quinta-feira, 10 de julho de 2008

O berço.

Poucos dias depois da notícia da gravidez, vi seu pai fechar os olhos e sonhar com o filho a ocupar o berço bonito que um dos seus grandes amigos tinha feito para os filhos - com as próprias mãos. Amigo que seu pai admirava, entre outras coisas, pela “mãe” que ele sempre foi para seus meninos.

Essa é a história do berço em que você dorme, filho. Foi seu pai quem buscou na casa do amigo e montou no seu quarto, com carinho e orgulho, sem imaginar que não estaria presente para ver você dormindo lá.

Quem diria que o amigo que fez e emprestou o berço, numa brincadeira do destino, acabaria namorando a viúva.

Você era bem pequeno quando ele começou a freqüentar nossa casa e não vai se lembrar das mãos grandes que o pegavam no colo com a desenvoltura de quem levanta uma taça.

Talvez por ter vivido outras perdas e por estar ciente de que seu pai não iria voltar, um antídoto rápido correu em minhas veias trazendo o aviso e a urgência de outro amor. Cedo descobri que eu estava bem viva e os meus olhos, abertos.

Não sei definir tudo o que ele trouxe naquele momento tão especial e delicado. Conviver comigo e com você, num tempo em que nosso laço era ainda físico, num tempo em que quase físico era ainda o meu laço com seu pai. Aguardar com paciência as horas das mamadas, nos dar a sorte de estar presente em alguns momentos das suas cólicas, em que eu simplesmente não sabia por onde começar.

Teria sido difícil para qualquer pessoa. Talvez fosse bem forte a sua vontade de estar comigo. Só sei que, no meio do barulho e do silêncio, houve espaço para o amor crescer.

Enquanto eu aprendia a lidar com a sua presença, filho, eu e ele aprendíamos juntos a lidar com a falta do seu pai. Mesmo sendo para cada um de nós faltas bem diferentes, era alguma coisa a partilhar. E assim a memória do seu pai nunca nos afastou, ao contrário: falávamos de nós, íamos nos conhecendo, mas em boa parte das conversas o Gui estava presente e não havia constrangimento quanto a isso.

Eu tinha você, ele tinha os filhos, tínhamos nossas vidas, trabalhos, obrigações. E ele tinha seus fantasmas. Hoje, vejo que eu também tinha os meus.

Eu queria amar de novo, e amei, mas algumas coisas só vêm com o tempo. Até mesmo a compreensão de que, apesar de amar, eu estava carregada de carências, anseios, faltas que ele nunca poderia suprir. A falta do seu pai sempre será a falta do seu pai. Não há ninguém que venha ocupar esse buraco. E nem deve. Há outros espaços para outros amores.

Não sei se o namoro acabou porque ele encontrou outro amor ou se ele encontrou outro amor porque o namoro acabou. Nas frases curtas dos filmes americanos, tudo parece mais fácil. “I met someone else”, ele teria me dito. Hoje, está feliz e apaixonado por uma paulistana bonita que, embora comigo nunca tenha sido simpática, estava no seu direito. Foi a primeira vez que me senti trocada. Mas acho que 2007 foi mesmo um ano de novas experiências.

O tempo passou, quase não nos vemos, mas ficou alegria. O que ele veio fazer, com sua timidez e delicadeza, hoje compreendo. Chorar ou sorrir junto comigo, ser meu amigo naquele momento de transição para, juntos, chegarmos a outro lugar. Trazer para perto de mim o que do seu pai havia ficado nele. E também o que ele tinha de novo, de diferente. Abrir minhas portas para viver novos sonhos.

Seria ingenuidade pensar que ele também não tenha buscado um pouco do amigo em mim.

Foi um amor bonito. Foi troca. O mais bonito foi assistir aos olhares amorosos que ele dirigia a você. Acho, e já disse isso pra ele, que ele foi e sempre será um pouco seu pai também.

