sábado, 13 de setembro de 2008

Até o fim.



Foi seu pai quem me apresentou Madeleine Peyroux. Um dia cheguei na agência e encontrei na minha mesa uma cópia do primeiro CD dela. Natural ele ter se apaixonado: aquele som traduzia como poucos o seu jeito de amar e viver.

Mas, diferente do Jack Johnson, a voz dela me soava intensa demais. Talvez porque o disco tenha entrado na minha vida naquele período em que eu e seu pai não estávamos juntos nem separados. Encontrar a gravação na minha mesa falava do amor dele, mas outras atitudes diziam o contrário.

Era uma noite namorando ao som de “J’ai deux amours” e no dia seguinte um silêncio triste a nos convencer de que ainda não era a hora de ficar juntos. Madeleine parecia cantar por mim a urgência de estar com seu pai, como se eu soubesse mesmo que algo estava prestes a acontecer. A voz dela chegava aos meus ouvidos carregada de uma angústia que me tirava o ar.

Agora, que já não há mais o medo de perder seu pai, faço o exercício contrário de tentar despir as músicas daquele significado. Porque, como o Jack Johnson, Madeleine Peyroux merece ser ouvida.

Mas foi há poucos dias, ouvindo “Dance me to the end of love”, que eu finalmente notei um verso da letra: “Dance me to the children who are asking to be born”.

É verdade. Foi mesmo por você, Francisco. Dançamos jazz, rock, samba, bossa nova. Separados, juntos, olho no olho, de rosto colado no meio da sala ou sozinhos, sentindo a falta um do outro. Dançamos e dançamos esse amor intenso que queria você.

Faz sentido tudo ter começado numa pista de dança. Cabe a nós dois, filho, continuar essa coreografia.

41 comentários:

Casa de Colméia disse...

passo sempre por aqui para ver suas belas palavras.hoje foi especial fechar os olhos e escutar a cançao.
Forte abraço

sarinha657 disse...

Linda,
Adoro as músicas que vc ouve..
Vc me faz amá-las e ouvi-las muito.
Bjus

dani ohara disse...

Faz sentido esse mesmo amor ter nascido numa pista de dança. Cabe a nós dois, filho, continuar criando a coreografia.

Lindo essa parte....

Dani Ohara....

Mari disse...

Vc escreve lindo!
As músicas que escolhe tb.
Bos

nina disse...

A música é perfeita e a voz, uau! agradeco por ter me apresentado. Amo esse estilo. Cris, vc ouve Billy Holiday? eu amo,é tudo de lindo.
Assim como sao lindas tbm as tuas palavras ao Cisco.
Bjs pra vcs dois e vamos dancar sim, sempre, porque alegra a alma

Bel disse...

... esta dança tua e do Cisco é daquelas que ocupam o salão todo e que nos prendem o olhar pela cumplicidade e unicidade do par! Daquelas que ocupam o coração todo...
Espero ... sempre... pelo livro em partituras.
Bel

Karen disse...

Linda esta música...a coreografia que vc e o Francisco estão dançando têm sido muito gostoso de ver...
bj

Lúcia Soares disse...

Dance, dance sempre! Música faz bem pro corpo e pra alma. Não conhecia a cantora. A voz é linda, a música uma delícia.
Você é linda, ter filho é uma delícia!

MorenaFlor disse...

Adoro o que você escreve, de forma tão pura, tão verdadeira... E a música é um espetáculo. Beijos.

Leticia disse...

genial demais seu blog.mesmo,mesmo,mesmo.nossa. :)
adorei essa idéia do seu player, acho que vou copiar. HAHA

te linkei,e vou te visitar sempre que possível, adorei como você escreve, parabéns! e o francisco com certeza vai gostar muito disso no futuro.
um beijo no coração :*

Tati disse...

Toda vez que venho aqui e leio um texto seu, fico arrepiada.

Parabéns!
E um beijo no seu Francisco! :)

Lori disse...

Lindas palavras sempre... Uma doçura infinita... Passo sempre aqui e saio diferente a cada dia dia. Obrigada!

eu disse...

A cada novo passo desta coreografia uma nova descoberta. E nós por aqui, acompanhando cada mudança de ritmo, tempo, sonoridade...
Quando chegar a minha vez de guiar pezinhos na dança da vida, vou lembrar de cada lição que aprendo por aqui. Obrigada por compatilhar.

Ju disse...

coisa linda de se ler, amor lindo o que vcs tinham...
aliás, a música? uma delícia mesmo
=)

Fernanda disse...

