terça-feira, 29 de abril de 2008

Filhote.

Hoje cheguei tarde do trabalho e, ao ouvir seu choro para a mamadeira da meia-noite, aproveitei pra ter você no colo por dez minutinhos. Sonolento, você sorvia o leite com voracidade. E me peguei beijando seu rosto, passando as mãos nos seus cabelos. Foi então que percebi: já não era mais um bebê no meu colo. Seus 82 centímetros deitados sobre minhas pernas cruzadas, mais de dez quilos que eu amo grama a grama - e já não cabem mais suas pernas sobre o ninho que faço com as minhas. O tempo corre, eu corro, corro, corro. E é sempre maravilhoso voltar. Nesses meses todos, me mexi de um jeito nunca antes visto, tive uma força e uma resistência de que não me achava capaz. Esqueci o que é preguiça. Faço sem parar pra pensar. (É sem pensar que a fêmea defende sua cria.) Olho para esse mundo feio e hostil, olho pra você e sigo em frente. Sou capaz de tanto mais. Tanto. Só porque você existe, filho.

E continuo amando repetir a palavra filho.

15 comentários:

Alessandra de Sousa disse...

Desde que descobri seu blog através do Globo Reporter eu me pego dando uma espiadinha aqui todo dia. Já está nos meus favoritos. Os comentários vão diminuindo a cada dia. Quando vc apareceu na TV os coments era fogueira, agora "brasas". Mas continua me incendiando a sua maneira de expressar sentimentos. Não é sempre que comento, mas leio todo post novo! E cada vez que eu leio eu fico imagina quando o Francisco pider "contemplar" tudo isso. Que privilégio! Este blog nunca cairá nomeu esquecimento. Beijos. Alessandra Ferreira.

Alessandra Ferreira disse...

Desde que descobri seu blog através do Globo Reporter eu me pego dando uma espiadinha aqui todo dia. Já está nos meus favoritos. Os comentários vão diminuindo a cada dia. Quando vc apareceu na TV os coments era fogueira, agora "brasas". Mas continua me incendiando a sua maneira de expressar sentimentos. Não é sempre que comento, mas leio todo post novo! E cada vez que eu leio eu fico imagina quando o Francisco pider "contemplar" tudo isso. Que privilégio! Este blog nunca cairá nomeu esquecimento. Beijos. Alessandra Ferreira.

(¯`·._.·[***Celina***]·._.·´¯) disse...

Cris, simplesmente lindo. Eu teria tanta coisa pra te falar (tbm tenho um único e amado filho), mas não consigo....não hoje. Bjo pequena e fique na Paz;)

Renata Rocha disse...

Assim, eu como fã assumida e declarada so posso dizer: seus textos e a sua maneira de expressar o que é maternidade, gera em mim um desejo de ser mãe.
Amo vcs dois sem nem ao menos os conhecerem e torço tanto pela felicidade de vcs como batalho pela minha.
Vcs alegram meu dia com as pequenas coisinhas que fazem com que sejam voces.
No dia da sessao de autografos do livro, farei questao de uma foto e de um abraco !

Anônimo disse...

Cris, sabe aquele ditado: "Deus dá o frio conforme o cobertor"?? Talvez se vc ñ tivesse passado pela "perda" do Gui, a chegada do seu Cisco ñ seria tão sublime, o amor de vcs poderia até se tornar comum e vcs ñ teriam uma relação tão linda, verdadeira e com esse nível altamente elevado. Talvez vc nem se descobrisse essa fortaleza que é!! Viva os desafios da vida!! Que nos descobrimos melhores a cada dia!!
BJinhosss e abraços apertados nos dois ;)
Dani

Nina disse...

Pois é Cris, os filhos crescem tão rápido. Quando gente menos espera, eles já não cabem mais no nosso colo, no nosso ninho... mas sabe quando vc vai se maravilhar? quando "vc" couber no colo dele... assim como os meus filhinhos fazem hoje. Bom pra eles que sou pequena como vc...
bjs

Anônimo disse...

O Gui lhe deixou de presente a coisa mais preciosa que alguém pode ter, um filho, fruto desse amor!

: : Ju Sampaio : : disse...

Essa palavra é mágica mesmo. Faz carinho na boca da gente. Beijo, querida.

Anônimo disse...

você tinha que ser mãe mesmo: é tanto amor que não cabe numa pessoa só.

Daniella disse...

Muito lindo Cris!!
Como você também amo falar filho, meu filho...e ele já está com 5 aninhos...acho que a cada dia o som da palavra mágica filho (ou meu filho)se torna mais gostoso...
Parabéns por tudo, por tanto amor!
Bjins, Dani.

Anônimo disse...

E eu acho lindo você falar assim: Filho... Tenho um casal de amigos que eu amo, e eles também falam assim com o bebê deles...Filho...
Simples e lindo.
Um abraço
Hanna

Kika disse...

Cris,

VC sabe que eu me amarro em palavras... agora fiquei pensando nessa tão pequena e tão grande... TANTO... TANTO...

Linda, filhote e filhota.

beijos,

Kika

Luana disse...

Meus olhos se enchem de lágrimas todas as vezes que você diz: "filho". É lindo! E só faz crescer a vontade de ter um filho para chamar de meu também.

Nina disse...

Que coisa mais linda!!!
Adoro tudo que vc escreve!!
É tão natural, espontâneo e ultrapassa as barreiras do belo.
Parabéns, pela sua capacidade e ternura para com a vida.

Rosangela Oliveira disse...

Oi Cris, conheci seu blog através de uma revista, fiquei triste com sua história, mas a cada dia sinto sua felicidade e seu amor, e o que era triste se transforma em alegria.
Lendo essa sua postagem só pude me lembrar de uma musica 1º de julho - Renato Russo, acredito que vc já conheça ele fez para Cassia Eller quando soube que ela estava grávida. E sempre que leio vc falando do Francisco me lembro dessa frase "Alguma coisa aconteceu. Do ventre nasce um novo coração".
Ouça essa musica na voz do Renato é sua vontade de viver e amar gritado.