63 comentários:

mi pinheiro ' disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
disse...

eu viajo lendo as suas cartas para o francisco...
:)

bom restinho de semana!
bjs

Nina disse...

Confesso que poderia falar que quebrou o encanto. E isso seria num primeiro momento. Envolvida pelas tuas histórias, acho tão perfeita a sintonia entre vcs dois que é como se agora, houvesse existido um intruso, ao mesmo tempo que racionalmente, sei que não é assim. Mas isso só me passa pela cabeça num primeiro instante. Depois das primeiras linhas escritas por ti.
Sem mesmo ler o resto do texto, a ficha cai e vejo que antes de tudo, vc é uma mulher, e uma mulher forte pra caramba e a qual eu muito admiro. Pela força e pela coragem que vc tem de assumir coisas, de levantar a poeira, de reconhecer suas fraquezas, suas limitaçoes, suas carências. Admiro pra caramba! sem mesmo te conhecer pessoalmente. E depois me pego pensando no meu ciúme, de querer que vc seja só do Gui. E então acordo, porque vc está acordada. Vc tá viva! e bem viva, graças a Deus por isso.
Obrigada Cris, por me ensinar todo dia que a vida continua.

e fala aí quem foi essa paulistana bonita que não te tratou com delicadeza, vou já "esperar ela lá fora", humpf!

Carolina disse...

Nem sei por onde começar, viajei muito lendo essa carta. Uma desilusão como essa não deve ser fácil de aguentar. É a primeira vez que leio e já te admiro muito.
Beijos

Liliany disse...

Uma pena não ter dado certo. Apesar dos motivos que vc colocou, seria uma história bonita pelo ponto em comum que vcs tinham.
Bjo,

Dri_ disse...

Cris...

eu te amo tanto...







é a única coisa que consigo dizer agora...

Anônimo disse...

Como é lindo esse blog, fico encantada com o modo como escreve!
Lança um livro vai.... =)
Beijos

Ah! Meu nome é Carla. É a primeira vez que te escrevo, o dia q conheci esse bolg (1 mes atras) eu o li do começo ao fim sem conseguir parar! Vc é adoravel!!Sou fã.

Renée Samora disse...

Cris,

A cada dia mais te admiro...te adoro....

Sinto como se fossemos proximas...amigas....

Que bom que o amor chega as pessoas que mais merecem não é mesmo....

Bjão...
Renée

Maria Helena disse...

Cris....

Só quem é mãe consegue entender a imensidão do seu amor pelo Francisco, e por que não pelo Gui tb...
E menina, vc está viva, tem mais é que amar muito ainda, mas tenha certeza de que o Gui estará sempre num lugar que nunca será ocupado por ninguém... Por que cada amor é único, e como dizia o poeta: Foi infinito enquanto durou...

Um beijo grande aqui do sul para vc!

Mari e Heitor

dri disse...

Cris,
é isso aí.
Você tem que tocar sua vida.
É nova e linda.
Te admiro muito!

Carol e Gustavo disse...

Bom dia Cris.
O meu marido perdeu os pais quando tinha apenas 3 meses de vida, com a diferença de 1 dia de um para o outro... de uma forma muito estúpida, ele em um acidente de carro e ela devido a problemas no parto. Já se passaram 23 anos e meu marido nunca chorou a morte dos pais. Foi criado por uma tia que é uma mãezona e que o enche de carinho, amor e lembranças boas de seus pais, para que ele nunca se esqueça de onde veio. É lindo isso que vc faz pelo Cisco, ele vai ter motivos de sobra para se orgulhar do PAIZÃO dele e claro da MÃEZONA que vc é! Quanto a continuar sua vida... vc está mais do que certa! Vc é linda e cheia de vida... Parabéns por tudo o que vc faz!
Beijos.
Carol.

Anônimo disse...