Cris,
Lendo suas descrições sobre a vivência com seu Gui, parece tão difícil encontrar um amor assim. Um homem tão raro ele foi, não? FAz crer na idéia de que certas pessoas precisam passar pouco tempo aqui. Perdi meu melhor amigo muito cedo, e ele era raro em sua delicadeza, gentileza. Sorria para as pessoas e para a vida, sempre. Sua morte causou uma verdadeira comoção. Uma multidão esteve no velório. Porque ele era assim, flor, quando prevalecem os espinhos. Muitos dias me sinto só, por desconfiar da possibilidade de encontrar alguém tal como vc encontrou.
MAs ontem li uma frase que me deu um certo alento e renovou mnhas esperanças: o amor surpreende. Parece tão simples, mas me pareceu verdadeira. Assim, te desejo isso, como boa energia pra semana que começa: que sejamos felizes, e, um belo dia, supreendidas pelo amor.
Com carinho, Fernanda

Estrela disse...

Até quando se dança só, um abraço nos envolve. Pode ser o teu mesmo ou. no teu abraço, o abraço de alguém.
Um abraço!

anna disse...

Estava um pouco resistente a ler este seu blog, porque sabia que ia me emocionar a cada post. Me emociono mais ainda com a maneira como vc consegue colocar tais sentimentos em palavras tão bonitas. Desejo tudo de bom pra vc.

Aline disse...

Estava na sala de espera da minha fisioterapia hoje e li sua história na revista seleções que estava lá... nem sei se é uma edição antiga ou não... sua forma de escrever me encantou. sua história, a forma que lidou com tudo me tocaram e eu terminei de ler meio sem ar. você escreve de forma tão intença e ao mesmo tempo com tanta sensibilidade!
Quando, no futuro, Francisco for ler tudo isso que você vem escrevendo tenho certeza que ele irá adorar e emocionar-se muito!
Que vocês dois sejam muito felizes!
tudo de bom!
beijos!!!
Aline

helga disse...

Eu acabo de me apaixonar por Madeleine Peyroux!
Suas histórias são tão lindas Cris. Tão cheias de cor e sons...
Vida longa pra você, querida...
E muitas e muitas histórias...

Beijo grande,

Helga

Chris disse...

Oi Cris!
Também sou Chris, mas com h.
Há muito que venho lendo seu blog e acho maravilhosa a maneira que vc encontrou de mostrar ao seu filhinho, o pai maravilhoso que ele, infelizmente, não teve a oportunidade de conhecer...
Suas palavras são tão tocantes!!! O modo com que vc fala de coisas simples é tão delicado e é tão sensivelmente declarado! Me apaixono por suas palavras e seus contos! Imagino o Francisco, quando ele puder ler e compreender o significado de tudo isso, que vc escreve de modo tão maravilhoso!
O "seu" Gui não morreu, Cris! Porque ninguém morre, enquanto permanece vivo no coração de alguém! E ele, certamente está vivo no seu!
Você é muito especial!!!
Um abraço
Chris

Mário Sioli disse...

Quando falamos com o coração o texto fica tão encantador, mesmo quanto o assunto é a saudade...
Mas como dizia um poeta: "Ninguém está tão longe quando se encontra na parte de dentro no coração".
Muito bom essa página, foi ótimo descubrí-la!
Uma semana de paz a ti
Beijos

Anônimo disse...

Oi Cris, obrigada por deixa os anônimos se manifestar no seu Blog, sou anônima, mas não sou sacana, adoro vc e suas idéias dos 3 Blog's, vc é muito inteligente, gostaria de ter tido essa idéia, às vezes fico com inveja de vc ter bolado esse blog, pois seu filho vai ter mais um motivo para se orgulhar de vc, queria saber escrever como vc para fazer, um blog tipo esse para minha linda filha. Parabéns por todo sucesso, vc é uma pessoa bacana, gostaria muito de te conhecer um dia, mas agora vai ficar mais difícil, por q vc está cada dia mais famosa e distante de nós pobres mortais rsrsrsr. Bjão fica com Deus.
SA.

Anônimo disse...

Estou doida para ver fotos novas do Cisco, ele deve estar enorme, criança muda muito rapido.

Lari Saram disse...

Continuo passando por aqui para me inspirar e ver nesse teu amor um um pouco da cor que eu posso trazer pra minha vida.
Música deliciosa!
Beijos

Anônimo disse...

oi cris. comecei a ler seu blog das postagens mais atuais pra trás. gostei tanto, me emocionei tanto, fez tão bem pra minha alma, q ontem decidi ler tudo, desde o very beginning. e o fiz. e, mais uma vez (já te deixei algumas palavras aqui), obrigada! sua força, sua história, sua luz, seu grande e contagiante amor, lavam e perfumam de jasmim minh'alma, e me fazem querer sempre e cada vez mais amar meu amor, simplesmente amar, estar presente, curtir cada momento com ele, não deixar nunca meu desobediente ego tornar nosso amor corriqueiro, mas sempre especial! obrigada por tão linda lição de vida! e muito mais luz ainda na sua vida e do cisco :)
com carinho, nina

danisiinha disse...

ai cris.... madeleine peyroux..... amo , amo , amo...
mas é engraçado uma coisa que cv escrveu que aconteçe comigo.. as vezes prendo sentimentos ruins as musicas e nao consigo escuta-las por nada , se escuto me da angustia !
mas que bom que vc fez as pazes com madeleine.. e dance me to...
é simplesmente linda !
adorei como sempre!

