sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Vocabulário.

Afinidade, filho, é quando a gente tem muitas coisas parecidas com alguém. Pode ser uma coisa que a gente gosta de fazer, uma coisa na vida que emociona a gente, pode ser uma vontade, um sonho — ou muitos deles. Afinidade também é o que faz duas pessoas quererem dormir de conchinha, por exemplo. Ou o que deixa a sensação de estar levando a outra pessoa com a gente, aconteça o que acontecer. Como se ela fosse uma parte de você e você, uma parte dela. A capacidade de fazer o outro rir é outra deliciosa afinidade. Rir é o que faz a gente voltar a ser criança. Quando alguém sabe rir e fazer rir, a gente diz que essa pessoa tem humor. E quando uma pessoa tem humor ela sabe rir principalmente de si mesma – até nas situações mais difíceis. Difícil é aquilo que dá trabalho. Ficar sem seu pai, por exemplo, é muito difícil. Mas se a gente se esforçar, a gente consegue. Até porque não existe outra solução. Solução é o que resolve um problema. Um dia você vai ter o seu primeiro problema de verdade, vai encontrar a solução e vai aprender com isso. Ou vai descobrir que ele não tem solução — e vai aprender a se conformar. Problemas são importantes pra fazer a gente crescer. Eu queria que você aprendesse afinidade, humor, problema, solução, vendo o Papai e a Mamãe juntos. Mas nem por isso eu vou ensinar pra você a palavra frustração. Na hora certa, você vai descobrir. E vai saber o que fazer com ela. Papai e Mamãe não vão poder estar juntos porque no meio do caminho tinha uma palavra que a gente também tem que aprender: a surpresa. Que é o que acontece pra nos mostrar que a vida não pode ser controlada. Surpresas podem ser boas, como a sua vinda, ou ruins, como a ida do seu pai. Por causa desta última, eu e você vamos ter que aprender afinidade de um outro jeito. Vamos aprender juntos. Não sou só eu que vou ensinar significados pra você. Você também ainda vai me ensinar novos sentidos para muitas palavras, como está me ensinando um muito especial para a palavra amor. E tudo isso só aconteceu porque eu e seu pai tínhamos uma afinidade muito grande.

18 comentários:

Ana disse...

bonitinho

Cuca disse...

Comovente.

Kica disse...

Um texto deste merecia uma canção de Vinícius de Morais. Quem sabe algo como 'Desafinidade'...

Afinidade é algo que eu sinto muito pela sua mãe, mesmo sendo ela da turma que repara o corte da roupa de alguém e eu da turma que só veste liquidação de Carrefour, mesmo sendo ela da turma que joga peteca com os amigos na segunda-feira, e eu da turma que verifica e-mails somente na segunda-feira.

Mas assim como você, eu a amo demais.

Anônimo disse...

adoro vir aqui... lindo tudo isso.
sabia que vc tb mudou os sentidos de algumas palavras pra mim?
obrigada.
beijo na testa da pequena e do pequeno cisco.

Maurício disse...

É bonito o modo com que você cria uma base, um valor, para seu filho. Os textos podem ser usados como referência para ele e este é mais que uma tentativa, é uma poesia.

Pequena disse...

Tia Kica querida. Descobri que faltou colocar no texto assim: "Afinidade é o que faz duas pessoas se gostarem pra sempre, independente dos caminhos diferentes que elas tomem, do lugar onde elas vivam. Afinidade é o primeiro passo para o amor." E é isso que eu e o Cisco sentimos por você, minha grande e querida amiga de infância, infância esta que vai dos 0 aos 90. Um grande beijo.

Pequena disse...

Maurício, anônimo, Ana, Cuca, é presente ter vocês aqui, lendo, se emocionando e se manifestando. Alegria pura.

PaTi disse...

Cris,
Posso te chamar assim? Já me sinto tão próxima. Palavras lindas. Faço mestrado em literatura e acordei hoje angustiada com o trabalho que está por fazer. Mas por um acaso bom, achei seu blog. E minha manhã que seria afundada em teorias, ganhou brilho, de lágrimas também. Boa literatura. Li seu blog inteiro, compartilho essa angustia e compreendo essa dor do "nunca mais" também por causa de uma perda recente, prematura. Olhar as coisas que ficaram por fazer, as roupas estendidas no varal, a maquiagem ainda espalhada no banheiro antes de ela sair para a sua última festa, os emails por ser enviados que nunca chegarão ao destino... minha tia morreu quando faltavam 20 dias pra minha prima lhe dar uma neta. Da mesma forma que você quer conhecer aquele ator que parece com seu marido, quero um dia poder te conhecer, te dar um abração forte, conversar com você, tão madura e iluminada. Um beijo grande e voltarei sempre aqui. p.s- já tinha um escrito este recado, agora reelaboradinho, só que noutra página mais antiga. Nem percebi que era novembro. :)

Anônimo disse...

Este blog é a coisa mais bonita e mais triste que eu já li.

Maria Luiza disse...

Que lindo, que lindo, que lindo... Tem outras palavras não ditas cujo significado a gente aprende aqui: ternura, doçura, coragem. Obrigada, Pequena, Beijos

Pequena disse...

A visita de vocês me emociona muito. As palavras também. Eu me sinto abraçada.

Um beijo para cada uma.

Pati, também fiquei com vontade de te conhecer e te dar um abraço bem apertado.

Fe Klink disse...

Você é sempre tão sincera, tão exposta, consegue tirar as palavras lá do fundo, aquelas que a gente nem percebe que está dentro, e sempre me faz chorar, lindo. Fique tranquila, talvez não seja dessa maneira que vc vá ensinar afinidade, mas com certeza ele saberá o significado da palvra amor.

Bjs
Fe

Pequena disse...

Um beijo carinhoso, querida Fe.

dani disse...

Dani....


Como deu ja disse:

Vc me ensinou a amar mais!!!!

Danielle disse...

lindo!

Viola disse...

perfeito

que é a Luísa disse...

Quando seu filho ler isso, ele vai descobrir também o significado da palavra "dom". Você tem os dons de escrever e de amar surpreendentes, Cris. Não me canso do seu blog.

Um beijo!

Savana Torres disse...

Cris,seu blog não teria como ser melhor...Cheio de sentimentos,palavras bonitas,muito amor,nunca vi coisa tão linda.Li por completo e a cada página lida,ficava mais emocionada.Apartir de agora irei acompanhá-lo.

Estás de parabéns,seu filho é muito amado,tenho certeza.Deus vos abençôe lindamente,beijos mil.