Surpreendente este post...
Gostei muito do texto, pra variar, mas mais ainda da sinceridade que ele contém. Isto o torna muito valioso se pensarmos que daqui a alguns anos o real destinatário do blog terá acesso a ele. Valioso pela sinceridade e pela lição de que o amor, mesmo o amor romântico, foge dos padrões que a sociedade insiste em usar para descrevê-lo.
Abraço, Cris!
Maria Amélia

Anônimo disse...

há uns dois meses fui á casa de um amigo meu aí em bh e conheci essa pessoa que vc descreve. ele é realmente uma pessoa especial.

bjo

Anadri disse...

Você, guerreira, faz os nossos olhos se encherem de poesia e lágrimas (ou serão lágrimas de poesias?).

Natassja Neiva Moreno do Nascimento disse...

Oi Cris...

Vejo sempre seu blog... Faz mais ou menos seis meses q conheço a sua história!!

Acho linda a forma como vc nos passa tudo isso!!

Vc é especial... Guerreira, forte e ao mesmo tempo um poço de delicadeza!!

Deus te abençoe... E que ele possa ser sempre o teu consolo!!

Bjão...

=)

Juliana disse...

cris, cris, cris...
no dia em que eu te encontrar na rua... (porque tenho fantasias de que o acaso vai me propiciar isso...) eu vou querer te dar um abraço beeeeem grande, com todo o carinho que você merece.
você é linda.
um beijo! e um abraço bem forte!

Estrela disse...

Estranho o ir e vir do mundo. Os encontros e desencontrso que ele nos traz. Mas acho que é parte do processo mesmo, é preciso acreditar nisto. Um abraço!

Anônimo disse...

Lança um livro!!! conta mais da sua história com o Gui! fico numa ansiedade só esperando um outro capítulo aqui no blog!

Dri_ disse...

rsrsrs

O dia que a Cris lançar o livro, eu precisarei sair de férias. Meu tempo será só para saborear casa parágrafo...

Bianca disse...

Tem um presentinho para você no meu blog, passa lá!
Bjs

danisiinha disse...

vou ser repetitiva, eu sei , mas consigo sentir oq vc escreve sabe... nos mulheres na maioria das vezes coniguimos ir onde o sentimento da outra está com maior facilidade. exemplo: nao sou mãe , mas me comovo com seus textos maternalmente , de verdade...
e hj de novo me emocionei por aqui...
bjsss

Fernanda disse...

que coisa mais linda do mundo, cris.
a sua vida é pura poesia.

Karen disse...

Se abrir para uma outra pessoa em um momento tão delicado é realmente de uma coragem imensa. Mas são nestes momentos que percebemos o quanto as pessoas próximas nos fazem bem, e provavelmente por essa presença do Gui na vida de vocês os aproximou. Vocês se permitiram que o amor se estabelecesse naquele período, sem medo e isso foi muito bonito. Imagino o quão especial é esta pessoa para você, que lhe mostrou que sempre há espaço para outros amores sem que um substitua o Gui.

Eu, infelizmente, decidi fechar meu campo sentimental para balanço. Preciso me reestruturar primeiro para me permitir viver o amor. Por mais que eu acorde e siga em frente todos os dias a saudade de minha boneca ainda me deixa muito frágil. Ler seus posts me mostra que mesmo sem a pessoa que se foi, a vida continua bela é só abrir os olhos para ela.

bjs

Duas disse...

leio muito, comento pouco e choro sempre.

e na hora em que estava lendo este post, o arte-finalista aqui da agência, que toca acordeão tava tocando Como é grande o meu amor por você.

Mais lágrima. Sua história é linda porque você sabe contá-la com tanto amor.

Isso é frase já feita, mas vale: o amor sempre vem.

beijo,

elisa

fabiane disse...

acho que você expõe tudo demais: você, seu filho, sua história.
não é um julgamento moral, mas um comentário sério.
gosto de seu jeito de escrever.

Renatinha disse...

