domingo, 21 de dezembro de 2008

Um domingo.

Tive um domingo de enterro e festa.

O tio-avô, que para mim era a síntese da elegância e do humor, finalmente se foi depois de uma vida longa e de alguns últimos anos que não precisavam ser tão sofridos. Deixei você com sua avó, na correria, e corri para o velório lotado, onde, em meia hora, estive com dezenas de pessoas da família que raramente vejo, das quais quinze ou vinte encontraram um lugar especial em mim.

O tempo apurou meu afeto, e no olhar de cada um deles eu me lembro de uma presença preciosa em uma das minhas horas de falta, de um sorriso rasgado tentando me provocar a gargalhada. E entendo que, na correria de suas vidas, houve espaço para mim, como hoje há espaço na correria da minha para os filhos de quem agora se foi. E é nestes encontros esparsos que reconheço a matéria verdadeira do amor.

Eu estava chorosa, não só por saudade de alguém especial. Acho que o meu choro era de tempo. Um tempo que passa apontando silenciosa e timidamente para o que me parece ser a essência. Hoje, hoje, hoje. Não foi sem sofrimento que percebi esses sinais sutis. Mas posso dizer que a violência de certas faltas me trouxe a delicadeza que cultivo em lágrimas. Lágrimas, também, de alegria.

E então percebo que um enterro não é despedida, é celebração de vida, ritual menos necessário a quem vai e muito mais para quem fica. De novo, no confronto com a morte, a vida encontra sentido.

Do enterro, vou direto para um almoço de aniversário. E então vejo muitas outras pessoas que também têm abraço cativo em mim. A começar pela dona da festa, minha madrinha, em que sempre encontro uma maciez de mãe – talvez por ter sido tão amiga da minha.

Olho para sua vida: é um renascimento. Tantas pessoas e relações se foram, hoje tomo conhecimento. Tantas novidades aparentemente absurdas. Mortes e nascimentos, sempre.

Lembro de quando ela descobriu um câncer na tireóide. Na cena, minha mãe chorando por ela e meu pai com o seu ponto de vista médico: "Se ela viver até os 70 tá bom?" Lembro que esse assunto logo foi resolvido. Pouco tempo depois, foi minha mãe que não vi chegar aos 56, nem o meu pai aos 65.

Ela sorri. Está ali para comemorar seus 70 anos – não sem outros sustos maiores. Ela se reconstruiu, assim como muitos outros que estavam ali naquela festa, exalando uma alegria de amor.

E penso. Sorrio e choro de novo, depois penso em você. E corro ao seu encontro, pensando que, sim, este foi um domingo bom. E, sim, talvez eu tenha entendido.

63 comentários:

Anônimo disse...

Ah, suas palavras. São lindas. São de coração. Fazem amar mais, sabia? Além disto, posso dizer que fazem ver beleza em tudo. Em tudo.

Deborah disse...

Cris, você é de uma delicadeza que impressiona. Me enche de esperança perceber que pessoas boas, assim como você, ainda estão dispostas a se apaixonar pelo mundo outra vez... Tenha TODO o meu carinho por você, pelo Cisco e por toda sua história.

Deborah

Júlia disse...

Olá Cristiana!
Um dia "passeando" em uma livraria, um livro de capa branca, com um título simples, "pequeno", me chamou atenção. Fui até ele, li sobre o que se tratava e me emocionei só com "aquilo", antes de ler o seu conteúdo (o que ainda não fiz). Não sosseguei enquanto não cheguei em casa e busquei o seu blog, quando encontrei li desde o primeiro post até hoje. Já esperava que fosse encontrar coisas lindíssimas, mas a verdade é que aqui encontrei muito mais! Encontrei lições, ensinamentos, e descobri uma mulher que, mesmo sem conhecer, passei a admirar! Parabéns, Cristiana! Que você e Francisco continuem vivendo e aprendendo cada dia um com o outro, e que sejam muito, muito felizes! Um beijo grande e um monte de energia boa e vibrações positivas!

Cristina Cox disse...

Oi Cristiana
Que bom ler suas vivências.
consolam-me no meu luto (São 4 meses sem meu amado marido).
Sua força me inspira. Certamente Francisco será um grande homem por contar com uma grande mãe. Deus é fiel.
Tudo de bom para você.

