quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

A alma das coisas.

Uma caixinha pequena, com acabamento dourado e um espelho na parte interna da tampa, que ao se abrir revela o reflexo de uma bailarina rodopiando suavemente ao som de "Pour Elise". Este é o meu objeto favorito.

Além dele, uma plaquinha que encontrei entre as coisas da Vovó Juju depois que ela se foi, com os dizeres: "Em algum canto do coração, temos sempre vinte anos". Aquele poderia ter sido o seu epitáfio. Também por causa dela, tenho especial apreço por uma imagem de Buda em porcelana barata, que eu fitava em sua casa desde que me entendia por gente. Passei anos imaginando que aquela deveria ser uma relíquia valiosa. Depois de herdá-la, encontrei colada na base uma etiqueta do antigo supermercado CB Merci. No oco, descobri há pouco alguns algodões e um maço de notas de pesos argentinos – um verdadeiro tesouro, mesmo que já não valham nada.

Da outra avó, guardo cuidadosamente uma imagem de porcelana inglesa onde moravam meus olhos durante os almoços de Natal em sua casa: uma mulher e seu lago (seu próprio lago!). Gosto, não por ter sido da minha bisavó e pelo provável valor financeiro; gosto porque traz aquele encantamento da infância, e mais ainda porque minhas irmãs se lembraram disso ao me confiar o objeto, na hora da partilha.

Uma miniatura do Porsche 911, presente da Telida num dos meus aniversários, acolhendo minha paixão pelos carros. Com esse "carrinho", você sempre insiste em brincar. Não sem que eu sinta ciúmes — é que sempre desaparece uma das rodinhas, o que me põe em posições patéticas a procurar debaixo de camas e sofás.

Duas caixinhas ilustradas da Confeitaria Colombo, que um dia eu trouxe do Rio para o seu pai. Hoje, uma mora dentro da outra, na tentativa de guardar a sete chaves os cds de nossas músicas – e o tanto mais que os acompanha.

Um souvenir da Tour Eiffel que eu mesma comprei em Paris; uma miniatura de baú de viagem, toda etiquetada como se já tivesse rodado o mundo; um porta-termômetro dourado que meu pai ganhou na formatura de medicina e uma tacinha de licor que era para ele sua melhor lembrança da avó materna.

Se você prestar atenção, filho, vai descobrir que também já tem os seus objetos preferidos. E terá outros, ao longo da vida, que trarão lembranças, encantos, afetos, certezas, tremores. Algumas coisas têm essa sorte: tornam-se sinônimos das sensações que nos provocaram um dia. Sensações que escolhemos guardar. Por elas, ganham o privilégio de ter alma.

Dos meus, o mais vivo talvez seja a caixinha de música – que existe apenas na minha imaginação. Nunca a tive. Era sonho de criança ganhar uma de presente, mas não aconteceu. E é nessa caixa inexistente que a bailarina rodopia entre sonhos antigos e tolas esperanças, ao som de uma trilha simplória e abafada, que aí mesmo traz sua magia. Morando num invólucro que não existe, talvez seja mais fácil um deles um dia fugir e crescer. E eu particularmente torço por isso.

Feliz 2009, filho.

47 comentários:

Sayô disse...

"Algumas coisas têm essa sorte: tornam-se sinônimos das sensações que nos provocaram em algum momento da vida. Sensações que escolhemos guardar. Por elas, ganham o privilégio de ter alma."

Lindo isso!
Lindo voltar nossa atenção e apreço, a alma! Pois como diz Pierre Lévy: A ÚNICA TOTALIDADE QUE EXISTE REALMENTE É AQUELE QUE VOCÊ ABRAÇA. RIQUEZA INFINITA DA VIDA DA ALMA: SÓ ELA EXISTE, ELA É TUDO!


Desejo à vc, Francisco um 2009 escandalosamente cheio de lume, muita paz, todo amor e muitas descobertas e alegrias!

Um beijo
Sayô

marcia parassol disse...

Lindo Cris!
Que 2009 seja repleto de caixinhas de sonho.
Márcia - Cascais/Portugal

Jannie Abrita disse...

