quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Pista.

Você brincando de deslizar o carrinho nas minhas costas. E ainda tem gente que diz que a vida não tem poesia.

16 comentários:

MANU AO PÉ DA LETRA disse...

Meu Deus, eu acho isto tão lindo!!! Simplesmente amo quando o meu afilhado me faz de pista. Diga lá um filho. Pura poesia.

Isa Lorena disse...

Só tem.

Priscila Rôde disse...

Quem diz que na vida não tem poesia pouco sabe da vida, da poesia!

Uerlle Costa disse...

o que mais existe nisso é poesia.Com ondas de amor sincero e puro.

Beijos.
Seus sentimentos demonstrados aqui me são tão agradáveis.

a_girl_feeling disse...

Que queriido!! :) bjsss

Eraldo Paulino disse...

E mesmo quando ela não tem... aparece pessoas como vc e proporciona pra nós!

bjs!

Tita disse...

Eles são mesmo imprevisíveis. Outro dia, enquanto eu ouvia a pneumo do meu filho durante uma consulta ele posicionava meus braços pra poder fazê-los de pista de corrida.

D. Martins disse...

Eu acho que a grande mágica da vida estar em reinventar momentos.

Brincar com o filho de pista, de nave espacial... é algo de valor inestimavel. É nessas horas que a gente vê que a vida vale a pena!!

beijos! =)

Diane Lorde disse...

E ainda ganhou uma massagem grátis!rss

Viagens&Fotos disse...

Cris Guerra: Você é PAZ!
Delicadeza. Uma história de vastas emoções, que desperta reflexões e sentimentos densos, mas às vezes também leves, como ao lembrar de uma criança brincando de carrinho no corpo da mãe! Valeu.
Beijo.

BeteVaz disse...

Há horas que estou a ler Para Francisco. Não consigo parar,
nem de ler nem de chorar. Comecei a ler do início.
Densidade total.
Agora me deparo com este mais momento poesia, um deslizar alegre e poético.
A poesia está em você.
Leveza, sensibilidade.
Acima de tudo, delicadeza.
Lindo. A forma. O conteúdo. Tudo. Inclusive o sol lá fora.

Estava Perdida no Mar disse...

É q tem gente que só se apegar no GRANDE da vida, nos carrões...e esquece o prazer de ser pista para os carrinhos de quem ama. Quanta poesia! AMém

EVELYN KRYSTAL disse...

Só existe..

Carla Sizino disse...

Olá Cris! Acompanho sempre o seu blog "Hoje Vou Assim", pra ver as novidades, tendências e looks lindos com uma pessoa sempre sorrindo e fazendo graça, mas não sabia deste blog e desta sua história que me emocionou, também sou mãe e um amor que é o pai de meu filho, e chorei em ler suas palavras, mas percebi que o amor tudo sara, parabéns pela mãe que é! Este pai que está em algum lugar linda deve sentir muito orgulho de vocês! Um grande beijo

Nathalia disse...

Cris,

A minha mãe também era assim, igual a vc. Tinha essa mania de sair por aí escrevendo tudo.
Em um diário escrito a moda antiga, há contos, há pontos, exclamações e muita poesia. Nele há partes engraçadas e tristes. Partes incompreensíveis e divertidas...
Manuscritos de histórias que só a gente sabia, segredos guardados e muitas palavras que só ela entendia, que só ela traduzia.
E ficavamos assim, conversando.
Mas o principal, aquilo que sobra, que é importante em meio a tanta coisa, é que ele é sobre a gente.
E só isso faz todo sentido.

Nasca disse...

é que tem gente que não sabe o valor dos carrinhos, carinhos.. :*