Tati (tatiane21@ibest.com.br) disse...

Oi Cris,
Será que seu livro está disponível em alguma livraria em Florianópolis? "Cantei" o seu livro de presente de Natal, e meu noivo já foi em váriasss livrarias e não encontra. :(
Será que na Saraiva do shopping Beira Mar? Lá ele ainda ñ foi.
Bjoss e te admiro MUITO! Bjoss para o Cisco.

Marina disse...

Assim como seu domingo, foi a minha sexta-feira: meu avô foi descansar. E, após um longo dia de choro um aniversário celebrava a vida.

Beijo grande,
Marina

Regina disse...

Oi Cris!

É verdade, o mundo se renova a todo momento. Uns vão, outros entram, começam do zero, se renovam...
Não pára.
Quando olho meu passado também vejo ele recheado de perdas. É incomum, porque o passado do meu marido não é assim. A maioria dos tios que me abrigavam em suas casas em finais de semana prolongados, cheios de brincadeiras com meus primos, de praia, de passeios, se foram. As vezes me deito na cama e conto, um a um, os que já se foram. Avós não tenho mais nenhum, já nasci no "desfalque" (é assim que me refiro ;) de dois avós maternos. Aliás, o ano de 1997 foi terrível. Isadora, minha primeira filha, nasceu em agosto, meu pai morreu em outubro, minha vó em dezembro e meu tio - irmão de minha mãe - em fevereiro. Logo após, minha tia a que era casada com esse tio, descobriu um câncer e se foi. Ela dizia que não queria envelhecer. Ironia. E deles restou uma prima, filha única, com quem passei boa parte de minha infância. Perdi uma prima, também, com 12 anos de Lúpus. Aí se foi uma tia, e mais um outro tio. E, por fim, mais um outro tio, irmão de meu pai.
Meu pai Marco Antônio, meu tio Júlio César. Aliás da família de meu pai só tenho uma tia, Cristina. Nem tio Júlio, nem ela se casaram ou tiveram filhos. Da parte de meu pai só tem ela, eu e meu irmão. Mas o meu primeiro grande contato com a morte, foi minha tia, que eu chamava de mãe 2. Tinha quatro filhos homens. Era médica e morreu assassinada. Ninguém sabe, até hoje, quem fez isso. O menor, Iuri, tinha 2 anos quando ela se foi.
O irônico disso tudo é que nunca fui a um enterro. Nem no de meu pai. Prefiro a distância, me acho fraca demais para ver um corpo sem vida.
Sabe Cris, nem sei porque conto isso, talvez porque você entenda. Se eu páro para falar isso com alguém - tantas perdas - as pessoas tendem a dizer: Ave Maria! Troquemos de assunto!
Ou então ficam paradas, perplexas, de boca aberta.

Mas, Cris, estou lendo um livro muito bom. Não sei se você acredita no espiritismo, mas nós temos um livro "clássico" que se chama "Nosso Lar". É o espírito André Luís contando como foi a chegada dele, em Nosso Lar, após a morte. Um trecho diz que a morte nos separa por algum tempo de quem amamos, mas que sempre nos encontramos, e eles sempre intercedem por nós.

Apesar das tristeza, tem a alegria e ela está sempre na esquina, esperando uma brecha para aparecer, não é verdade?
Que bom saber ver a alegria em sorrisos, em música, no mar... tem tanta alegria espalhada por aí!

Um beijo no coração!

Regina disse...

TATI (Tati (tatiane21@ibest.com.br) )

Tem o livro de Cris na Siciliano do Beiramar sim! Eu comprei. Aquela que fica em um corredor em frente ao Imperatriz. Pode ir lá que tem, eu comprei 2!

Beijos!

Glauce Lucas disse...

Cris, seu texto de hoje me ajudou mais que o normal. No ano passado perdi a minha avó, que foi a melhor pessoa que conheci e suas palavras dão forças. Inclusive meu último texto no meu blog é uma pequena homenagem a ela, se puder, dê uma olhadinha.