Lindo Post Cris,
obrigada por dividir isso com tanta ternura e me fazer derramar lagrimas de saudade.
Feliz 2009 pra vcs.

Anelli Sena disse...

Lindo Cris, delicado...que 2009 seja pra vc e pro pequeno de muita paz,saúde e realizações das caixinhas de sonhos...amei o livro...amei conhece-la e amo permitir que vc e sua delicadeza suavize minhas história.

Rossana Fernandes disse...

Cris,
Comptei o livro. Ontem, correndo.
Mas me dei de presente o livro que mais quis nesse ano.
To feliz.
Bom ano novo pra você e pro Francisco.
Bjs

Renata disse...

Oi, Cris!

Eu tenho objetos com alma. Um deles é o cartão da conta corrente no Banco do Brasil do meu pai, que já não tinha mais validade quando ele me deixou brincar com ele. E eu me achava gente grande por ter um cartão daqueles. Era dourado e parecia coisa importante. Logo depois, quando ele faleceu, o cartão passou a ser um lembrança para mim. Contém a assinatura dele, com aquela letra linda que já escreveu na primeira folha dos meus cadernos de escola... E eu continuo fazendo saques com o cartão. Com ele, tiro da memória e trago para o coração bons momentos que passamos juntos. Momentos ainda mais dourados e brilhantes do que aquele cartão...

Que 2009 seja assim, brilhante, dourado, cheio de boas memórias e acompanhado de lindas conquistas.

Um beijo,

Renata.

Luciana Gill disse...

Feliz Ano Novo!
Li seu texto e me lembrei da letra desta música...

As Coisas
Composição: Arnaldo Antunes

As coisas têm peso
Massa, volume, tamanho
Tempo, forma, cor
Posição, textura, duração
Densidade, cheiro, valor
Consistência, profundidade
Contorno, temperatura
Função, aparência, preço
Destino, idade, sentido
As coisas não têm paz
As coisas não têm paz
As coisas não têm paz
As coisas não têm paz

Anônimo disse...

Oi Cris!
Que lindo tudo que escreveu!
Eu tinha esse encanto com essa mesma caixinha de música e tive a graça de ganhá-la da minha madrinha de crisma, que foi um dos maiores presentes em minha vida. Já velhinha a caixa, quase destruída por minha irmã caçula, quardei o metal desenhado/talhado na tampa dela, com uma imagem linda de um campo, da qual fiz um quadrinho. Minha madrinha faleceu aos 45 anos, de infarto, depois de avisar-me durante três meses algo estava para acontecer: ou morreria ou viveria uma coisa muito boa... Estava em estado de graça...
Os símbolos ficaram... Amor, amizade, vínculo...
E então quero agradecer pelo reavivar de tantos bons sinais que a leitura por aqui me proporcionou em 2008, trazendo à tona coisas bonitas em mim! E foi inevitável vibrar por você e o Cisco no Natal e na virada de ano... Que tenham dias lindos, plenos de amor e saúde! Vocês são da família do coração!
Muito obrigada sempre!
Claudia Chaves

Nina disse...

"Desejo a você fruto do mato, cheiro de jardim, namoro no portão, domingo sem chuva, segunda sem mau humor, sábado com seu amor filme do Carlitos, chope com amigos, crônica de Rubem Braga, viver sem inimigos, filme antigo na TV, ter uma pessoa especial e que ela goste de você, música de Tom com letra de Chico, frango caipira em pensão do interior, ouvir uma palavra amável, ter uma surpresa agradável, ver a Banda passar, noite de lua cheia, rever uma velha amizade, ter fé em Deus, não ter que ouvir a palavra não, nem nunca, nem jamais e adeus, rir como criança, ouvir canto de passarinho, sarar de resfriado, escrever um poema de amor que nunca será rasgado, formar um par ideal, tomar banho de cachoeira, pegar um bronzeado legal, aprender um nova canção, esperar alguém na estação, queijo com goiabada, pôr-do-sol na roça, uma festa, um violão, uma seresta, recordar um amor antigo, ter um ombro sempre amigo, bater palmas de alegria, uma tarde amena, calçar um velho chinelo, sentar numa velha poltrona, tocar violão para alguém, ouvir a chuva no telhado, vinho branco, bolero de Ravel e muito carinho nosso."