Cris,
Leio sempre que posso e compartilho sempre que me vejo nesta história. Já enviei posts retratando a similaridade da minha história com a do Francisco. Minha mãe se foi eu era ainda muito nova. Algumas lembranças ficaram... mas gostaria de ter dito a 'minha cris' pra me mostrar tudo de lindo que minha mãe tinha e que eu infelizmente não recordo. Bom, hoje tenho 30 anos. Meu pai se casou novamente há 16. Digo por experiência própria: enxergar a pessoa que você mais ama e admira no mundo(neste caso meu pai) sorrir, amar e viver novamente é algo absolutamente maravilhoso. É aprender a acreditar que na vida sempre existirão as segundas, terceiras... chances.
Um forte abraço e tudo de bom!

Edilene Viana disse...

Cris,

Só recentemente te descobri aqui, estou emocionada e apaixonada, queria muito ler isso tudo em papel - eu ainda sou daquelas que prefere o texto impresso - e andei olhando posts antigos. Me lembro, muito, do Opala amarelo, com a marcha no volante, que eu achava o maior barato. A forma como vc transforma e reparte a sua história é linda.

Bjs

Edilene

Aninha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Aninha disse...

adorei a homenagem ao querido "B". Beijos

Anônimo disse...

Bom Dia!Linda tarde!!!
Você escreve de uma maneira que faz eu viajar, imaginar.Quanta sensibilidade, delicadeza!!
Belissímas palavras!Você torna o trágico , suave, leve e até encantador!
Abraços!!
Thaís M M

Leticia Cimirro disse...

Cada um de nós tem uma história e sabe o peso da cruz que carrega...perdi meu pai aos 11 anos de idade e nunca me recuperei desta imensurável perda...achei a tua idéia de ter este blog, genial...é falando e escrevendo que eu também consigo amenizar a minha dor e saudade e continuar a minha caminhada.Também tenho um blog, mas ele é diferente do teu.Um forte abraço!;)

Anônimo disse...

Cris, que lindo. Nada mais para dizer.

Maíra disse...

Que lindo.
Sempre fico sem palavras ao ler seus posts.

Vandrei disse...

Querida,
Lindo o seu texto de hoje.
Coloquei o link do seu blog no 'status' do meu orkut.
Se você digitar 'Vandrei Nappo', acha fácil, fácil, rs.

Parabéns por ser guerreira e por escrever tão bem!

Beijos.

Eunice disse...

Você arrasou mais uma vez. Leio sempre, mas pouco comento pois além de v. me emocionar muito, o meu silêncio é minha forma de respeito a você. Hoje não consegui ficar quieta. Outros amores virão com certeza e num deles, v. achará o que procura. Bola pra frente!
Carinhos sempre, Eunice Sarmet

Aracelis disse...

Muito lindo seu blog!Esse amor deu certo sim!! Ajudou você num período crítico trazendo apoio e carinho.Não importa que não durou muito..durou o tempo suficiente para você juntar e organizar os caquinhos da sua vida.Não terá sido um anjo que esteve por aí??Beijo, querida!!

Sofia Fada disse...

Oi querida,
mais uma vez, você se superou...
a vida continua e outros amores virão com certeza.
Parabéns por encarar a vida de frente e nos ensinar isso, com toda delicadeza e beleza dos seus textos.
bjs
Sofia

SGi/Sonia disse...

Cris,
muito lindo, porque a vida realmente continua, amar faz parte dela.
Ocupar espaços. Jamais
Conquistar espaços. Sempre.

Você é linda, a maneira como trata tudo aqui é linda.
Francisco ficará feliz de ver que tudo pelo menos escrito, fica mais fácil entender.

Beijins

Anônimo disse...

Cris,

Conheço seu blog há uns 6 mêses. No primeiro dia, li todinho. Toda semana dou uma entrada aqui pra ver seus textos lindos. Fiquei tão feliz com esse último...Não entendia como uma menina tão legal, estilosa, inteligente não tinha um "Love"(vc entende o tipo de love a que me refiro, né?!). Desejo que vc tenha outro logo!!! :) Beijos e felicidades pra vc, Cisco e todos que ama.