Boas Festas, muita paz e força sempre ;-)

Anônimo disse...

Suas Palavras são Mágicas!!!
Bom Dia Chris!
Beijinhos!
Thaís M M

Ana Karina disse...

Seu blog é lindo, você fala de coisas tão fortes com uma suavidade imensa... Que Deus (ou qualquer outra coisa maior que nós em que você acredite) abençõe sua vida, a de Francisco e a todos que estão ao seu lado.
Suas palavras sempre me emocionam.

Luiz Calcagno disse...

Dias assim são como um capítulo. Marco Aurélio dizia que devemos tomar a morte como conselheira. Me pego pensando o que eu queria que acontecesse no meu enterro. Tenho que porovidenciar em vida, afinal, é celebração de vida, mesmo que em morte. Andam tão juntas essas duas.

L. disse...

Nossa... e mais uma vez chorei... Choro sempre quando venho aqui. Choro de tristeza... de alegria, mas sempre choro!
Te citei no meu canto hoje (http://eroticoenrustido.blogspot.com/2008/12/citao.html).
Uma frase do seu texto traduziu o que sentia essa manhã.
Um beijo,
L.

Anônimo disse...

lindo texto!
abraço,
maria amélia (leitora assídua)

Ana Paula Sampaio disse...

Lindo, Cris, mais uma vez, como sempre! Sim, talvez você tenha entendido. Acho que você entendeu, sim. Eu ainda estou tentando. Mas já percebi que se não entendemos a morte, não estamos preparados para viver a Vida. Beijos e obrigada por seu blog! =)

Tita disse...

Também acho o ritual enterro desnecessário, Cris...

Nanci disse...

Sempre tive pavor de enterro. Minha mae faleceu ha 2 meses, depois de 9 meses de internaçao, estive com ela todo o tempo, me despedindo dia a dia pq sabia que seu quadro era irreversivel, como o hospital era em outra cidade, poucas pessoas foram até la visita-la, uma pena..... ela teve q partir para essas pessoas ir ve-la daquela forma- sem vida, bem judiada pela doença.....
bjs

Rachel disse...

Seus escritos são um encanto! Te desejo um fim de ano repleto de alegrias e grandes realizaçãoes! Bjo grande

zazoza disse...

Ontem acordei com uma triste notícia da morte deste senhor que voce definiu tão bem... Uma pessoa muito admirada e respeitada, fato evidenciado pela quantidade enorme de pessoas que foram ao velório. Vi voce lá, e adorei te ver de perto, ver que era realmente de carne e osso a pessoa tão especial que sabe tocar a todos nós com suas palavras gentis e verdadeiras.

Que o Dr. H descanse em paz.

Carol disse...

Oi Cris,

Queria te desejar um ótimo final de ano. Aproveite muito o Cisco todo fofo, curtindo a festa, as luzes. Terminei o livro. Óbvio que amei. Vai ser o presente de Natal de mais duas amigas (eu sou a baiana que mandou o livro para a amiga da Holanda). Fiquei toda feliz que uma menina comentou que viu o livro na livraria e se interessou muito, quando falei mais da história, ela disse que vai voltar e comprar.
Fique bem, sempre! Um 2009 maravilhoso, cheio de saúde, amor e todas as coisas boas possíveis.
Beijão

Renata Rocha disse...

Seu post me fez recordar quando morei em Salamanca. Fui a um enterro ali. Nao compreendi o pq de tanta alegria e a ausencia de lagrimas. Continuo sem compreender mas feliz porque seu domingo foi bom !
Beijos

Romina disse...

Ei Cris,

Encomendei seu livro na saraiva e chegou ontem. Como vou sair de férias uns dias iria lê-lo neste período...grande engano. Fui dormir às 5 da matina comendo seu livro em grandes porções. Que lindo...fiquei de alma leve sorrindo como boba por ter podido conhecer uma estória tão bonita. E com um final feliz chamado Franciso.
Beijo grande, ótimo Natal e um 2009 maravilhoso.

Romina

Mãe das Borboletas disse...

:)

Cris passei para vos desejar um feliz Natal e que o ano de 2009 seja um ano de grandes realizações a todos os niveís***

Beijinhos

Sónia

FULANA E SICRANA disse...