Pra vc e Cisco, desejos de Drummond misturados aos meus!

Bel disse...

FELIZ 2009, Francisco!
Que assim seja!

... os desejos de tua mãe são os mesmo que os meus.
Desejo, ainda, que descubras várias caixinhas de músicas durante o teu viver. E, quando encontrares uma bailarina numa delas, saibas, que ela também assim foi ... tua mãe baila no teclado pra te/nos dizer coisas vindas da alma.Ela dança com seus dedinhos pelo teclado pra te/nos falar de amor.E, as palavras dançam com ela. Em ti, em nós! Quis ser bailarina e de tanto querer conseguiu (de um outro jeito, mas, conseguiu). E, de tanto querer essa caixinha dourada "imaginária" ... terá. E tu, dela sempre lembrarás, por certo.
Um beijo Francisco,
Bel.

FabyFlor disse...

OLÁ CRIS,
É A 1a VEZ QUE ENTRO NO SEU BLOG, E JÁ ESTOU APAIXONADA, JÁ CONHECIA A SUA HISTÓRIA, VI NO FANTÁSTICO E O DEPOIMENTO QUE A DÉBORA FALABELLA FEZ PRA VOCÊ NA REVISTA CRIATIVA...PARABÉNS PELA SUA FORÇA É UMA INJEÇÃO DE ÂNIMO QUANDO ESTAMOS NA DEPRÊ!
BEIJOS!

Renata Rocha disse...

Nossa, eu sou tao desprendida das coisas que nao guardo absolutamente nada... Nao compro souvenir pq sei que o destino sera o lixo...
Mas tenho boa memoria rs.... pelo menos isso !
Um 2009 bom pequena !

Polly disse...

oi Cris,
Dias atrás eu queria jogar meus souvenir tudo fora. Tenho uma caixa, que chamo de "meu relicário", em que escondo tudo o que criou alma(como vc diz). Mas hj depois do que li, me deu vontade de espalhá-los pela casa. Vc é uma querida!

Nanda Flor disse...

Cris: Que vc seja cada dia mais e mais SORRISO!
E Cisco, que muitas descobertas recheiem o teu ano,ah, e quero ver mais fotos suas aqui!!!!
Sério mesmo Cris,fotos do Cisco!
Rsrsrs.

Um mega super beijo!

Soli Maia disse...

Cristiana,
Maravilhoso passear pelo seu blog...
Maravilhosa sua história...
E desejo, do fundo do meu coração um 2009, um 2010, 2011... cheios de PAZ, de muito amor e realizações...
Salve, salve !!!
Solange Maia

Nã disse...

Muito bonito!!!
:)

Nina disse...

Cris!!!!
Acabei de ler o livro. Que chegou até mim pelas mãos do seu carteiro, enviado pela Marcia querida e com sua mensagem carinhosa. Quis muito ler devagar. Ate tentei, mas confesso que foi difícil. Consegui encaixá-lo no meu dia a dia de dona de casa e o li em dois dias. Fui lendo as coisas novas e as que já conhecia com a mesmo fascínio do comeco. Terminei como comecei, com um sorriso nos lábios e muito orgulho de ti. Orgulho de conhecer um pouco sua história e de ainda ficar emocionada com suas palavras e docilidade encantadoras. Vc fala no livro que tinha vontade de ensinar as pessoas a amar o Gui como vc o amou, esteja certa que isso vc conseguiu. Eu amo o Gui, amo o Cisco, amo você.
O livro tá lindo. Laura já está me rodeando pra ler tbm, mas vou deixá-lo um pouquinho mais do meu lado, como se fosse vcs três no meu abraco.
Um beijo com carinho e com um profundo e sincero agradecimento, por nos ensinar tanto.

Elpidio Jose disse...

