quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Você vai gostar de ler, filho.

As sem razões do amor
Carlos Drummond de Andrade

Eu te amo porque te amo.
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.
Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.
Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga, nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.
Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.

3 comentários:

Janine disse...

Muita gente me fala que o "para Francisco" é triste, que faz chorar....eu sinto exatamente o contrário, Cris. Seu blog é lindo, é uma das maiores declarações de amor que já presenciei. Me dá uma sensação tão boa ler tudo isso. É linda a forma que você encontrou de não deixar envelhecer ou ser esquecida a sua história, do amor entre você e o Gui e do filhote que veio desse amor. O Francisco é um sortudo de ter a mãe especial que ele tem. Aposto que quando o Cisco crescer ele vai curtir muito todos estes registros!

Pequena disse...

Janine querida, você me entendeu como ninguém. Fico muito feliz e lisonjeada. Continue por aqui. Um beijo grande.

Liva disse...

Descobri seu blog hoje e estou lendo assim, desde o primeiro post, como gosto de fazer.
Eu já chorei, confesso. Mas também acho o blog lindo, cheio de amor.
Vou continuar lendo. E provavelmente chorando e achando um monte de coisas.
Um bju gde =*