quinta-feira, 3 de abril de 2008

Era uma vez uma menina chamada Rebecca.

Não existe presente melhor do que alguém escrever pra gente - ou sobre a gente. E quando esse alguém é a Rebecca, filho, isso fica ainda mais bonito.

"Era uma vez uma menina, que encontrou o amor.

E o amor era forte e bom, e tudo estava enfim muito certo.

E o amor fecundou. Como sempre fecunda. E tudo continuava muito certo e bonito. E cada vez mais leve.

E sonhos suaves e pertinentes se fizeram ouvir, cada vez mais próximos, cada vez mais próximos, cada vez mais próximos. Como um trem suave chegando, abarrotado de luzes e véus cantantes. Como uma fruta no ponto. Como um futuro enfeitado.

E tudo ficou enfim tão milagroso que o fio da melodia se partiu. E a história derivou meio sem rumo, no campo tumultuado das grandes interrupções. E o presente, de repente, tornou-se violento e terrível, tinha mil bocas abertas e uma só missão: devorar o que fosse preciso até que a história pudesse ter um fim.

E a menina ficou no mundo com uma grande saudade nas mãos. Como às vezes costuma acontecer, mesmo não sendo muito bonito esse mistério.

E o filhinho do amor nasceu e ganhou nome de santo descalço. Porque assim tinha que ser.

E os dois foram crescendo juntos. A menina e o filho do amor. Tristinhos, tristinhos.

E essa seria uma história feia e amputada, como muitas infelizmente são, não fosse uma idéia que a menina teve: a de pegar com as mãos a própria história. E a de fazer dela um modo de contato.

E a menina foi então dividindo sua saudade e sua tristeza em pedacinhos pequenos, cada vez menores, cada vez menores, cada vez menores.

Tão pequeninos e breves que podiam ser observados com menos medo. Tão suaves que viravam memória, viravam história, viravam poesia. Tão leves que podiam ser rapidamente enviados para longe.
Um longe que era muito perto. Um longe que eram as outras pessoas.

O filho também ajudava. Ia pegando os pedacinhos de desespero e dor que a mãe não conseguia enfrentar e ia dando a eles o colorido delicado da sua inocência. E eles iam ficando menos duros e feios. E cada vez mais floridos.

E foi assim que se deu o milagre.

Juntos, fizeram a vida continuar viva. Juntos, escrevem uma história toda deles.

Todos os dias."


(Rebecca Monteiro)

25 comentários:

Anônimo disse...

Bom dia Pequena Querida! Bom dia Rebeca! Acabei de escrever um e-mail pra uma amiga, que está a sofrer, e falava de aliviar a dor... Aí ao terminar, vim fazer uma visitinha... Que feliz eu sou, por poder testemunhar desses seus pedacinhos capazes de transformar uma vida! Gracias, gracias, gracias! Que coisa mais linda!!!Beijo em seus corações. Cláudia Chaves

André Gonçalves disse...

que lindo texto...

Anônimo disse...

Vcs são umas lindas!!! Cris, adoro seu blog e já disse isso inúmeras vezes! Tá vendo como vc cativa as pessoas?? Como sua estória é linda e envolvente?? Vc e seu Cisco serão cada dia mais felizes, tenho certeza! E sob o olhar do seu Gui!!!
BJinhos carinhosos com abraços apertados!!!
Dani

ale disse...

Lindo...
Lágrimas escorrem pelo meu rosto...

Renata Rocha disse...

Rebecca ! Que arraso guria !!!
Cris um beijo para vc !

Sisa disse...

Uma amiga me indicou esse blog uns dias atrás, mas pela absoluta falta de tempo só ontem cheguei nele. E li inteiro. De cabo a rabo. Fiquei com os olhos rasos d'água. Fiquei emocionada. Lindo. Vou acompanhar a história da Pequena e do Atleticaninho, até porque sei que um dia essas palavras vão ser menos tristes, mas igualmente emocionantes.

Dri_ disse...

Lindo, lindo, lindo o poema...
... assim como seus personagens.

Alessandra Pilar disse...

Maravilhoso... texto encantador!!!
bjos

Alice disse...

