quinta-feira, 3 de abril de 2008

Notas de silêncio.



Durante alguns dias em que eu e seu pai estivemos separados, em 2006, minha melhor companhia foi um disco do Cat Power, presente do meu amigo Kowalsky, que carinhosamente desenhou um coração partido na face do cd. Esta música faz parte da categoria das “músicas silenciosas”. Ouço bem alto e ainda sobra espaço para sentir. É música que fala de falta – e por isso mesmo fala de encontro. De uma presença, que era o que eu estava tentando encontrar naquela época: a minha própria. Chegar mais perto de mim, naqueles dias, talvez tenha ajudado a trazer você, dias depois. Eu me reencontrava com seu pai, mas não ia só – pela primeira vez na vida, eu me sentia em minha própria companhia. Depois de um tempo, de fato, não estava mais sozinha: descobri você dentro de mim. E então se explicaram aquela força e aquela alegria que eu sentia sem saber por quê.



Já esta, do M. Ward, também silenciosa, foi minha companhia numa outra transição. Entre a perda do seu pai e a sua chegada, eu sentia uma mistura que eu não sabia explicar – nem sei se sabia sentir. Essa música me ajudou a chegar no lugar. Minha tristeza se assentou, talvez por finalmente ter se mostrado. E era uma tristeza doce. Uma tristeza em paz. Ouvir essa música me fazia pensar e principalmente sentir tudo isso: a ida do seu pai, sobreposta à sua chegada, e a possibilidade (sim, naquela época) de amar alguém de novo. Amar outro homem. Na confusão absurda daquele momento, essa música parecia me contar a minha própria história.

Tenho lembranças dela no dia do parto, quando fui dirigindo ao médico ainda de manhã, sozinha, e ele me disse que provavelmente você demoraria uns dias pra nascer. Eu me lembro de sair do médico, sentar de novo ao volante do carro, ligar o som e, já de licença-maternidade, ficar pensando no que fazer, naquele dia em que o mundo inteiro trabalhava e eu tinha parado para esperar o meu filho chegar. Porque, embora o médico tivesse dito que não, talvez eu já soubesse que você estava vindo. Naquele dia, sim, senti solidão. Porque a vida das pessoas tinha que continuar. E eu estava diante de um divisor de águas. Nunca mais voltaria a ser a mesma. Seu pai já não estava ao meu lado para presenciar essa mudança – nem para mudar comigo.

Fazia um mês que eu só ouvia esse disco no carro, desde que o Maurilo o levou pra mim de presente.

Ele não sabe que foi essa seleção de músicas que me levou para outro lugar. As próprias músicas acabaram se tornando um lugar. Que eu visito de vez em quando, para entender de novo o que senti. Para entender, sentindo de novo.

Até hoje, ao ouvir essa música, tenho uma vontade de chorar que não é de tristeza. É de beleza. É disso que ela fala. É disso que fala a nossa história, filho.

Da beleza de um ir e vir, sem lógica nem explicação. Da beleza de um sentir que se mistura - o que sinto por ele, o que sinto por você.

Se existe um lugar, além de mim, onde você e seu pai se encontram, é nessa música. E não é pela letra, porque eu nem me preocupo com ela. É pelo que ela provoca aqui dentro: um sentir, sentir, sentir. Que não tem nada a ver com pensar. E que, nessa falta de lógica que compõe a nossa história, se explica.

42 comentários:

Adega disse...

gente, que bonito, cristiana.
que bonito, rebecca.
f.

Eu sei disse...

Você me faz chorar, mas me faz viver. querer viver e fazer viver.

obrigada pelo suporte, palavras, canções e fotos.

Queria de verdade que vc tivesse a noção exata de como mesmo nessa (nossa)distância, nesse (nosso) desconhecimento... vcs 3 fazem a diferença na minha vida.

Sabe Cris, qdo vc deseja de coração que uma pessoa seja feliz? Pois eh isso, meu bem, que eu desejo. Uma felicidade sem fim, sem palavra, sem rosto, sem...

não tenho palavras,,, apenas lágrimas correndo... e elas também não são de tristeza, mas de uma alegria grandiosa, que é cor de pôr do sol no outono.

Um bjo, um queijo, um cheiro, um afago.

Camila disse...

Palavras doces!!!!

Músicas pentrantes...

Sentimentos explícitos!!!!

Renata Rocha disse...

Sem explicacao esse texto.... Esse blog tem sido meu div� serio mesmo, vc nao tem ideia do quanto tenho me ajudado. Suas palavras tem sido um bra�o estendido onde encontro for�as para sair do fundo do po�o.
Um beijo pequena

Anônimo disse...

Cris, como a internet é legal com a gente, né?! Ela permite q eu, daqui do RJ sinta o seu sentimento daí de BH!!! Como é boa a sensação de estar tão perto de uma pessoa sensível como vc!!
BJinhos carinhosos
Dani

sayô disse...

