domingo, 9 de março de 2008

Pára, Francisco!

Você é saudável, esperto, engatinha a jato e parece ter um sensor para coisas perigosas: detecta onde elas estão e corre naquela direção. E eu não sou exatamente uma mãe jovem. Hoje perdi a paciência, filho. Várias vezes. Depois chorei arrependida. Choramos juntos, embora você pensasse que eu estava rindo. Tem dias que é especialmente difícil criar um filho sozinha.

29 comentários:

Glau Ribeiro disse...

Cris,

Não há o que perdoar... Você é mãe... E mãe SEMPRE dá o seu melhor.. Sempre se sacrifica e ama incondicionalmente..
E o Francisco sabe disso!

Beijo - com carinho -

Fabiane disse...

Cris;
Sou filha de mãe lutadora e sozinha...não se culpe. No futuro vc será reconhecida merecidamente....reconhecimento regado a muito amor.
Bjs
Fabiane

Anônimo disse...

Sempre venho aqui no seu blog, acho lindo tudo o que você escreve, são palavras ditas pelo coração de uma mulher batalhadora. E sabe de uma coisa, seu filho terá orgulho (se é que já não tem) de ter uma mãe como você, pois ás vezes eu sinto orgulho por você, pela pessoa maravilhosa que você demosntra ser.

Maria dos Açores® disse...

Cris, vais ficar brava com o Cisco um montão de vezes... vais perder a paciência outras tantas... vais brigar, gritar, xingar... tudo isso para o bem dele, porque mãe é mãe... e mãe só faz o que acha que é melhor para o filho (apesar de nós, filhos, não concordarmos na maioria das vezes.)
O Cisco não precisa de uma supermãe, precisa de uma mãe que se ame, que se cuide para poder dar a ele todo o amor e atenção. E de uma coisa podes ter a certeza, ele tem muita sorte em ter uma mãe como tu!!!
Um beijo com muito amor para ti e para o Cisco

Renata Rocha disse...

O que importa é o amor, e isso sempre prevalece !
Um beijo nos dois... força ai !
Deus é contigo !

Silvia disse...

É verdade... mas mesmo criando filho acompanhada tb acontece a mesma coisa, às vezes. Suuupernormal. Relaxa.

Anônimo disse...

Você precisa ler o livro chamado: " Mulheres e crianças primeiro". É da autora de teatro e escritora Cláudia Valli, aqui do Rio. Você vai ver que criar filhos é igual em qualquer lugar. Somos todas parecidas: nervosas, loucas e maravilhosas. Se não encontrar o livro, posso te mandar, ok? Beijos... Taisa Lima

daniela disse...

Força, Pequena.

VC consegue sim

Anônimo disse...

Pequena... Você é grande e também humana!

Não se cobre tanto. Não seja sempre a mulher maravilha, seja só lindamente você. E você já é uma maravilha.

Anônimo disse...

Pequena...

tb tenho um bebê, um pouco mais novo que o Cisco. Não o crio sozinha. Mas é como se fosse. Então junta isso e a exaustão a qual um bebê nos leva e... já viu né? Tem dias que eu estou por um fio, mas.... respiro e lhe digo:
a nossa paciência às vezes falta. É normal! Só não pode faltar o amor, a força de mãe... e isso Deus não nos tira nunca!!

Anônimo disse...

Cris querida,
É mesmo muito difícil criar um filho sozinha... Mas a gente dá conta !!!!! Isso é o melhor da vida. Constatar que somos limitadas, porém, felizes. E, por favor, conte com as amigas.
Beijo nocê e no Cisco.
Renata e Ana

dri disse...

Cris, não se culpe.
Esse tipo de situação acontece com todas nós, mães. Acontece muitas vezes.Brigamos com eles, nos exaltamos, depois nos culpamos.
Não é mesmo fácil criar um filho, ainda mais sozinha.
Educar, ensinar, impor limites.Não, não é uma tarefa fácil.
Mas vale a pena, vc sabe disso!

nina disse...

Ahh Cris, mas é assim mesmo querida. Ser mãe não é mt fácil, apesar de ser maravilhoso. Acho que deve ser um pouco mais difícil mesmo, pra vc, em certas situaçoes, mas vc é forte e vai aprender tudo no tempo certo. Cisco tbm.
Boa semana pra vcs.

nanci disse...

Chris,
se criar um filho com o pai junto ja eh dificil, imagine sozinha...
mas super PEQUENA vc vai dar conta do recado!!
bjs

Mari disse...

Cris,
Leio seus blogs todos os dias!Adoro! Me divirto e me emociono...hoje em especial, porque me identifiquei! Como é duro criar um filho sozinha...mas,precisamos ter coragem! Parabéns..por tudo!!
Beijo!
Mari

P.S: Uma pessoa que avalia os outros pelos "vasinhos" na perna...pena....é a única palavra que me vem em mente...

Kiki disse...

Tem momentos em que dá vontade de jogar tudo pra cima...enfim a maternidade não são só flores, mas são estes momentos que vão construir uma forte ligação e vc verá que um não hoje vai valer a pena, mesmo que a gente sofra um pouco...E tenha certeza que vc está fazendo o que é certo e com muito amor.....eu tb choro as vezes quando preciso ser dura com as minhas meninas.....Abraços

Anônimo disse...