Concordo com você quanto aos rituais de velório. Para quem fica é o momento necessário para digerir a idéia e das despedidas. Engraçado como encontramos pessoas que gostamos e nunca vemos nessas ocasiões. O que por um lado é muito bom, pois alivia a dor que a situação nos impõe.
Aproveitando te desejo um Ano Novo repleto de coisas boas, de bons encontros, bons amigos, boas descobertas com Francisco.
Sicrana

Cindy disse...

Um Feliz Natal cheio de saúde, amor e concretização de sonhos no sapatinho!
Se houver algum dinheiro, melhor!!!
Um beijo e um xi-coração apertadinho e que o melhor de 2008 seja o pior de 2009!!!
Boas Festas!!!

Luiz Calcagno disse...

Feliz natal!

Maria Helena disse...

Cris, bom natal para vc e para o Cisco... Comprei ontem o livro após rodar 3 livrarias (o livro estava em falta aqui em Curitiba).. Fui dormir apenas as 7 da manhã, depois de termina-lo... e Chorei, de emoção, me sentindo perto de você e do Gui quando li sua carta para ele. Alguma previsão de uma noite de autografos aqui no sul? Sonhei que o Jô tinha te entrevistado..rs*

Kika disse...

Um Natal muito feliz para vocês e que o ano 2009 seja Grandioso!
Beijocas

Luiz Felipe Leal disse...

e a vida, que se dissolve numa insistencia em não ser óbvia, às veses resolve desvendar-se terrena e simples, e de repente, a pureza dos nossos minúsculos gostos nos inunda.

um abraço de natal.
feliz,

Beatriz Azevedo disse...

Cristina, quero que seja uma das primeiras a saber que foi depois de ler tuas palavras neste blog que
surgiu a vontade de mostrar à outras pessoas o que sinto e penso através de palavras.
Admiro demais a tua força e a maneira como você está encarando tudo o que está acontecendo na sua vida.
Sinta-se abraçada, por mim e por tantos outros leitores que tiveram a sorte de ler o que você escreve.
Um abraço.

Páua disse...

A dor da perca é algo impressionante, e as pessoas que conseguem lidar com isso tmbm, teno medo de perder as pessoas que amo, vc me é um exemplo de força e superação. Belas palavras.
Feliz natal para vc e "para Francisco". =D
=***

Polly disse...

"Mas posso dizer que a violência de certas faltas me trouxe a delicadeza que cultivo em lágrimas"

Essa sera para mim a frase do ano. Vc é mto especial, querida! Ilumina a vida de todos!!
Um beijo carinhoso!
Polly

Clube Sapeca disse...

Tenham um Natal lindo. Muita sáude e alegria para vocês.
Beijos.
Carol.

aline disse...

Oi Querida, Feliz Natal!! Ganhei seu livro de presente, vou me acabar!! :** Beijos!

Anônimo disse...

Melhor presente de natal eu não poderia ganhar...... Parabéns, parabéns, parabéms, estou na página 19 e já chorei rios de lágrima, e já sou uma mãe, uma mulher melhor do que a 19 pág atrás. Você é exemplo, de puro amor, você é amor, cumplicidade. Lindo! Francisco você é muito sortudo de ter tido um pai maravilhoso e de ter uma mãe como a Cris para não deixar morrer esse sentimento...... Cris, Parabéns! Mais saúde, mais paz, mais amor, mais generosidade, mais força!
Beijos,
Fernanda Miranda

Ju Haghverdian disse...

Acabei de ler sobre o seu livro e blog em outro blog e vim correndo pra ler e saber mais. Que historia linda apesar de triste, ja quero muito ler o livro.
Excelente Natal e 2009 cheio de otimas surpresas p/ voce e para Francisco!

alexandre disse...

Assisti voce no programa do Ronnie von ontem,dai me encantei e vim conferir.Muito legal a história do "carrinho de ronnie von".

Helô disse...

Com muita clareza vc fala da passagem de pessoas queridas com palavras que muitos gostariam de dizer mas apenas sentem! Obrigada pelo esclarecimento. Parabéns(?) Felicidades!
Helô

Tati disse...