Vc diz:
"É pelo que ela provoca aqui dentro: um sentir, sentir, sentir."

E Adélia Prado:
"A coisa mais fina do mundo é o semtimento"

Muito lindo tudo aqui.

bjs

sayô disse...

sentimento*

Anônimo disse...

Pequena,
Leio seus textos todos os dias...através deles eu tenho vontade de viver mais...Perdi minha alma gemea faz alguns meses tb... porém era minha irmã. Só quem passa por isso conhece a dor...naum se sinta só, pois sinto a sua dor...e me emociono de ver a maneira linda que está encarando a situacao... com leveza, e o mais importante sabendo cutucar a dor...para ela nao te cutucar mais... te admiro, me inspiro, SOFRO.

nina disse...

Sabe o que é interessante Cris? É que no início quando comecei a ler seu blog, eu chorava todo dia... toda vez. Agora eu sorrio. Interessante, eu acho. Eu fico rindo, e lendo e rindo. Sabe um sorriso de gratidão? então é assim, é um riso pleno. Sei lá porquê... o amor desconhece os porquês da vida...

Queria mandar um abraço fraterno pra essa irmã que perdeu uma irmã, Deus, tenho tantas irmãs que são todas minhas almas gêmeas, não posso imaginar tal dor.
Um abraço queridas

Anônimo disse...

Entrei por acaso em seu blog, em sua vida.
Lindo seu amor Guilherme, lindo o amor de Guilherme por você, lindo o filho Cisco.
Li tudo direto.
Tristeza e alegria. Choro. Risos.
Linda você, guerreira como o nome.
Te admiro como mulher e nessas horas me orgulho de ser mulher também.
Beijos.
Bia

Ana Carolina disse...

Pequena, isso que vc causa na gente também é um sentir muito forte. Sem palavras.
Meu Deus, imaginei a cena toda q vc descreveu na TV, com essas trilhas sonoras ao fundo. Profundo mesmo.

Nina disse...

Cris, continuo lendo seu blog e a cada dia te admirando mais. Como mãe e como mulher. Um abraço!
Nina
(www.alterosa.com.br/feminina)

Carolina disse...

mulher inteligente e sensível. incrível. parabéns por tudo.

Tha Basile disse...

Gente, como o mundo está povoado de pessoas lindas, não?

Vale a pena.

Beijo no coração
Thais

Dri_ disse...

A cada dia você se supera...

Que vontade de te abraçar...

"... ficar pensando no que fazer, naquele dia em que o mundo inteiro trabalhava e eu tinha parado para esperar o meu filho chegar."
Essa é mais uma das frases mais lindas que eu já li aqui.

Nandinha... disse...

Chorei em debulhas de lagrima lendo casa post aqui, cada sentimento seu, cada lembrança, faz a gente ter vontade de voltar lá onde parte de vc ficou e mudar as coisas...

Seu amor é lindo e tá em cada palavra, Cisco será um filho orgulhoso...

redatozim disse...

Cris, minha bizunguinha, o mais bacana é que eu tenho 99,9% de certeza de que quem me aplicou M. Ward foi o Guimbo-San. Se não foi, poderia ter sido e o ciclo se fecha e permanece sempre aberto do mesmo jeito. Beijo grande e fica a pergunta: que dia o Cisco entra pro Clic pra virar calouro da Sophia?

Bel disse...

Essas palavras e essas músicas me levaram junto com elas...pru´m jardim florido e cheio de verde!
Senti o cheiro do amor misturado com a esperança de dias molhados pela água da chuva...que sempre renova.
Um beijo ... teu gosto musical também te define muito bem: uma lina artista!
Bel.

Camila disse...

descobri seu blog há pouco tempo, sempre choro ao ler suas palavras. Vc escreve muito bem! mas é um choro com um sorriso no final.
Tudo de bom!

silvania disse...

Ave Maria!!!!!!!!!!!!!! Meu Deus!!!! Os sentimentos que você conseguem provocar são impressionantes... coisas que nunca senti, mas que entendo...maravilhoso

Ale Carvalho - disse...

trilha sonora linda destes pensamentos. bjs e bom fim de semana pra vcs.

Maria dos Açores® disse...

Um beijo com muito amor para ti e para o Cisco

Juli Mariano disse...

que pessoa incrível que é você. Esteta em tudo, no modo de se vestir, no modo de escrever e até, pasmem, no modo de falar da dor. Um beijo, querida. Força pra você nessa caminhada.

Manuela disse...

Eu me sinto beeeeeeeem pequena diante de tanto amor...

Muito pequena!!!

Tuninha disse...

Sem palavras porque vc já as usou com talento e da forma mais espontânea que possa haver: movida pelo amor incondicional de mãe - filho.
Tenho uma pequena Ana Clara, que é mminha respiração, minha inspiração, minha vida.
Seu marido se foi mas deixou um anjinho pra olhar vc e te dar bom dia todas as manhãs. Abraço grande!!!!!! Lerei sempre seu blog.
Maria Antonia

Tuninha disse...