Oi, menina!
Nem sempre fui uma avó de 75 anos. Há quase 48 anos tb fui mãe e solteira e numa época em as famílias não queriam nos aceitar. Mas tive uma "grande família" que me apoiou e me ajudou.Eu era rádio-atriz no Rio em uma grande emissôra e minha filha além do pai que, diga-se de passagem, a registrou, teve padrinhos e madrinhas tão amorosas que supriram a pequeninha de um pai totalmente ausente. Mas... em casa era complicado.Dar limites a uma criança, mesmo com uma boa babá era dolorido e eu às vezes tb dormia remoendo e me culpando pq tinha negado algo que ela queria. Até hoje qdo ela me pede alguma coisa eu respondo como antigamente: "amanhã a mamãe compra" ou então, "amanhã a mamãe deixa". Só que agora o "amanhã" é "ontem".
Pequena, siga seu coração, sua intuição de mãe. Ela nunca falha, mãe tem sexto, sétimo,oitavo... uma infinidade de sentidos e em você deve ser tudo muito "mais" pq é inteligente e tem aquilo que costumamos chamar de "berço". Não que faça muita diferença... Como falava um ator famoso na´época, meu colega de rádio: mãe é fôgo.Beijos em você e no Cisco.

Anônimo disse...

Vi os comentários do post anterior e tenho a mesma dúvida da Ennia. Vi que sua amiga Dri falou que está no dia 17 de janeiro, mas não encontrei. Vc pode colocar o link?

E Cris, mãe é mãe sempre. São todas iguais. Todas amam incondicionalmente. Tenho certeza que o Cisco sabe disso.

beijos bons, Lidiane Souza.

Larissa disse...

Cris,
Ler o Para Francisco é pra lá de especial pra mim. Perdi um bebê no inicio da gestação há 6 meses e, pela gravidez, tive mola hidatiforme (http://pt.wikipedia.org/wiki/Mola_hidatiforme). Estou quase curada e daqui a um ano, se tudo correr bem, poderei viver o sonho de ser mãe. Mas tenho medo do que pode acontecer.

Sabe o que me motiva? Passar por aqui todo dia e ler, reler, "triler" o que escreves e acreditar que as coisas boas acontecem. Tu ensinas a ter força de vontade e seguir em frente.

um beijo e um abraço apertado

¢em@ לאכימ דלא disse...

Primeira infância SEMPRE dá trabalho... Ninguém é perfeito, há momentos em que perde-se a paciência mesmo... Portanto, não te culpes.

Anônimo disse...

Cris, tenho duas filhas pequenas e já perdi a paciência várias vezes. Já inclusive dei umas palmadas na minha filha de três anos. Sim, doeu mais em mim. Sim, ela sobreviveu. Sim, eu arrependi. E sim, ela mereceu. Fique tranquila. Você é de carne e osso. Não fez nada que todas as mães não fazem. Keep going. Beijos.

Pequena disse...

Lidiane, não existe aqui um post contando como foi. Mas conto um pouco numa matéria na revista Criativa de janeiro. Deixe seu email aqui, que eu mando a matéria pra você, ok?

Um beijo.

Anônimo disse...

Também gostaria pequena...

e-mail luliss@ig.com.br

bjão

Anônimo disse...

Pequena, querida

Não precisa enviar... achei!

O link da Revista Criativa é esse
http://revistacriativa.globo.com/Criativa/0,19125,ETT1666700-5458,00.html

bjos

Luliss

Adriana disse...

Sua humanidade a torna cada dia mais divina.

Thales e Graziela disse...

Cris,

eu tenho um de 12 anos e outro de um ano e três meses, já perdí a paciência, já me arrependí e chorei e já me conformei. É que eles sabem, é que todo dia eu demonstro e digo "te amo filho" e esse amor é mais.

beijos, Graziela

Ana Carla disse...

Fiquei impressionada com sua entrevista, que li num desses dias, sem saber porque, em que corria as páginas da revista sem prestar atenção em nenhuma delas. Chamou-me a atenção sua história e sua força. De vez em quando visito seu blog. Admiração é o que sinto por você.
Ana Carla.

Kika disse...

Cris, amiga,

Eu ainda não sou mãe mas quero muito ser!

Minha mãe não foi mãe jovem e esse foi um dos motivos dela ter ido tão jovem, quando eu tinha 20 anos.

Meu pai, que adora crianças, sempre diz que criança é movida a jato mesmo!

E se você tivesse 15 anos, ou 25 anos, ou os 35 (e um pouquinho a mais que tem hoje), seria a mesma coisa!

A velocidade destes ciscos de gente é impressionante!

Por outro lado, uma grande amiga minha, que foi minha tutora para a maternidade, sempre me advertiu que a maternidade é uma atividade solitária...

Mesmo que o Gui estivesse aqui e te ajudasse muito - pois não dá para ter certeza que ele ajudasse - dá apenas para imaginar que sim; nesse momento você se sentiria tão sozinha quanto se sentia ontem e certamente desabaria a chorar como chorou.

Esse é o fato concreto que você tem.

O Cisco crescendo e você vendo a maravilha que é isso.

Pára não Francisco!
Avante, sempre!
Mamãe Cris guenta!
Guenta sim!

beijos, Kika

ale disse...

Te entendo perfeitamente.