quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

E como falo.

Não falo de um amor perfeito, filho. Falo de um amor real. E essa talvez seja uma de suas grandes qualidades. Falo de um encontro, de um acreditar. Não falo de planos, prestação de apartamento, lote para construir, projeto do quarto do bebê. Não falo de planejar a próxima viagem de férias. Falo de uma sinceridade. De um estar inteiro, a cada momento em que se decidia estar. Falo de um sorver a vida como se bebe vinho ou café quentinho. Falo de muitos sins e também dos nãos. Nãos que também eram de amor. Falo de uma certeza que tinha curto prazo de validade, mas renovável a cada dia. Falo de cada novo dia em que era bom não ter a certeza, para de novo merecer o desejo. Falo de um desejo que nascia a cada sol. Falo de uma construção. Que foi dura. Falo de amor porque antes falo de amizade. Falo de corações puros, no sentido menos ingênuo da palavra. Falo, não porque ele não está mais aqui. Ele sabe do que falo. Falo de mim, falo do seu pai, falo de nós. Falo de você.

25 comentários:

Cybele disse...

essa vida realmente nos dá o que falar...
e é incrível como, apesar dessa falta enorme que sente, só possui coisas maravilhosas para dizer...
parabéns.
pela força e pela beleza que demonstra com a sua fala.

Marcele Sganzerla disse...

Oi Cris, mais uma vez parabéns pelo seu anjinho lindo... Meu sonho é ser mãe também, você me inspira ainda mais...
Comecei ler seu blog e ja terminei, ai fico entrando toda hora pra ver c vc ja postou novamente, e como vc disse q saiu na revista Criativa de Janeiro, fui nas bancas ver c achava e naum achei, como vi que você comentou na última postagem que tem o arquivo, vc poderia me mandar?
marcele_portal@hotmail.com
Quero muito ver a matéria, pois me emocionei com sua história...

VC é guerreira...é herdeira mesmo!

Abraços

Mariana P. disse...

Há momentos na vida em que sentimos tanto
a falta de alguém que o que mais queremos
é tirar esta pessoa de nossos sonhos
e abraçá-la.

Sonhe com aquilo que você quiser.
Seja o que você quer ser,
porque você possui apenas uma vida
e nela só se tem uma chance
de fazer aquilo que se quer.

Tenha felicidade bastante para fazê-la doce.
Dificuldades para fazê-la forte.
Tristeza para fazê-la humana.
E esperança suficiente para fazê-la feliz.

As pessoas mais felizes
não têm as melhores coisas.
Elas sabem fazer o melhor
das oportunidades que aparecem
em seus caminhos.

A felicidade aparece para aqueles que choram.
Para aqueles que se machucam.
Para aqueles que buscam e tentam sempre.
E para aqueles que reconhecem
a importância das pessoas que passam por suas vidas.

O futuro mais brilhante
é baseado num passado intensamente vivido.
Você só terá sucesso na vida
quando perdoar os erros
e as decepções do passado.

A vida é curta, mas as emoções que podemos deixar
duram uma eternidade.
A vida não é de se brincar
porque um belo dia se morre.





Um beijo com paz e energia em você e no Francisco. Lindos!

Zi disse...

Cris,
Sempre que leio seus posts, além de me beneficiar com tudo que vem de você, posso também sentir a energia boa, repleta de emoção, que vem do pessoal que visita teu blog. É a corrente do "BEM" que irradia amor...
Beijos

Morgana disse...

Cris,
Cheguei ao seu blog atraves da revista Gloss e me emocionou demais sua historia. Com certeza será a maneira mais linda de o francisco conhecer o pai, ele com certeza tem uma mae incrivel e te agradecerá mto por isso.
bjs e se puder me manda o arquivo com a materia que saiu na outra revista ( Criativa né? )
dimoresco@uol.com.br

Kika Bastos disse...

ontem eu indicava pra mais 2 amigas o teu blog e a gente falou exatamente sobre isso, sobre o teu olhar, sobre o que vc quer deixar como legado pro teu filho... lindo isso! Parabéns mais uma vez

Daniella disse...

Oi Cris! Li as matérias nas duas revistas e fiquei encantada com sua história, sua força! Logo depois fui conhecer os blogs e amei! Mas só hj tive coragem para escrever... Vc tem uma simpatia e um sorriso que inspiram confiança, parece que é uma velha amiga para quem podemos contar segredos e falar sobre bobagens, por isso tô viciada nos blogs acesso os dois diariamente! Rs.. E o legado que está ficando p/ o teu fofíssimo filho é rico, maravilhoso! Tb tenho um filho e sei que amor tão grande e 'louco' é esse! Rs..
Por tudo isso te parabenizo Pequena Grande mulher!

Cristiana disse...

