sexta-feira, 6 de março de 2009

Mais uma chance de ganhar o livro.

As meninas da Casa dos Brechós estão com uma promoção onde você pode ganhar o livro para Francisco. Que alegria! Vai . Vai que você dá a sorte de ser o número 100.000. Meninas, muito obrigada.

8 comentários:

zymboo disse...

Olá, boa tarde!
Meu nome é Patrícia e represento a empresa Zymboo.com.
Gostamos muito do seu blog e gostaríamos de convidá-lo a publicar seus textos em nosso Espaço Literário.
Com isso, você poderá aumentar as visualizações de seu blog e ter seus textos publicados em um grande portal da Internet (www.zymboo.com).
Basta que nos envie seus textos e os publicaremos na Zymboo juntamente com seu nome e a URL do seu blog.
Escreva-nos: espacoliterario@zymboo-inc.com 
 

Coisa de mãe disse...

Oi, sempre acompanho seu blog e o considero muito sensível e emocionante. Deixei um Prêmio Dardos para você no Coisa de mãe, meu blog sobre mães, filhos, etc e tal...

Parabéns pelo blog!

LUARES DE LILITH disse...

Meu filho te fez um carinho adocicado hoje. (ontem)

Um gesto do meu filho me fez lembrar a relação fraternal e amorosa que tenho com os livros. Amo livros. Amo ler. É um prazer solitário, mas nunca o é de verdade, já que a gente está acompanhado da gente que escreveu, das suas sensações, das suas emoções e imaginações.

Comprei teu livro hoje num passeio ao shopping especialmente para isso.

Há livros que me fazem rir muito. São o caso dos livros da minha queridíssima Zélia Gattai. Que delícia conhecer sua família italiana, conhecer nossa querida Avenida Paulista, pelos sons das letras engraçadas de Zélia; impossível não gargalhar ao menos uma vez em cada capítulo. Delícia do início ao fim das anarquias, graças a Deus.

Há livros que me fazem sentir e pensar. Geralmente penso através daqueles que me fazem sentir algo. Meu querido Mitch Albom, que me conta sobre seu querido professor de sociologia, que se vê doente terminal e resolve dar a sua última grande lição. Quantas lições de sutileza, gentilezas, bom humor, bom amor, irreverência, ternura, saúde e alegria!

Há livros que estudo e preciso refletir. Com eles interajo literalmente. Pinto com lumicolor, hábito adolescente adquirido tardiamente e que ficou prá sempre, escrevo minhas idéias e do meu modo entendo e converso com o autor. Uma heresia a alguns amantes de livros. Mas a minha relação com os livros que gosto é assim tão visceral, tão presente, tão contagiante, que me sinto a vontade e com vontade para conversar com o autor no exemplar que me cabe.

De volta ao lar eu, marido e filho vamos à pizzaria em busca do jantar de domingo. Enquanto esperamos devoro seu livro e meu filho o pirulito. Já no carro, o pirulito virando sonho, já no finalzinho e meu pequeno interessa-se pelo livro. Abre bem na página onde está o teu retrato com uma roupa vermelha, olha prá você sorri largamente. Olha prá mim e dar uma gargalhada de contentamento.

Não tem dúvidas e sem hesitar busca o docinho do final do pirulito e detalhadamente passa a mãozinha no teu retrato, colorindo-o temporariamente de vermelho sabor morango e com as mãos lhe manda um beijinho e sorri novamente.

Dou risada e penso "Será que ele sabe ou sente tudo o que está aí neste livro? Na história de Cris, Gui e Cisco?" Díficil dizer.

Lembro da minha relação tão íntima com os livros.

Há livros como o teu que me fazem rir e chorar. Lágrimas que me fazem pensar, no meu próprio pensar, no meu modo de agir, naquilo que devo manter, no que devo mudar... Livros que me motivam a procurar viver de um modo melhor.

De volta ao lar. Pizza devorada numa genuína alegria e muita querida bagunça. Vamos à cama fazer naninha. Rola prá cá, rola prá lá, Vivi custa a dormir, diferente das suas noites habituais.