Oi Cris,
Adivinha qual foi um dos meus presentes de Natal?! Acertou se respondeu "para Francisco,". Que alegria ao abrir o pacote e tê-lo em minhas mãos para ler inteirinhoo... rs
Desejo que 2009 seja com muitas bençãos para vc e Francisco!
Bjoss

Jú Bunitona disse...

Oie,Cris,seu blog é perfeito !! Vc esscreve muiito beem mesmo ! Adoro ler seus post !! e sempree que dá dou uma olhadinha aqui no seu blog.. vou passar a comentar aqui,mas vezes !! e Força menina que vc consegue!
beijinhos e se cuida

Fernanda disse...

Vc sempre me faz chorar com a sua delicadeza e sensibilidade...
Que o ano de 2009 venha com novos sonhos e cores e muito, muito amor e alegrias pra vc e pro francisco...
Que suas lembranças, sensações e devaneios continuem a povoar nossos computadores, rs, rs, trazendo sempre a esperança de um mundo melhor, de pessoas melhores e de verdadeiros encontros...(é isso que vc faz...)
bjos

Myn disse...

Olha,
nem sei o que dizer,poderia dizer que fiquei com pena,mas vc naum precisa disso,só precisa saber,que eu fikei em pressionada com você,parabéns pelo filho lindo,parabéns pela força,você é pura fibra...

TE ADORO sem nem ao menos te conhecer...
Muitas vezes reclamo da minha vida ou sei lá,reclamo do dia,e nem ao menos reparo nas coisas simples,naum sei por que de alguma forma vc fez isso mudar em mim,eu li seu depoimento na revista Criativa no dia 21/12/08,pensei dias o que escrever pra você e só hoje dia 26/12/08 consegui,você merece todas as coisas boas do mundo.


E sem dúvida Francisco tem um ótimo pai esteja onde estiver...

MaryHelen26 disse...

Fecho os olhos e me perco em uma oração pra vcs...
COMO É LINDO VER O SEU AMOR... ENTREI NO SITE DA REVISTA CRIATIVA E DESCOBRI VC ENTRE AS 15 MULHERES DO ANO, FOI POR ACASO, POIS DEVERIA ESTAR ESTUDANDO PARA MINHA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA. POIS BEM, ME DEPAREI COM SEU VIDEO NO GLOBO REPORTEI E QUIS SAVER MAIS, DEVORAR A SUA HISTORIA, E COMO É LINDA SUA HISTORIA. UMA MISTURA DE AMOR DOCE, SUAVE COM UM ADEUS REPENTINO E UM PRESENTE AO MESMO TEMPO. NÃO SEI SE PRA COMPENSAR SUA DOR, MAS QUE BELO PRESENTE VC GANHOU. É A PRIMEIEA VEZ QUE COMENTO EM UM BLOG, MAS PRECISA DIVIDIR COM VC A SENSAÇÃO DA DESPEDIDA. É ESTRANHO, PARECE QUE JÁ SABEMOS DA PARTIDA DE TÃO BOM E IRREAL AOS OLHOS DOS OUTROS E DE NOS MESMOS. NAMOREI POR QUASE TRES ANOS ELE NA FACULDADE EU MAIS VELHA QUE ELE, DIFERENÇAS A PARTE, SABIA EU QUE ELE ERA ESPECIAL, NÃO PORQUE SE FOI, MAS VC FALA DO OLHAR DE AMOR QUE ELE LHE OLHAVA, JÁ SENTI ISSO... AI É LINDO. DO NADA ELE SE FOI DEPOIS DE 4 DIAS DE ESCOLHERMOS A DATA PARA O NOIVADO, FIQUEI SEM CHÃO, SE AR... E ME PERGUNTEI PQ EU... DEUS NÃO ME AMA...JÁ TINHA PERDIDO MINHA MÃE NA ADOLESCENCIA, MEU PAI E AGORA MEU AMOR... COMO FOI DURO... QUERIA PODER TER DITO SUA IDEIA...ACHO ESCREVER AJUDA...JÁ SE FORAM 5 ANOS E AS VEZES TENHO A SENSAÇÃO DE QUE ELE ESTA AQUI BEM DO MEU LADO...COM SEU OLHAR DE AMOR...
NÃO A CONHEÇO, MAS RECONHEÇO VC EM MIM...OBRIGADA POR ME FAZER MELHOR HOJE...TENHO MUITO A ENTENDER MAS OUVINDO VC NÃO QUERO PENSAR NO QUE NÃO POSSO E SIM NO AINDO POSSO. E VC É ESPECIAL, POIS TEM UM ANJINHO FRANCISCO AI... QUEM ME DERA TER UM AQUI...UM ABRAÇO! MARY HELEN

Léia Carvalho - LC disse...