Talvez um dia os nossos filhos descubram que os objetos que nos são presenteados só terão valor se guardarem um pouco do carinho com que nos foram dados.
É a isso que você, com toda a sua lucidez misturada com ternura soube tão bem definir como "Sensações que escolhemos guardar. Por elas, ganham o privilégio de ter alma."

Angela disse...

Que 2009 seja um ano iluminado de muito amor, saúde e paz...
É a primeira vez que venho em seu blog e simplesmente me apaixonei. É tanto amor, tanta delicadeza, tanta música linda... Tenho um amor para toda a vida, estamos a 8 anos juntos tenho um medo danado de perdê-lo, mas mesmo assim sempre disse que não queria filhos. Lendo sua história acredito que mudei de idéia, pois se acontecer dele ir embora sem avisar eu terei um pedacinho dele que fará com que eu lembre o quanto ele é gracioso. Voltarei sempre e pode ter certeza uns dos livros que lerei este ano é o seu. Bjs !

alessandra disse...

a debora falabella indicou seu blog na criativa,achei interessante vou passar a acompanhar,muita força pra vc e sorte nessa caminhada q é a vida.

Luiz Calcagno disse...

O mundo dá voltas e voltas. Feliz ano Novo!

Bruna Stefani disse...

faz muito tempo que eu leio seus textos aqui nesse blog, sempre me emocionei, refleti com tudo que vc escreve, mas nunca houevram palavras pra vir aqui e postar um comentário. hoje, nesse início de ano, mais uma vez visitando seu blog, me emocionei e resolvi vir te desejar um feliz ano novo para você e para o seu filhote tão lindo, que este ano eja repleto de luz na vida de vocês e que Eles lá em cima estejam guiando seus caminhos. um beijo!

Maria disse...

Olá Cris,um Feliz Ano Novo para você e para o Cisco,eu não conhecia seu blog e nem sua estória,até que minha sobrinha que mora em Barcelona mandou o livro de presente para minha irmã e de la para cá todas as mulheres da familia ja leram ou estão lendo,que é o meu caso (hoje) e ja estou quase no fim....maravilhosa a tua sensibilidade de deixar para o teu filho as memórias mais frescas do amor,da vida e da felicidade do pai dele contigo,isto vai lhe valer ouro pelo resto da vida.
Voc~e é uma destas pessoas especiais que o mundo nos dá como exemplo de vida.
Parabéns pelo livro,pelo filho e pela pessoa que és.
um grande abraço
Juliana

Luiz Felipe Leal disse...

"objetos que trarão lembranças, encantos, afetos, certezas, tremores."
a alma das coisas é também a nossa.

um abraço de ventos bons, com dígito 9.

Thaís disse...

Olá Cristina, Acabei há 5 minutos de ler seu livro. Lindo, intenso e verdadeiro. Daqui de João Pessoa, na Paraíba, parei horas para lê-lo e adentrar na sua história, que agora é um pouco minha também. Todos que lêem tenho certeza sentem a mesma coisa. Se sente dentro da tua história, choram com você, se alegram com suas alegrias e também sentem a falta do seu Gui. Também queria muito que ele estive compartilhando com você o sorriso do Francisco, as danças na sala, o tão singelo "mamã". Fico muito feliz em não ter pensado 2 vezes ao comprar seu livro. Só vim aqui mesmo para dizer "muito obrigada por compartilhar conosco sua história".

Daniela Moreno disse...

Cris e Cisco!! Que vcs tenham um ano mágico!!!!

Léia Carvalho - LC disse...