Pego novamente teu livro. Aos poucos ele se achega, primeiro "lê" comigo, prá depois arrebatá-lo de minhas mãos. Folheia minuciosamente páginas e páginas. Olha prá mim e sorri. Vê de novo teus retratos e os acarinha. O que ele vê e percebe? Não sei, só sei que olha prá mim e ri. E depois de algum tempo faz sinal de tchau e diz: "Tchau mamãe". É o seu desejo de Boa Noite e devagar deita e vai adormecendo, num sono bom de bebê-menino.

E fico aqui a ninar sua alma doce, a ler teus escritos tão cheios de amor e vida. E a desejar "Pequena-Grande Cris que tuas noites, teus dias (Teus e de Francisco) sejam muito especiais e recheados de amor. E que tua alma faceira encontre a realidade de viver um novo amor, se assim for o teu desejo. " Que o teu ser que se veste de listrado, florido, bordado, liso, estampado possa sair pela vida e dela obter o melhor. Pois conosco reparte muito, a sua dor, muito mais - o seu amor, o seu empenho em continuar vivendo o melhor, reparte o otimismo, reparte a resiliência que deveria existir e ser cultivada por cada um de nós! Tua voz exala doçura e uma calma alegre, serena, perene. É a tua essência que te veste! É través dela que és a melhor mãe do mundo que o Cisco poderia ter. Menino abençoado. É pelas tuas mãos que ele trilhará o que tiver que ser. Abençoadas sejam as tuas mãos, as tuas letras e ideias, a tua alma, o teu ser!

Lorena Pôssa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lara disse...

leio seu livro de tempos em tempos. sempre me emociono. amo o blog, mas as páginas impressas parecem que me atingem mais. gosto de pegá-lo, folhear, sublinhar algumas passagens. gosto da relação que construí com você, mesmo você não imaginando quem eu sou. obrigada por isso, Cris. obrigada por me dar de presente não apenas você, mas também seu filho e seu amor. que ainda são seus, mas a história é tão linda, que me orgulho dela, mesmo de longe, mesmo daqui.

mandei um scrap pro guilherme tempos atrás e hoje, folheando o livro fui mandar outro e aquele não está mais lá, deve ter sido algum erro do orkut. mas resolvi vir aqui falar com você do orgulho e da alegria que me da saber de tudo isso. e a vontade de chorar que vem junto, o medo, o desespero e a vontade da sua e minha volta por cima.

obrigada por isso.

Léia Carvalho - LC disse...

Esse livro é tão maravilhoso que deveria ser comprado por muito mais do que R$1000 reais, valor que ele não chegue nem perto quando compramos na livraria, pois é quase simbólico o preço. E quando lemos é como se passasse a valer uma vida, uma não mas três.

Daniela Moreno disse...

oi Cris!!
Adoro e assino teu blog. Comprei teu livro que devorei em 2 dias...
Acompanho vc desde quase o início, mas se vc me permite vou fazer uma pequena crítica (mesmo entendendo de correria, crise, prioridades!!!)... VC NÃO ESCREVE MAIS NO BLOG!!!!!!
Todo dia corro por minhas assinaturas e procuro em vc uma nova postagem... mas não encontro mais aquelas palavras que tanto nos emocionam!!
Eu, pelo menos, sinto falta de vc!!!! Nem por isso deixo de te admirar...
beijinho de saudade e admiração

Brechó Maluco disse...

Oi Cris... Eu ganhei o livro da casa do brechós, já tinha lido o blog de cabo a rabo e inclusive escrevi um e-mail pra vc contando a história do meu namor q eh bem parecida com a do Cisco (desculpe a intimidade)... Li o livro em 2 dias e me emocionei novamente e vi q a vida continua sim, mas com mais beleza...

Espero do fundo do coração que Deus continue te iluminando e que pelos olhos de teu filho possa sempre ver o Guilherme e que um dia o Cisco o conheça atrvés desse mesmo olhar...

Beijo no coração de vcs...

Ariete cardoso