Eu ganhei e também dei seu livro...
Fiquei emocionada do começo ao fim. Encantada pela sua paixão pela vida, pela sua urgência em dizer tudo e pelas palavras muito suas (colherzinha, fresca...). Seu livro tem uma coisa fresca, mesmo diante de morte. Seria inesplicável se não fosse a ligação direta com o amor. É isso que sinto no seu livro. AMOR
Parabéns!

Maria dos Açores® disse...

Que 2009 continue a dar-te muitas alegrias e que continues a ser este SER maravilhoso que és!!!
Um beijo com muito amor para ti e para o Cisco

Anônimo disse...

Olá Cris!
Ganhei seu livro de presente de meu querido marido, de presente de natal!Ele é tão magnifico e nos faz repensar em várias coisas e escolhas, e isso é sempre bom! Renovar é sempre bom! É a primeira vez que visito seu blog e só tenho a fazer das palavras de todos as minhas! Você é uma mulher muito forte!! Não sei se teria a mesma coragem que você diante de uma situação destas. Mas em vários trechos do livro sei exatamente como é seu sentimento por Francisco; um menino de muita sorte por te-la como mãe e ter um pai como foi Guilherme.

Um grande beijo no seu coração e um ótimo 2009!!

Fabiana,Julia e Ighor(meus pequenos)

Menina da Lua disse...

Não imaginas o quanto suas palavras passam paz Cris, em palavras curtas e poucas vc consegue passar minuciosamente o que está sentindo, continue com essa delicadeza no escrever e no senntir.

o vazio disse...

mulher... como tu consegue representar tão bem certas sensações em? criatura de Deus!!!
Deus te abençõe. Tu, e tua família, os vivos e os que renascerão. todos a quem tu ama...
flores de ano novo!

Mari Nogueira disse...

Obrigada por seu blog, Cris.

"Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós... Deixam um pouco de sí, levam um pouco de nós..."

Antoine de Saint Exupéry

Paula disse...

cris!
te vi na revista Gloss!! :D
Mt massa e merecido!
parabéns
bjs

Erica disse...

Deve ser estranho celebrar morte e vida num dia só.Mais que bom que ela se recuperou não é?Que bom que você pôde comemorar com ela mais um ano de vida.

Anônimo disse...

Cris, terminei ontem de ler o livro "Para Francisco," e chorei. Chorei de tristeza por ter terminado um livro tão maravilhoso, chorei por sua dor, chorei por seu amor, chorei e chorei.
Durante o livro eu me emocionei, ri, me diverti, fui solidária à sua dor e ao seu imenso amor, e acima de tudo, o que para mim foi o mais importante, passei a demonstrar mais o meu amor às pessoas que amo pq a vida não é eterna e eu não terei outra chance de dizer "eu te amo".
Obrigada Cris!
Parabéns pela forma linda como escreve, suas palavras vão direto ao coração de quem as lê, vc é especial.
Ainda bem q ainda tenho o blog para ler.
bjssss
Claudia.

ana paula disse...

nossa....
pra quem acompanha o blog como eu....sinto como ele está abandonado!!!!!
desculpe-me a sinceridade mas nem Feliz Natal....
parece que não são só sua memórias que estão indo embora......
que pena!!!!
Feliz Ano Novo!!!!

Anônimo disse...

Bom quero parabeniza-la por divulgar essa linda história de amor eu vi o livro ontem na casa da amiga do meu amigo e adorei tudo nele bjus e Feliz Ano Novo esteja onde estiver uma coisa eu posso te dizer a gente só ama uma vez e se acontecer de novo nunca será como antes porque tudo é inesquecivel mesmo que as lembranças sejam apenas flash entre constantes recordações

Jéssica Laisa disse...

