar de lhe dizer isso...

Cinara Lisboa disse...

Oi pequena...

Hj tirei o dia pra navegar e é claro tinha que passar por aqui...Tirei um tempo pra compartilhar das histórias dos outros...Me dei descanso - obrigatório - do trabalho, 15 dias, por conta de uma estafa (aos 25! Meu Deus?!)

Então me detive a este texto...Falando de irmãos, falando de família...Lindo.
Tenho uma relação muito estreia e amorosa com a minha irmã, os 11 anos que nos separam nunca foram empecilho para que uma cuidasse da outra, para que nos amassemos. Achei linda essa relação de vcs pq amo ter a `Tih` por perto...Ela é muitas vezes meu farol em meio a tempestade. Gosto de ouvir o sonoro `Ô San...' e as nossas risadas cumplices de tudo o que já vivemos juntas...Hj tivemos um momento assim, voltando de Macacos, de carro...só nos duas, cantando Ney Matogrosso, teto solar aperto, risos...Muitos Risos! Como vc disse, história de amor, simples assim!

Abraços apertados pra ti e pro `Cisco`

Anônimo disse...

esse post é poesia em estado puro, claro, cristalino.
uma jóia.
obrigado.
flávio.

Bru Lima disse...

que bonitiiinho, o vestido eh igual! ^^

flo disse...

Por que é que de tudo eu choro??!!..Lindo!