Cris, é lugar comum o que vou dizer. Mas tem gente que vai viver uma vida inteira sem conhecer o amor que o Gui conheceu ao seu lado. Beijos, querida!

ale disse...

Puxa, o que a Cristiana comentou é exatamente o que eu ia dizer. Que é um privilégio ter vivido esse amor de verdade. Tem muita gente viva por aí que não sabe o que é isso. Mais uma vez, parabéns. Pela força, pelo talento e pelo amor que viveste e vive.

QUITÉRIA Design disse...

Oi cris! Assim como várias pessoas daqui, vim parar no seu blog por acaso e acabei lendo ele inteirinho numa tacada só. Muito bonito como você consegue passar para as palavras um amor tão bonito, um amor tão puro! Que lindo registro para o Cisco!
Como todos citam a matéria da revista, gostaria de conhecer - se puder me mandar também o pdf das matérias eu te agradeço.
um grande abraço! renata
rvvidal@gmail.com

marii disse...

olahh..nossa..li uma materia sua na gloss e axei linda sua historia.. e sua visão das coisas..eh lindo o jeito como vc fala do pai do francisco p ele.. e a sua historia com ele eh mais bonita ainda.. um motivo p seguirmos em frente qdo axamos ki tah td horrivel.. parabéns portd e um ótimo ano p vc e seu filho!!
beijos

Flor de Bela Alma disse...

Querida, vc me faz chorar sempre! Fica só o som do meu choro meio contido e da risada de vcs...Esse amor que te move é o amor que me encanta. Não acho que o amor seja um sentimento puro e essa é a riqueza disso tudo! Amar sem garantias é para mulheres de verdade, de fibra e de coração que bate!Vc é linda!Muito!Bianca

anna karolyne disse...

oi cris já que tá todo mundo pedindo as matéris vou pedir tb, fui a banca e não tinha mais nenhuma das duas.escrevi pra vc ontem.beijos
kamilla
kamillabeatriz@yahoo.com.br

Dani Barcelos disse...

Cristiana, hoje li a reportagem na Criativa e logo quis ver teu blog. Fiquei absurdamente impressionada com várias coisas: seu amor pelo Gui, sua vida com o Francisco, sua linda forma de escrever, sua maneira de deixar td isso para que seu Cisco leia daqui a algum tempo... Parabéns!!! Fiquei horas lendo seu blog, passeando pelas páginas saudosas,lindo lindo!! Parabéns pela mulher de fibra que vc é!!!!
BJsssss

Nina disse...

CRIS,
PENSOU NA ENTREVISTA? DÊ UM PULINHO NO NOSSO SITE www.alterosa.com.br/feminina E VEJA COMO É O QUADRO ESSA HISTÓRIA VALE A PENA VER.
UM ABRAÇO,
MARINA

- stefαne ★ disse...

Lindos!

Você, seus blog e os amores de sua vida.

Li sobre você na Revista Gloss de nº 4; sua história é emocionante!
Gostaria de parabenizá-la pela força devontade para continuar; afinal d e contas a vida é de quem faz.

Não desista nunca, você é uma princesa.

Beijos com carinho =*


Stefane

Ana disse...

ola..
li a materia na revista criativa,resolvi vim ver,nunca fiz isso,sempre achei coisa de qm nao tem o q fazer,mas me identifiquei com vc,pois vc escreve td q pesa sobre vc,td q de alguma forma quer pular pra fora... e vc esceve(simplesmente)... e nao faz o q a maior parte das pessoas desse mundo faria pra escapar da dor..qria uma ajuda sua, penso em fazer um blog pra copartilhar minhas "escrituras"..nao tive q superar a ida de alguem ainda... ms sao sensações relativas as suas..tenho 21 anos e as vezes desejo nao ter mais nenhum...
- abiffinha@hotmail.com

mandykitty disse...

Olá Cris, tudo bom??
Meu nome é Amanda, uma amiga minha me apresentou o seu blog.

Eu não sei bem o que eu poderia dizer perto das coisas maravilhosas que escreve, então resolvi ser mesmo simples e direta.
Obrigada.

É magnífico ver uma mulher com tamanha força, tamanha beleza, tamanho amor. Fui apresentada ao blog num dia que precisava, e hoje precisava ainda mais e li coisas que me fizeram me acalmar.
É a sua maneira de encarar a vida, que no fundo é a minha maneira também, mas parece que precisamos às vezes de um terceiro, mesmo um terceiro oculto, que nos diga aquilo de uma maneira que possamos aceitar.

Vc é mágica com as palavras.

Obrigada então.

Amanda

Vanessa disse...