Sempre passo por aqui, as vezes comento, muitas só leio. Mas hoje em especial lendo vc dizer sobre as lembranças fiquei pensando o quanto disso tenho passado para minha filha. Ontem olhamos fotos até tarde da noite. Ela tem 9 anos, não conheceu as avós, ambas faleceram. Ficamos alí falando sobre o passado e como se ela conhecesse aquelas pessoas ficamos comentando de objetos delas que temos pela casa. Incrível achar esse tema aqui.
Um abraço

paula, sou eu. disse...

leio esse blog há um bom tempo. gosto tanto do que leio aqui que acho desnecessário comentar... já pensei muitas vezes em te mandar um e-mail, algo menos impessoal que um comentário de blog. mas hoje, especialmente, resolvi escrever só pra dizer que espero, sinceramente, que você e o francisco continuem vencendo muitas batalhas - elas são intermináveis; mas creio na capacidade que vocês tem de vencer essas coisas, que são pequenas, quase nada diante de tudo o que já viveram. queria dizer também que a felicidade que desejo pra mim em 2009, é a mesma que desejo pra vocês. Deus abençoe, ilumine e permita que o caminho de vocês seja cheio de alegrias, surpresas... que seja sempre cheio, nunca vazio.

Carolina Braga disse...

Deus, como tem alma o que vc escreve...

Parabéns!

Um domingo alegre pra ti!

=)

Renato C. disse...

Tudo almado.

feliz 2009 :)

Poetinha Feia disse...

Estava lendo uma revista e a atriz Debora Falabella indicava seu blog para uma boa leitura.

E lendo esse post pude perceber quanta beleza há aqui.

Quão belo é seu espaço e suas palavras.

O mundo seria mais bonito e justo com suas palavras sendo transmitidas diariamente.

Parabéns!!!

Virei mais vezes.

Helô disse...

Cris... lendo o blog há tempos, anonimamente, e agora lendo o livro, sinto uma saudade doída do Gui e do amor de vocês sem sequer tê-los conhecido, uma vontade de dar uma beijoca bem boa no Cisco sem nunca tê-lo visto e um impulso para te dar um abraço bem apertado e delicado, como suas palavras...
Desejo a você e a seu pequeno um 2009 recheado de vida boa e repleta de alegrias! Sei que vocês terão.
Fiquem com Deus.
Helô.

Monica Loureiro disse...

Que coisa linda esta frase:"em algum canto do coração temos sempre 20 anos "
Voce escreve divinamente, DEUS a abençoe cada vez mais, e que possa compartilhar sempre com a gente....
( rimou , né ?)

leo disse...

acho que você gostaria de ver o curta metragem de um amigo que se chama justamente "Pour Elise" e tem a caixinha de música como ponto de partida para as tramas de suas protagonistas.

http://www.portacurtas.com.br/Filme.asp?Cod=3586

e eu adoro os dois blogs, com o mesmo carinho e interesses diferentes.

bom novo ano.

Thanatos disse...

só o que posso dizer é que esta história me deixou com o peito apertado, olhos querendo chorar :/

Renata Nogueira disse...

Oi Cris! Conheci seu blog ontem a noite e só consegui dormir depois de ler tudo. Me emocionei demais! Que bonito o que você tem feito para não deixar a memória do pai do seu filho se perder...Francisco vai te agradecer muito ainda por isso!
Já encomendei seu livro!
Também vivi uma fase difícil na minha vida que contei num livro (Vem ni mim lili demorada). Quando você tiver um tempo dá uma olhada no meu blog.
Parabéns! Mesmo!
beijão, Renata
ah! vi seu outro blog!adorei tb!

Carol disse...

Cris e Francisco, Feliz 2009!!
Nunca guardei meus presentes para usar "um dia". Sempre que ganho algo; desde roupas,perfumes,velas,bijus,sapatos,uso no dia ou na oportunidade seguinte. Mas um dos presentes de Natal que ganhei do marido foi o livro. E com medo de acabar, leio aos poucos, saboreando, com um bom vinho. E nao dificil, as lagrimas rolam pela face.
E foi assim,numa manha antes do ano novo: corri no quarto para dar bom dia ao marido soluçando.Abracei,beijei, como se aquele instante fosse último. Culpa das belas palavras Cris, emoçao pura!
bjs

Silvana Alves disse...

cada vez que leio seu blog, mas tenho certeza de sua essência.
palavras simples, mas que absrdamente tocam nosso coração
parabéns
beijo pra vc e para i francisco
se tiver umtempinho, passa no meu blog
www.silvacasalves.blogspot.com

jac oliveira disse...