Socorro disse...

Lendo histórias escritas dessa forma, me convenço que tudo que acontece em nossa vida tem uma ligação e um sentido que só o tempo pode nos mostrar. O berço, o filho, o amigo...penso que nossa mente humana não consegue entender tudo, mas a alma, esta imortal, conhece o seu destino. E aí está o mistério e a beleza da vida.
O blog é para Francisco, e quem sabe para Guiherme, mas, como outro dos mistérios que desconhecemos, ele pode servir, e muito, pra tantos de nós.

Anônimo disse...

Oi Cris,

Nossa, mais uma vez vc me fez sair daqui do Texas e estar presente na tua história.
A tua força é surpreendente e já falei, "quando crescer quero ser que nem vc".
Fique com Deus, bom final de semana com esse Cisquinho lindo e "nos vemos" no próximo post.

Marisa Wilhelmi

Rafaela disse...

Cris,

Descobri este blog através do hojevouassim e foi irresistível a vontade de te escrever...
Li quase todos os seus textos de uma só vez, chorei muito, mas muito mesmo, não conseguia segurar as lágrimas...
Me encantei com a sua história, com a forma delicada, poética que vc escreve sobre coisas lindas, sobre momentos imensamente tristes...
Posso te dizer que nos faz querer viver intensamente cada segundinho da nossa vida, demonstrar o nosso amor até que quase se esgote, porque podemos descobrir que tudo é tão efêmero...
A Felicidade de vcs nas fotos saltam pela tela do computador, é possível sentir!!!
E por fim, o Gui era mesmo uma pessoa especial, iluminade, pelas palavras e pela forma de ver a vida, do valor que parecia dar as pequenas manifestações da Vida!!!

Um beijo grande,

Rafaela.

Bel disse...

... na infinitude de um verdadeiro amor ela se deixa ir. Porque quando já se foi ao centro nunca se corre o risco de se perder no caminho. No labirinto do trajeto a força da infinitude do amor: aquele (quase) único.
Admiro-te sempre mais e espero pelo livro. sempre.
Bel

Elga Arantes disse...

Nos filmes iranianos, as coisas ocorrem de forma mais real. Lá, também usam frases curtas, mas simples. Ele sim, o simples, quando usado de forma respeitosa, sem o sentido depreciativo de simplório ou que precisa evolução, é, praticamente, o essencial.

Lindo blog. Indicação muito feliz de uma amiga querida.

Um abraço.

Silvia disse...

Você faz parecer que a vida, apesar dos pesares, é fácil... a gente que complica. Lindo blog.

Tatiana disse...

Suas palavras atingem um espaço maior do que você imagina... seu post me fez pensar sobre o egoísmo humano. Por um minuto me peguei desejando que você fosse etarnamente do Gui, que não amasse mais ninguém, porque a história é mais bela assim, porque os contos de fadas são assim...

Desculpe pela sinceridade, desculpe meu egoísmo. Deus permita que você ame muito, sempre!

Aninha disse...

Estava por acaso esfoliando a revista Seleções junho/2008 e cheguei até a matéria sobre tua vida...impressionada entrei no blog e realmente, uma linda história de amor. Uma lição de vida a mtas pessoas que se deixam abater por tão pouco....Parabéns!!!
Sucesso!!!Vc é mto especial pra Deus e não veio a o mundo por acaso!!!!
Teu filho sentira mto orgulho de vc.

Sabrina disse...

gostei muito daqui, adori a forma como você escreve, sua sinceridade, sua vontade.
tenho uma filha que se chama Clara, pela história, companheira de Fransico. Vivas aos nossos pequenos.
um beijo e até a volta!

Nanda disse...