Luiz Felipe Leal disse...

quero saber dançar.




queria.

abraços fortes.

Jessica Finco disse...

Cris,minha melhor amiga perdeu ontem o ex namorado, por quem ela ainda era apaixonada,e ele também.Viviam naquele eterno rolo,mas amavam-se muito,e isso era nítido,mesmo nesse um ano separados,e tendo ficado um anjo juntos.E por coincidências também, o nome dele também era Guilherme,nosso querido e amado Gui.Se você pudesse escrever pra ela Cris,eu tenhp certeza que a ajudaria muito nesse momento..ela perdeu o chão e acho que você entende perfeitamente o que é essa sensação.Podem ser poucas palavras,mas sei que a ajudarão,até porque já a temposm passavamos por aqui,as duas,e admiravamos sua força,seu amor..até comparavamos nossas sensacoes de perda com a tua,mas agora,que ela está passando exatamente por tudo aquilo que você descreve aqui,acho que a dor está sendo bem maior.Por favor Cris,se puder,escreva pra ela, o email dela é kath_kobuta@hotmail.com
Obrigada Cris.e que Deus esteja com todos nós.

ana paula disse...

Nossa, essa cantora lembra muito Billie Holiday!!! Muito legal o som...

Tia Jú disse...

Li sua história...chorei com ela...e te admiro sem nem te conhecer.

Ouvi a música e já baixei várias outras da Madeleine para mostrar para o meu marido, que aprecia uma boa música.

Parabéns pela sua força!!

Sir Van de Toulon disse...

Lindo, lindo, lindo, como sempre. E intenso. Posso ver aonde os passos dessa dança podem te levar: Ao infinito!
Encantadora.

Tatiana disse...

Lindo.......

Vandrei disse...

Cris,
Farei um post no meu blog só pra você, porque você merece.
Posso?
Seu post, como sempre, deliciosamente incrível.
Beijos!

katharine kobuta disse...

cris, a primeira vez que entrei aqui não entendi o porque de tanto frio na barriga, e tanto carinho que me fez entrar todos os outros dias pra ler tanto amor, igual o que eu sinto. eu tinha o meu amor, também se chamava Gui, mas me deixou na madrugada dessa segunda, num acidente de carro.
queria ter um pedaço dele aqui comigo também, e ele dizia que não via a hora de ter o moleque dele, o nosso.
por favor, fala comigo...me ensina e ser sublime assim como vc.
kath_kobuta@hotmail.com

Marina disse...

Cris estou tentando novamente. vamos ver no que dá. marina

Me Myself I disse...

Adoro esta música! É linda, sem dúvida! Não consigo evitar dançar de cada vez que a ouço!

Descobri o teu blog agora, e isso já me fez chorar. Mas mais do que tudo, fez-me ver como a tua alma é bonita.
Parabéns pelo blog, Cristina, parabéns por existirem pessoas como tu no mundo, parabéns pelas palavras doces que deixas ao teu filho e muitos parabéns pelo Francisco!

karimeantunes disse...

Tenho 3 filhos e todos os dias acordo com medo d perder o pai deles...Penso q sem ele não conseguiria continuar...Qdo. leio vc, consigo sentir e é impossível impedir as lágrimas...
A palavra q me vem sempre..."EXEMPLO"...Adoro "sentir" o q vc escreve!O Francisco tem um ótimo pai e com certeza uma mãe INCRÍVEL!

Luiz Felipe Leal disse...

foi vc quem me apresentou madeleine, e eu gosto.

Gustavo Gitti disse...

Engraçado, você também fala em "construir mundos" (há uns 4 anos, fiz um post com os mesmo título até: "mundos" e falo assim o tempo todo!) e também gosta de Madeleine Peyroux e da música com o título mais lindo de todos os tempos (do Cohen): "Dance me to the end of love".

Fico feliz.

Beijo

Gustavo
http://nao2nao1.com.br

roseana disse...

Criss...
Vc fala de musica o tempo todo e tenho a impressão de que a que mais te traduz é o tango;intensa,carnal,verdade pura, complexa e simples ao mesmo tempo.
Te admiro inesplicavelmente.
roseana.

Mariana disse...

É tudo de uma doçura sem igual...
Um abraço musicado a vocês.