Vim parar aqui pelo blog da Nina Flores. Daí comecei a ler e não conseguia parar... mas eu tenho que trabalhar então vou continuar a leitura um outro dia.
Tenho a dizer uma coisa: sorte do Francisco que poderá ler isso tudo um dia. Eu sei como é a dor da saudade do nosso pai...

su ellen. disse...

- sorte a do Francisco ter você! :}

Anônimo disse...

Olá Cris... Sou de Belo Horizonte e recentemente me mudei para SP. Não te conheço pessoalmente. No entando, já cruzamos por aí (afinal, isso não é tão difícil em BH). Acompanho a meses seus 2 blogs. Ainda estou sozinha por aqui e fazendo pequenos e grandes amigos. No Reveillon fui para Cajaíba - RJ (terra totalmente estranha e com pessoas estranhas, no bom sentido). Passeando pela praia, em dias alternados, pude ver pessoas diferentes lendo e relendo seu livro. Apesar de não te conhecer pessoalmente, senti um orgulho tamanho como se o livro fosse meu. Tive vontade de sentar ao lado dessa pessoas e dizer: "Eu conheço ela. Já li essa história no blog bem antes de virar livro. Como você ficou sabendo do livro? Comprou ou ganhou?". Difícil explicar o que senti. Difícil explicar a vontade que tive de me aproximar das pessoas e comentar horas a fio sobre sua história, sua vida e sobre as perdas e ganhos naturais da vida. Obrigada por compartilhar essa história cada vez mais e com mais pessoas.
Sucesso e grande beijo.
Rachel

Ariela disse...

Pequena, muito linda a tua historia, a tua força, a tua garra, a tua determinação, o teu amor...é tão dificil perder alguém que amamos, mas Deus te deixou um "pedaço" dele. Fiquei muito emocionada com teus depoimentos para o Francisco, palavras de amor, de carinho, de afeto. Conheci o teu blog hoje, e sempre que possível virei aqui ler as tuas palavras sinceras, coisa que nos dias de hoje são raras. Querida espero que este ano que chega seja maravilhoso para ti e para o Francisco, muita paz, e felicidade! Um super beijo!

Bruna disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bruna disse...

Fiquei sabendo do teu blog através de um outro blog duma jornalista aqui de Porto Alegre. Fiquei tão fascinada pela história que li tudo em um único dia. Também baixei algumas músicas que tu publicaste junto com os textos (e me viciei na do Jorge Drexler). Em 2007 tive uma baita decepção amorosa e desde então andava meio "coração gelado", mas tu contas a história de vocês com tanta delicadeza, tem tanto carinho, cuidado com as palavras, é tudo tão sublime que me deixou com vontade de me apaixonar novamente. Pequena, tu escreves pra caralho! Feliz 2009 pra vocês e o Cisco é lindo! Também pudera, com os pais lindos que só.

Natália disse...

tenho lido esse " pedaço inteiro" da sua vida e enquanto isso deixo de fundo musical esta daqui : one evening - feist.

quis compartilhar com você afinal, você compartilha o que há de mais bonito ! o amor !

danisiinha disse...

ehhh cris..... que coisa linda moça.... e também tenho um sonho de ter uma caixinha de música....rs!!! posso compra-la mas o que queria mesmo era ganhar...!!

Rosana disse...

Cris querida...

Nunca tive muito contato com blogs,mas conhecí meu namorado num(Lendo.org) e acabei me apaixonando por esse universo...
Leio muitos,uns sobre dietas,outros sobre moda,uns sobre nada,outros sobre muitas coisas e uns de coisa alguma...mas o seus(leio diariamente o "hj vou assim")tem um quê especial!!!Por quê?
Por que você escreve com a alma,com a vida e com o coração...o seu e o de muitas pessoas que andam contigo nessa jornada!!!
Parabéns,tu és ótima e pode ter certeza que terás sempre uma leitora cá no fim do país(Pelotas/RS)

Um grande e caloro abraço,

Rosana

*Assistente de decoração
*Graduanda em Letras/Português e Litertura Portuguesa
*Sua fã