quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Afogando.

Há dois meses entramos na natação, eu e você juntos. Eu queria aproveitar esse seu prazer de estar na água. O nome da modalidade é "Mãe na água" e eu fiquei animada para ter um momento só nosso. Achei que ia ser gostoso pra você e muito, muito fácil pra mim. Mas eu não tinha parado pra pensar num detalhe. Como hoje os pais participam muito mais da vida de seus bebês, alguns coleguinhas vêm acompanhados de seus respectivos pais, e não de suas mães. Fora o caso de duas gêmeas que vêm com os dois - a mãe cuida de uma, o pai cuida da outra. Então a maior dificuldade é da mamãe aqui. Ao conviver com todas aquelas famílias completinhas, bonitinhas, certinhas, eu é que acabo ficando sem ar. A última aula, por exemplo, foi a despedida do ano. Todas as turmas juntas numa piscina só. Acho que a professora temeu por mim e me avisou antes: "Traz um tio, um parente, a festa é da família". E eu convidei sua tia Tissa, que veio com aquele sorriso doce de sempre. Mal entramos na piscina, fizemos a rodinha do cumprimento entre as crianças e lá estava eu, chorando feito uma delas. Ainda bem que no meio da água eu pude disfarçar. Os pais hoje são muito participativos, filho. Devia ser mais fácil ser mãe viúva no tempo da minha avó.

11 comentários:

Grapuccino é... disse...

Imagina que fofinho seu filhote todo feliz dentro da água!! Isso deve valer mto a pena!!

Fique firme Cris, seu sobrenome não é em vão!!!

=*

Glenda disse...

Cá estou eu com meu mais novo vício... Ler, emocionar e me deliciar com estes blogs tão fofos e emocionantes...

Fiquei imaginando o Francisco dentro da piscina todo serelepe, batendo as mãozinhas dentro da água, e todo orgulhoso com a mamãe e com a titia que foram prestigiar sua primeira festinha de final de ano. Ao contrário do que você escreveu Cris, acredito que qdo o Cisco crescer e ler todo o blog, ele vai dizer... "Aposto que apesar dos meus amiguinhos terem papai e mamãe na festinha, eu tinha a mãe mais fofa e style da festa"... rsrsrssr

Cris, queria te dizer que fiquei super feliz com sua resposta e mais ainda por ter te feito feliz com minhas simples, mais sinceras palavras. Imagino o quanto esta época deve estar sendo difícil para vc... Mas tenha força sempre... E saiba que agora vc tem uma pessoa que pedirá sempre aos anjinhos de luz que permaneçam sempre presentes na vida de vocês três...

Um beijo carinhoso,

Glenda

Fernanda disse...

Olá Cris,
li agora o seu blog todo, do início ao fim e tenho que lhe dizer que a admiro imenso; pela sua sensibilidade, frontalidade, coragem, sei lá, tudo o que faz de si uma mulher, e mãe, fantástica. Fiquei muito comovida com a sua história...
Desejo que 2008 lhe traga, e ao Cisco, muitas coisas boas, muitas bençãos, muita paz e amor.
Um abraço.

Ana disse...

Cisco peixinho...:-)

Fabiana Castro disse...

Olá Cristiana, tudo bem?
Seus textos chegaram até mim como uma brisa. De vez em quando passo por aqui, que é lugar de sentir e de nunca me esquecer de amar muito quem ainda está presente.

Obrigada por exalar força, sinceridade e ser um exemplo de vida. Parabéns, nunca deixe de deixar seu sopro por aqui, várias pessoas certamente precisam lê-la.

Um abraço para você e outro para o Cisco.

Fabiana Castro

Kica disse...

Podia até ser mais fácil ser mãe, mas era bem mais chato ser filho. Não tinha aula de natação modalidade 'mãe na água'...

Eu sempre te admirei por fazer natação com o Cisco no sábado pela manhã. As pessoas que têm o seu ritmo de trabalho, mal saem do quarto no fim de semana, que dirá de casa para entrar na água.

Eu detesto água. No inverno, só tomo banho porque sou casada, porque quando era solteira... (No comments...)

Hoje vou enviar 3 beijos. 1 pra Tissa.

Fabiana Castro disse...

Citei seu blog no meu último post, espero que não tenha problema. Sou amiga do Saulo Guarise aí da Lápis, só ontem descobri isso, rs.

Bjos

Paula Barbosa disse...

Olá, Cris. POsso te chamar assim?
Bom, li seu blog todinho, e me emocionei em todos os posts. Também sempre tive medo de perder meu marido, e tenho esse medo ainda.
Parabéns pela força, pela garra e pela coragem.
Um beijo no Francisco. Outro em vc.

Mi disse...

Eu simplesmente amaria um relato desses feito por minha mãe sobre meu pai. Mesmo o tendo perdido com quase 18 anos.
O Cisco vai amá-lo pois vc relata com tanto sentimento e tanta sensibilidade que não tem como ser diferente!

Dedinhos Nervosos disse...

Que professora maravilhosa. Se preocupou com vc em meio a tantas outras pessoas. Bom estar cercada por gente assim. QUe Deus sempre te abençõe. Bjos.

Thais D. disse...

Veja só, eu lendo esse texto quase 4 anos depois de ele ter sido escrito.
Meu pai faleceu quando eu tinha 6 meses, e como ele estava nos Estados Unidos e eu no Brasil, também não teve a oportunidade de me conhecer. Ele sofreu um acidente de carro quando minha mãe ainda estava grávida de 7 meses.
Hoje, com quase 19 anos, ainda sinto falta do que não tive, do que não vivi. Do meu pai, eu só tenho fotografias. Que sorte tem o Francisco.