Ah! Já tinha te conhecido na reportagem da Gloss, e caí aqui por acaso...q coisa é a vida...

Luciana disse...

Lindo...tudo aqui!O amor preenche cada espaço deste blog!Vc já pensou em escrever um livro?![Típica pergunta,mas se duas ou mais pessoas falam a mesma coisa,ela pode virar verdade!]


Beijão*

Elaine disse...

Cheguei aqui por intermédio de outro blog e li tudo, tudinho, de uma só vez.
Vc é uma guerreira e tem a sensibilidade aguçada. Certamente, por isso, cativou o Guilherme e, dia a dia, está construindo esse amor tão lindo pelo seu Francisco.
Beijo,
Elaine

maycow disse...

Você é um ser humano "lapidado" pela vida, sabe transformar dor em palavras lindas e filosofias extremamente profundas.
Abraço pra ti e pro Francisco. Fiquem bem.

Maycow/Santa Catarina

:: carol monti :: disse...

eu sinto as músicas do mesmo jeito que vc! ... são doces recordações ... com certeza lugares e épocas que vivemos ... trazem lembranças demais!

que delícia te ler! ... ler essa história linda!

força viu!

bjo no cisco, bjo em vc

¢em@ לאכימ דלא disse...

Lindas as músicas que vc postou até agora, no blog. Sinceramente, gostei de todas.

E, por motivos de vivências próprias, identifiquei-me particularmente - sem querer, acredite - com Fuel For Fire. Vi, na letra (linda, por sinal), gente que a vida também levou de mim.

Mas, ouvindo-a, é como se elas voltassem momentaneamente para uma doce despedida, para poderem prosseguir em sua jornada.

Eu disse...

A história de amor mais linda que já ouvi, vi ou li. Devorei o blog nesta tarde de domingo e lhe digo com extrema sinceridade: vocês estão em meu coração.
Perdi meu pai há 37 anos. Estava eu com 13 meses. Minha mãe grávida de seis meses de meu irmão. Amor tardio: ela com 36, ele com 40, segundo casamento.
Durou pouco nesta terra - cerca de dois anos. Mas para sempre em algum lugar, como, acredito, o seu.
Suas palavras calaram em meu coração pela intensidade do seu amor. Gostaria de ter sua habilidade para transmitir, em palavras, a grandeza dos sentimentos. Talvez eu não tenha a paixão que move sua vida, não sei. O que sei é que não vou conseguir externar em palavras o que lhe desejo. Talvez uma música possa, quem sabe eu a encontre.
Enquanto isso (e para não alongar ainda mais este prolixo post), que você sinta um abraço forte.
Você já venceu o desafio.

Anônimo disse...

Lindo: músicas, palavras, seu amor, seu filho e você! Como eu gosto do seu blog, de ler e reler suas histórias. Obrigada e beijos... Taisa Lima.

Menina Eva disse...

Ai, seus textos são. Algo. Assim.

Anônimo disse...

Pequena,

Não consigo ouvir as músicas...

:(

Sarah

Anônimo disse...

Um amor puro e forte... Tenho uma admiração gigante por você e pelo que você sente. Queria poder suspirar e viver com a paixão que você vive.
Virei fã de Jack Johnson por causa de você! =)

Muita sorte e paz.

Beijos

''QUERO APENAS SER FELIZ'' disse...

a historia mais linda que ja li!!!
vc é linda, seu filho é lindo..rsrs
e vc pratica reiki, tudo que eu quero praticar e onde moro não consigo encontrar =/
beijossss

Anônimo disse...

Olá, Cris...não tem uma vez que entro no blog que não me surpreendo e emociono....
Bjs pra vc e Francisco
kiki

Telma K. disse...

Oi, Cris!
Não sei mais como acabei aqui no seu blog e fiquei muito emocionada, muito mesmo...
Suas palavras e o seu sentir me deixaram extremamente tocada e me fizeram pensar muito na vida, nas escolhas que já fiz e ainda farei.
Adorei, ainda não li tudo, mas vou de pouco em pouco.
Parabéns pela iniciativa!
Beijokas

Cristiana Soares disse...

Nó na garganta [4]

Vc tb se chama Cristiana?? Com "A" no final?

Vou linkar vc. Não por isso. Mas por tudo aqui.

Anônimo disse...

gente, que silêncio prolongado! estou com saudades!

(mais uma leitora anônima encantada com tudo que é escrito aqui..)

Deus abençoe você e o lindo Francisco! ;)

By Priih disse...

Hum...
Po ate que em fim achei seu Blog,
Vi duas materias suas, uma na revista e outra no fantatico.

Po tive uma historia parecida com a tua Flor.

Encontrei em vc força para me erguer novamente.

te gosto flor...

msn:pequenarockroll@hotmail.com
email:byprizinha@hotmail.com