Apenas mais um comentario de alguem que, talvez, você nunca vai ver na vida, mas que te admira.
Conheci seu blog "Hoje vou assim" do nada, olhando sites por ai. Ja virei sua fã. Olhei todas as fotos e virou vicio (bom) olhar pra elas todos os dias e me inspirar antes de me vestir. :)
Sempre via o "para francisco" sendo citado, mas nunca tinha parado pra conhecer.
Hoje eu parei, li. Chorei. Sorri. Olhei para o meu filho, deitado na cama, aqui do lado, dormindo tranquilo. Pensei no meu marido, nas brigas por besteira. Pensei em como seria se ele não existisse. Claro que eu ja sabia a importancia deles dois na minha vida. Mas você me fez dar mais importancia ainda, fez meu amor se mostrar mais, fez eu querer mostrar meu amor. OBRIGADA. Obrigada por fazer o que você nem imagina que faz.
Eu, com 18 anos, sou mãe. Antes do esperado, mas sou. Você, depois do esperado, mas é. :)
Obrigada por compartilhar sua historia, e por despertar (mesmo sem querer) um sentimento tão diferente e bom em mim.
Sua admiradora. ^^

Ana disse...

Oi Cristiana,
Vi o livro mais barato na Fnac, ó o link pra quem quiser comprar: http://www.bondfaro.com.br/redirect_prod?pos=2&emp_id=370&prod_id=55377952&pr=17&id=3482&cn=623505285&az=56983de181ec3db19906499b9f1c72b8&nc=201711418620081230100841
Vou garantir o meu. :)
Bjs e feliz 2009 pra vcs!

Ligia disse...

Tô no finalzinho do livro, que com certeza já teria acabado se, de tempos em tempos, eu não tivesse que parar para enxugar uma lágrima e respirar fundo...
É mesmo uma história linda, que, como muitas outras emociona, mas traz muito mais que isso, traz uma lição de vida e de amor... Faz ver tudo por um lado mais bonito, mais valioso!
Parabéns pelo livro, pelo blog, pela lições de amor escondidas nas entrelinhas do livro. Obrigada por me ajudar a me apaixonar mais ainda por tudo e todos que me rodeiam.

Alice disse...

Você é incrível, parabéns por ser assim!

Morgana Moresco disse...

Meu Para Francisco esta a caminho, depois de ler vou falar dele lá no blog.
Bjs

Nina disse...

Coisas da vida, maneiras interessantes de ver as coisas, tudo ligado nao é Cris? Tristezas e alegrias. Renovacao.

Ahhhh, dia 24 chegou meu presente enviado pela Marcinha, de BH. Só hoje chegou nas minhas mãos o livro do ano :)

bom comeco de ano, nao é? Vou comecar a ler amanhã, dia primeiro. vai me trazer sorte :)

tudo de lindo pra vc e Cisco no novo ano. Muitas alegrias, saúde, paz e mt amor pra vcs todos. No novo ano, sempre.

Lilliann disse...

Ola,acompanho seu blog a muito tempo,cada palavra sua sempre me emociona,me encanta e me motiva a seguir adiante amando intensamente meu filho,igual vc ama Francisco.Queria muito ler seu livro,mas moro no Japão e até agora aqui nw chegou por nenhuma importadora,acho q vou pedir p/ parentes me enviar,mas CONTINUE,sempre....Pois vc é intensa em tudo que toca,lha,escreve....Bjs

Lilliann disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Elaine disse...

Você é o elemento surpresa d'este meu início do ano, primeiro o que me chamou a atenção foi a capa do livro, dei uma espiadela nas folhas iniciais e pensei..."ela escreve do jeito que eu gosto!" Li 71 páginas sem tirar os olhos e continuo. O seu jeito perspicaz e delicado de olhar leva arte, em como traduz o que vê.
A História comove e ensina e sua vocação sublime de escrever chegou aos meus olhos. Que sorte eu tenho, que bom ter te conhecido.

beijo grande!