Oi. :)
Encontrei seu blog à um tempo através de uma comunidade do orkut. Li e me surpreendi com sua força, só uma pessoa com tamanha coragem consegue escrever para teu filho relembrando um passado muito bom, mas doloroso.
Parabéns por ser essa mãezona, e por ter tido um amor lindo.
Suas palavras enchem meus olhos de lágrimas e me fazem ver que amores verdadeiros nunca se acabam.
Parabéns pelo blog tbm! =)

Obs: adorei as fotos, sua maneira de escrever, tudo!

:* pra você e pro Francisco

Anônimo disse...

Cris, aqui é a Renata (Renatinha, Batata, não lembro como vc me conhecia e me chamava) que estudou no Loyola e trabalhou com vc na Sorte Propaganda (nossa, qto tempo!). Estive em BH no fim do ano e, parada em um farol (já estou ficando paulista mesmo) achei que tinha te visto sentada na varanda de um restaurante com uma criança no colo. O farol abriu antes que eu tivesse certeza, mas mesmo assim fiquei feliz com a possibilidade de vc também ter sido mãe. Hoje abro uma revista que trouxe do trabalho e lá está vc, o filhote e um pouco da história de vcs estampados. Tantos anos sem ter te visto nem ouvido falar e em menos de 2 meses, 2 vezes... Resolvi então deixar um oi e dizer que ao ler o primeiro texto não tive como não ler outros e outros mais. Impressionante sua habilidade de entender e contar os sentimentos. Lindo! Um presente maravilhoso para o Francisco. Vale um livro, vale um filme. Bjos, Renata
mirandaribeiro@uol.com.br

Marcia Parassol disse...

Oi Cris,
Quando li em várias mensagens que havia uma matéria com vc e o Francisco nas revistas Gloss e Criativa, pedi ao meu marido que estava passando férias aí no Brasil para comprar as revistas, mas ele só encontrou a Gloss no Aeroporto do galeão. Dia 29/02 será minha vez de curtir umas férias no Brasil e vou solicitar o número atrasado da Criativa pois quero guardar esta reportagem com carinho. Seu blog é uma lição para muita gente que faz um drama por tão pouca coisa. Continue por você e pelo seu anjinho.
Abraços,
Márcia - Cascais

ipmello disse...

Oi Cris,
A Bia , Bela Flor Bela, me recomendou teu Blog. E, neste fim de semana surgiu a oportunidade de lê-lo.
Parabéns pelo impactante relato de vida!!!!!
Qdo. nos tiram o chão, o que fazer? A bagagem que importa é a que levamos internamente. É essa que conta. É essa que em momentos cruciais será o nosso suporte. Nosso ferramental.

Como diz a canção: “mas eis que chega a roda viva e carrega o destino prá lá“…

E é isso: como cada um fará a seguir após essas reviravoltas.
Alguns até saem matando....mas, vc.encontrou uma forma bem saudável de lidar com a dor. A tua, do teu filho e de todos que por aqui passam. Sem nenhum pieguismo ou sentimentalismo exacerbado.Tudo muito bem dosado!!!!
Original. Audacioso. Lindo.
Voltarei sempre. Bjs.
Isabel

Mel®© disse...

Não tem jeito.
Cada vez que volto aqui e vejo um post novo, me emociono novamente.
Dou-lhe parabéns novamente.
De pequena, vc não tem nada. É grande, muito grande.
E Francisco vai se orgulhar da mãe, do pai, da sua história, que embora seja triste, transmite tanto amor e confiança.
Sou apaixonada por seu blog.
Se sair o livro, avise.
Beijos!

Anônimo disse...

Bom, em primeiro lugar não acredito na morte,acho que seu marido passou para um plano superior ou inferior, ele cumpriu a meta dele nesta encarnação, e tenho serteza de que vc deveria partir para outra historia, com Francisco seu filho, ou com outro amor, porque vai rolar outro amor para vc , isso eu tenho certesa, portanto , bem va a luta, porque a fila anda, vc ficar parada enesta historia é pura perda de tempo. um gd beijo.

Pequena disse...

Anônimo, eu gostaria muito de saber com quem estou falando.

De qualquer forma, é importante que você não confunda o blog com a minha vida. O blog é uma parte da minha vida e existe justamente para que eu caminhe, olhe para frente e faça a fila andar. E a fila já tem andado.

Se você vivesse uma situação como a minha, entenderia a minha angústia em registrar as lembranças, não só para que meu filho tenha acesso a elas, mas principalmente para que elas não se percam com o tempo. Já perdi outras pessoas e sei que a vida, que é sempre mais forte, nos faz habituar às novas situações a ponto de nos fazer esquecer alguns momentos maravilhosos que vivemos ao lado de quem amamos. Isso já me acontece.

Quem me conhece sabe que eu já estou olhando para frente desde o dia seguinte à morte dele. Mesmo porque, eu não tinha outra escolha. Tinha um filho para criar e não seria justo com ele abrir mão da alegria.

E pode ter a certeza de que ele foi para um plano muito superior.

um beijo.