O seu oposto aqui:

http://www.mattlogelin.com/

Ele perdeu a esposa no parto e agora cuida da filha.

Nanda Flor disse...

Cris;
Acesso teus blogs desde que te vi na Gloss.
Nossa, passei uma noite toda lendo e chorando...achei tudo mto lindo!
A visão poética que vc tem da vida é linda!E muito sutil.
E o AMOR?Uai,não há melhor definição para o AMOR como a tua vida.
Forças sempre pra vc e pro Cisco!!!(ps: que é lindão!)
Acesse meu blog, será uma honra receber visita tua!
www.reinodalegriaa.blogspot.com
Beijão carinhoso!

Lívia disse...

Realmente descobrir o que o tempo pode fazer e explicar é bom demais.
Vc corajosa em se abir aqui, e claro escrevendo sempre sempre muito bem.
Parabéns!

Letícia disse...

Teve uma manhã que acordei bastante assustada, choando até, porque tinha sonhado que meu namorado tinha morrido. Foi muito ruim, muito real a sensação, o sofrimento. Levantei e entrei na internet, já conhecia há poucos dias o Hoje vou Assim, e sem querer linkei no link para este blog. Fiquei impressionada com a coincidência e me solidarizei muito com sua dor (mesmo a minha ter sido só em sonho).
Fico feliz de saber que vc encontrou alguém depois. Bonito reconhecer a importância dele na sua vida, mesmo quando dado certo.

Letícia disse...

...(corrigindo)mesmo quando não deu certo.

Sofia disse...

O meu ano está sendo 2008... Eu espero conseguir ter um terço da força que você tem. Linda.

Ana Carolina disse...

O berço do Cisco é lindo mesmo, Cris...
E adorei o post. Beijos, querida.

Sara disse...

Eu fico pensando no quanto o Francisco vai se emocionar ao ler tudo isso quando estiver maduro e adulto. O quanto tudo isso vai fazer com que ele admire e a ame mais ainda.
Acho um belo gesto e nunca me canso de dizer isso.
Bjs

ana e o mundo disse...

Lindo e simples o que você disse. A vida não é feita apenas de alegrias, mas podemos - e devemos - aprender a rir até das tragédias. Ao invés de ficar chorando por algo ( ou alguém ) que não volta, é muito melhor continuar a viver e aceitar o que acontece. Nada é em vão...

Anônimo disse...

Cris, e eu que chorei! Pensava "Não, mas e o Gui? Não conte isso pro Francisco, mas Cris, eles eram amigos!" Chorei e depois ri, como posso ter esse sentimento se nem mesmo conheço o Guilherme e você nem sabe que eu existo?
Nunca comentei, mas sinto que vocês fazem parte da minha vida, e às vezes me pego dizendo à alguém que você é minha amiga, eu peguei certa paixão pelo Francisco que tenho um álbum de fotos no meu computador só com fotos dele, às vezes acho que vc está esquecendo o Gui e fico revoltada, ai Cris, me desculpe por sentir ciúmes assim, mas seu blog envolve sentimentos diversos e quando vejo as fotos do Gui parece que o conheço de muitos tempos, você juntos foram o casal perfeito, e daí surgiu o garoto lindo, com a bela mistura de vocês dois, e que vocês sejam felizes com novas pessoas porque vocês merecem

Ass: Cristilene

Clarisse disse...

Olá!

Escreva um livro!
Beijo!

nananmoura disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
nananmoura disse...

Você é fantástica!
Adoro ler seus textos e como, muitos, me sinto íntima. Você merece muito ser sempre muito feliz e amar o mundo com essa intensidade das suas palavras.
Um beijinho,
Nanda - Bahia

www.projetorealizar.org disse...

você me emociona e me encanta. sempre. todos os dias. é como um livro querido que abro todos os dias. e não quero que acabe porque é muito bom de ler.
1 b.
ana lins

Anônimo disse...

Cistilene completamente louca e carente. Que medo.