Lindo, lindo, lindo... não passo um dia sem passar por aqui. Esses pequenos pedacinhos de memória iluminam o dia de qualquer pessoa. É linda a sua história, é lindo o seu amor pelo Gui e mais lindo ainda o Cisco.
Mesmo sem te conhecer pessoalmente, sou sua fã e torço por vc e pelo Cisco.

Lenilde disse...

Lindooooooooo!!!
Você me emociona cada dia mais. E me dá a certeza de que o Amor é o sentimento mais maravilhoso desta vida, e outras, e de outras...
Um grande Abraço,
Lenilde

Sofia disse...

Muito lindo. Tá vendo quando eu digo que você e o Cisco inspiram outras pessoas. Tá aí a Rebecca dando uma prova linda e concreta disso.

Beijos.

Anônimo disse...

Que texto lindo, Rebecca!!
Quanta doçura e delicadeza!!
Beijos carinhosos,
Cris e Rebecca.

Adriana(Diana)

nina disse...

Que lindo e verdadeiro esse texto Rebecca, emocionante do começo ao fim. A historinha dessa menina nos pegou pelo coração, não foi?!
Bjs

www.palavrademae.blogspot.com/ disse...

que palavras lindas.

parabéns, atrasados, por mais um aniversário de Francisco, no meio de tudo as tuas palavras transmitem uma história linda.

beijos

Anônimo disse...

fiquei arrepiada com esse texto. lindo e muito sensível, tem tudo a ver com este blog e com a sua história.

(¯`·._.·[***Celina***]·._.·´¯) disse...

Parabéns Rebecca, texto maravilhosamente bem escrito. Parabéns Cris, bjksss;)

Márcia Bandeira disse...

Não consigo mais deixar de ler esse blog! Sempre me emociono.....este texto é lindo!!
Bravo!
Márcia

: : Ju Sampaio : : disse...

Puxa. Um beijo nas duas queridas!

Julieta disse...

Oi Cristiana.Entrei nesse blog no meio do ano passado, pela coincidência do nome Francisco, que reservo para o filho que, um dia, desejo ter e me deparei com sua história.
Temos muitas coisas em comum, eu vivo um amor lindo e tenho medo da separação pela morte, eu sou de Belo Horizonte- apesar de morar em Londres- temos alguns conhecidos em comum, também aprendi a palavra delicadeza com o Leo, no dia a dia, pelo nosso amor. Cada palavra sua me traz beleza, poesia, vida. Me identifico plenamente com as histórias suas e do Guilherme e sinto cada suspiro, cada lágrima e cada sorriso do Franciso, que nunca vi pessoalmente e já mora no meu coração. A sua estrada é de luz. Muito obrigado por sua poesia e por sua beleza.
Com amor
Julieta

Silvia disse...

Cris,

Realmente você só traz coisas boas, por isso recebe de volta demonstrações tão bonitas de afeto! Que lindo o texto da Rebeca! Que bonita tradução da sua história.

Acho que no dia que eu tiver um filho, vou querer ler para ele o que a Rebeca escreveu, sei que assim ele vai entender o que é o amor...
Um beijo com carinho,
Silvia

Anônimo disse...

Cris, que presentão este texto hein?! Lindo lindo lindo! A Rebecca é um arraso, como você...
Quer saber?... Você merece cada palavra, cada linha, cada parágrafo...
Vocês são o amor e a sensibilidade em forma de palavras.
Bjs no coração,
Carol (RJ)

Silvia disse...

RebeCCa,

desculpe ter esquecido um dos c's...Quem sou eu pra te tirar alguma letra...

Rebs disse...

Obrigada, Cris!

E obrigada a todas vocês, a cada uma de vocês, por multiplicarem o impulso de ternura que mobilizou o texto, e por fazerem a vida da Cris, e a minha, mais bonita!

Beijo dedicado,

Rebecca

Kika disse...

Que lindo!

Parece um conto de fadas, uma estória para criança, e é uma estória de gente, de outra gente, escrito para a gente...

Que lindo.

Parabéns às artistas,

Kika

Anônimo disse...

Lindo!
Foi a coisa mais linda que li!
Voces merecem, voces sao lindos, teu amor e lindo!
Deus lhes abencoe sempre.
Um beijo no coracao.
Virginia