quarta-feira, 3 de outubro de 2007

Quase nada.

Hoje fui fazer um exame na mesma clínica onde fazíamos as ultrassonografias durante a gravidez. Parei o carro no mesmo lugar de sempre e, no caminho a pé até o local do exame, me lembrei de como eu e seu pai disfarçávamos a ansiedade antes de cada ultrassom. O primeiro deles foi o mais difícil. Insegura devido a dois abortos que tive no meu outro casamento e depois de ter tido um sangramento, eu tentava preparar seu pai para o pior. Nem deixei que ele curtisse inteira a delícia de saber que ia ser pai, tamanho era o meu medo de que ele sofresse uma decepção. Esperamos bastante até ser atendidos, mas na hora H vimos uma coisinha de sete milímetros cujo coração batendo se fazia ouvir em alto e bom som. Era você. Eu me lembro que seu pai segurava nos meus pés descalços e apertava meus dedos, enquanto eu chorava por finalmente ter “chegado lá”. Um outro coração batendo dentro de mim, isso era milagre. Ele chorou também, eu sei. E saímos do consultório como dois adolescentes. Nos abraçamos na porta e choramos mais, misturando soluços e risadas. No caminho de volta para o carro, um desses momentos em que a gente sabe direitinho o que é felicidade: aquele espaço rápido entre uma ansiedade e outra, entre um problema e outro, em que tudo parece perfeito. E é.

8 comentários:

: : Ju : : disse...

Acho que felicidade é isso mesmo: saber reconhecer esses momentos de perfeição enquanto ainda estamos neles. Que venham muitos outros assim pra você e o Cisco, Cris!

Marina disse...

OI, Cris!! Como vão vocês dois? Nossa, eu também me lembro bem da primeira ultra e da sensação de ter um outro coração batendo dentro de mim. Sensacional! Adorei sua descrição de felicidade. Espero que sua vida seja cheio destes momentos!! Um beijo em vc e outro no Francisco!

Ana disse...

Ei, Francisco! VC era tão pequenino e já provocava essa emoção toda?! Poderoso, vc, hein, rapazinho?
Beijinhos,beijinhos

Maria Luiza Pedrosa disse...

A definição de felicidade sua foi simples e clara. Dá vontade de congelar esses momentos e não deixar passar nunquinha, ser só nosso para sempre.

Renatinha Renault disse...

A felicidade está nas coisas simples e perfeitas da vida...
Muuuuuito legais os seus escritos!!!
Te achei no "mundo público-particular" dos blogs!!!
Espero que vc não se importe!!!
Muuuuuito legais os seus escritos!!!
Depois me visita tbm!
Bjok

Scitech disse...

Poças, vou apontar...

felicidade: aquele espaço rápido entre uma ansiedade e outra, entre um problema e outro, em que tudo parece perfeito. E é.

Magnifico!!!

que é a Luísa disse...

Post lindo, Cris. Lindo, lindo.

Juliana disse...

que coisa mais linda e deliciosa!