terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Desejos.

Pequenos rituais são importantes nos momentos de passagem. Naquele 31 de dezembro, na praia, todos escreveram secretamente a sua lista de pedidos. Eu me lembro de ver seu pai já com o papelzinho dobrado, como se há muito soubesse o que queria – e como se o soubesse com exatidão. Depois de meses pensei nessa cena com algum ressentimento e, sempre, com muita curiosidade: o que será que ele pediu? Quanto a mim, passei um tempo insegura até dobrar o tal papel. Tive medo de esquecer alguém ou alguma coisa importante. Eu me lembro de ter pedido por minha família e meus amigos. Pedi saúde pra você. E pedi por nós, por esse amor que eu sentia tão raro e tão bonito: que ele fosse pra sempre, que nunca deixássemos de ser uma família. Devo ser justa. Meus pedidos foram atendidos.

7 comentários:

Kika disse...

Amém

Raíssa disse...

Sabe, hoje eu fui ao cinema assistir ao filme 'Ps: eu te amo'...
a história do filme me lembrou tanto você,tanto isso aqui, sabe? Claro com algumas diferenças (gritantes) mas me lembrei de ti! ;x
Se não assitiu, assista, o filme é bom!

Beijos :*

Naty Nathália disse...

Fico pensando...
Deus escreve certop por linhas tortas!!!
Ainda bem que as vezes conseguimos ler!!!

Naty Nathalia

Pequena disse...

Eu assisti, Raíssa. Choreeeeeei até. Um beijo.

Anônimo disse...

Ah que bom que assistiu *-*
juro que me lembrei de ti!

Raa disse...

É A RAÍSSA AI EM CIMA :D

Ana disse...

Uma vez, a Marília Gabriela falou uma coisa que concordo: toda história de amor tem um final triste...
Se o amor morre no auge, ele continua. Contraditório, mas verdadeiro.