segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Pais de Francisco.




12 comentários:

Ronam disse...

Cris.
Seu blog me emocionaria mesmo que não a conhecesse...Mesmo se fosse uma ficção, sei que teria a mesma vontade de lê-lo por inteiro, como fiz agora...Vejo em você uma força enorme e sei que o Francisco fará você ainda mais forte...Lindo o seu filho. Abraços.

Pequena disse...

Eu não saberia escrever essa ficção. Nada como sentir, né? Obrigada pela visita e por palavras tão lindas. Bem-vindo.

Maria Luiza Pedrosa disse...

Adorei a foto! Se cortar as cabeças fica a dúvida de quem é a mãe... rsrsrsrs
Abraço forte!

Ana disse...

Engraçado que o Gui parece mais "grávido" que você! rs

vanessa disse...

Nossa, lindo seu blog. Me emocionei bastante ao lê-lo. Linda homenagem ao pai do seu filho, com certeza quando o Cisco tiver idade e ler esse blog, terá muito orgulho do pai e da mãe. Bj.

Ana disse...

Essa foto me fez lembrar uma das muitas cenas engraçadas que presenciei tendo o Gui como "protagonista". Foi em 98, quando trabalhamos juntos. Alguém na produtora comprou um biquíni e o Gui colocou a parte de cima (rs). Daí que ele começou a imitar uma mulher fazendo exame de toque nos seios (+rs). Francisco, torço pra que vc herde essa irreverência, pra que todos ao seu redor se alegrem tanto quanto se alegraram na companhia do teu querido pai!

Redatozim disse...

Hoje lembrei de um lance do Incultos que teve o Gui como protagonista. Depois te conto. Beijos.

Pequena disse...

Preciosos esses comentários. Mais casos para o Francisco saber sobre o pai dele. Lindo, obrigada, amei.

Ana disse...

Hummm...tem tantas coisas...Lembro dele tentando abrir uma garrafa de vinho batendo a "coitada" na parede, porque ninguém tinha saca-rolhas na produtora (rs). Ele batia, batia e todo mundo só falava: "pára com isso, a garrafa vai estourar". Só sei que a rolha se soltou e choveu vinho pela sala . O Gui, muito espirituoso, pegou uma flanela e começou a limpar tudo como se fosse uma empregada e dizia, com sotaque nordestino: "olha, moço, eu lavo, passo, cozinho, faço janta até". Todo mundo morreu de rir. Eu chegava a sentar na cadeira com a mão na cabeça porque me doía a barriga quando ele fazia essas palhaçadas.Foi uma das pessoas mais engraçadas que conheci na vida!

Pequena disse...

Ana, eu e o Gui juntos era uma bobagem só. A gente tinha muita afinidade de humor. Ai, que saudade que dá. Venha sempre, conte mais casos com essa riqueza de detalhes Isso é um presente lindo para o Francisco. E pra mim também.

um beijo meu e outro do cisco pra vc.

Ana disse...

Nossa, eu imagino, pelo pouco que te "conheço". Eu também sou uma palhaça,histriônica, não tenho o mínimo receio de pagar mico e quando encontro alguém tão palhaço quanto, fico feliz da vida! Lá na produtora, eu tava sempre por perto do Gui e do Vitor. Eu amava a dupla. Eles eram conhecidos como "os meninos". Eu tinha tanta saudades deles, mas tinha perdido o contato. Certa vez, em 1999, fiquei triste porque eu mandava e-mail pros dois, mas voltavam, eles já estavam em Minas e tinham mudado de e-mail... Só passou assim pela minha cabeça: "Por que não inventam um google de gente?". Quando o orkut foi lançado, em 2004, não tive dúvidas: digitei no item "pesquisa" os nomes do Gui e do Vitor. E não é que achei o Gui primeiro? Foi uma alegria só! A gente retomou o contato, ficava com ele no MSN até altas horas, porque ele andava tristinho, prestes a se separar da Tunica. Daí ele começou a namorar vc, começou a ficar feliz de novo, veio o bebê, ele ficou mais feliz ainda!
Eu andava meio borocochô com minha vida pessoal e cheguei a pensar um dia: nossa, por que comigo as coisas não acontecem tão rápido quanto pro Gui, que já tá amando de novo? Eu via o Gui sempre tão intenso, correndo atrás dos desejos dele, tudo sempre muito rápido, isso me chamava a atenção, sabia? Hoje eu entendo o porquê e fico feliz que tenha sido assim, que ele tenha vivido intensamente...
Vou lembrar de outros "causos" e deixarei meu registro por aqui, com certeza. Beijos em vocês

Bella disse...

é a minha primeira vez por aqui e já li toda sua história. me emociono demais, pq me vejo em vc e na sua dor. eu sou a bella, mãe do otto. e como vc perdi meu amor, a diferença é que nos perdemos em vida. como vc não veremos nos tornar pais. como vc me delicio em cada dia me tornar mãe em amar continuamente a evolução de uma pessoinha. vou estar sempre por aqui. tudo de mais lindo para vcs.